Nissan Versa Sense 7557

Nissan Versa manual ou Nissan Versa automático?

A versão de entrada do sedã pode vir equipada com tipos distintos de transmissão; veja qual é a melhor para você


  1. Home
  2. Comparativos
  3. Nissan Versa manual ou Nissan Versa automático?
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

"Mas que comparativo virtual mais esquisito", você deve ter pensado. No entanto, já adiantamos que ele não é tão estranho assim. Tudo bem que colocamos frente a frente duas versões de entrada do Nissan Versa, mas as configurações não são lá tão idênticas: um dos carros tem câmbio automático e o outro manual.

A Nissan oferece a configuração de entrada do Versa, a Sense, com transmissão do tipo CVT por R$ 83.290. Por R$ 77.990, diferença de pouco mais de R$ 5 mil, o fabricante comercializa a mesma opção com câmbio manual de cinco velocidades. Aí, evidente, vai do gosto do freguês. Quer saber qual é o melhor para você? Mostramos aqui neste duelo.

Nissan Versa manual x Nissan Versa automático

Dinâmica

O Versa tem, tanto com câmbio automático quanto com manual, conjunto equilibrado. O motor dos dois, aliás, é o mesmo: 1.6 aspirado de 114 cv a 5.600 rpm e 15,5 kgf.m a 3.750 rpm quando abastecido com etanol.

Com transmissão do tipo CVT, o Versa Sense vai de 0 a 100 km/h em 10,7 segundos. A diferença é mínima, de 0,1 segundos, com relação ao manual de cinco velocidades. Com essa caixa, o sedã acelera de 0 a 100 km/h em 10,8 segundos.

Vantagem do Nissan Versa manual ante o automático é no quesito ruídos internos. Como de costume em carros com câmbio do tipo CVT, o barulho do conjunto mecânico invade a cabine com certa vontade. Já no caso do "rival" (muito entre aspas mesmo, claro), o isolamento acústico é muito mais interessante, o que garante algum silêncio ao condutor e aos ocupantes.

Em termos de desempenho, vale dizer que o Versa MT leva um pouco mais de vantagem. A transmissão bem escalonada e com engates precisos dá ao motorista maiores possibilidades de aproveitamento do conjunto, o que permite levá-lo ao limite caso queira.

Já no caso do modelo equipado com câmbio CVT, há total ênfase no conforto e na otimização de consumo de combustível. Isso significa que, embora o sedã saia do lugar com facilidade lhe falta algum ímpeto nas retomadas.

Quanto ao consumo, os números de Versa MT e Versa CVT são bons. O manual tem médias de 8,1 km/l na cidade e 11,8 km/l na estrada com álcool. Com gasolina, são 9,6 km/l em ciclo urbano e 13,8 km/l em ciclo rodoviário. O automático, por sua vez, entrega médias de 8,0 km/l na cidade e 10,0 km/l na estrada com etanol e 11,7 km/l e 13,9 km/l em ciclos urbano e rodoviário quando abastecido com gasolina.

Dimensões

Evidente que as dimensões das duas opções são as mesmas. O três volumes mede 4,5 m de comprimento, 1,47 m de altura e 1,74 m de largura. O entre-eixos é de 2,62 m. O porta-malas tem capacidade para 466 litros.

A única diferença entre Nissan Versa Sense manual e automático fica por conta do peso. O primeiro, com caixa mais leve, tem 1.058 kg. Já o segundo, com transmissão do tipo CVT, pesa 1.098 kg. Essa pequena diferença, vale frisar, não tira do carro a boa relação peso-potência, que lhe confere desempenho adequado.

Nissan Versa Sense manual
Nissan Versa Sense equipado com transmissão manual tem boa dinâmica

Itens de conforto e segurança

O pacote de itens de conforto e segurança dos dois é basicamente o mesmo. Como destaques, têm airbags duplos frontais, airbags laterais e de cortina. Também contam com alerta de cinto de segurança destravado para os ocupantes da frente e de trás, controle de tração e estabilidade, fixadores Isofix e ABS com controle eletrônico de frenagem e assistência de frenagem.

Entram também no pacote de Nissan Versa manual e automático sensor de estacionamento traseiro e assistente de partida em rampa. Os modelos dispõem ainda de chave presencial e partida por meio de botão.

Nissan Versa 2021 Versao Sense Cvt 1
Transmissão do tipo CVT garante mais conforto ao motorista
Crédito: Divulgação

Conclusão

O Nissan Versa Sense é uma opção de entrada com bom número de equipamentos. Quando equipado com transmissão manual, entrega pouco mais de desempenho, mas deixa o conforto um pouco de lado na equação.

Com câmbio automático, por sua vez, o carro prima mais pelo bem-estar do motorista, que se cansa muito menos durante a condução do veículo. Todavia, o modelo não entrega tão bem no quesito dinâmica e ainda tem como complicador os ruídos internos. Resta ao comprador identificar as suas necessidades para escolher a melhor opção.

Comentários