Design Sem Nome (2)

Picapes aventureiras: Ranger Storm x S10 Z71

Versões têm propostas semelhantes, mas modelo da Chevrolet custa R$ 18.700 a mais. Será que vale a pena?


  1. Home
  2. Comparativos
  3. Picapes aventureiras: Ranger Storm x S10 Z71
Guilherme Silva
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Lançada no final do mês de outubro, a Chevrolet S10 Z71 completa a gama da picape média como uma versão que se diferencia das demais pelo pacote de acessórios exclusivos voltados ao uso off-road.

Com preço sugerido de R$ 260.490, o modelo da Chevrolet tem como principal concorrente no mercado brasileiro a Ford Ranger Storm (R$ 241.790). Afinal de contas, qual delas é a melhor opção? Vamos ver o que cada uma oferece logo abaixo.

Ford Ranger Storm x Chevrolet S10 Z71

Equipamentos

Picape Chevrolet
Chevrolet S10 Z71 tem visual inspirado na Colorado Trail Boss asiática
Crédito: Divulgação
toggle button

Ambas são dotadas de itens estéticos, porém funcionais, como estribos laterais, santantônio tubular, pneus de uso misto (Pirelli na Ranger e Michelin na S10), faróis de neblina, alargadores de para-lamas, além dos adesivos pela carroceria. A S10 ainda traz de série os racks de teto, rodas de liga leve de 18 polegadas (na Ranger são aro 17”) e a capota marítima que cobre a caçamba.

Picape Chevrolet
A Chevrolet S10 Z71 conta com acessórios estéticos e voltados ao uso off-road
Crédito: Divulgação
toggle button

Na parte de segurança, as duas picapes saem de fábrica equipadas com airbags frontais, laterais e de cortina, mas somente a da Ford tem as bolsas infláveis que protegem os joelhos do motorista. Ambas trazem, ainda, sensores de estacionamento traseiros, freios ABS, controles de estabilidade e tração, controle de velocidade em descida e assistente de partida em rampa. No entanto, apenas a Ranger conta com assistências eletrônicas para a prevenção de capotamento e de auxílio de reboque. Em contrapartida, a S10 Z71 é equipada com luzes diurnas de LED embutidas nos faróis – ausentes na rival

Chevrolet S10 Z71 (23)
Chevrolet S10 Z71 traz bancos de couro, mas ar-condicionado é manual
Crédito: Divulgação
toggle button

No quesito conforto e conveniência, a S10 Z71 possui bancos revestidos de couro e a central multimídia MyLink de 7” e compatibilidade com Android Auto e Apple CarPlay. No entanto, a Ranger Storm traz ar-condicionado automático de duas zonas, multimídia SYNC de 8” (também com espelhamento de celulares Android e iPhone) e duas telas coloridas configuráveis de 4,2” no painel de instrumentos (a S10 possui apenas uma).

As picapes ainda contam com câmera de ré, piloto automático, direção elétrica, vidros e travas elétricos nas quatro portas, chave canivete, entre outros.

Picape Ford
Ranger Storm também tem proposta aventureira
Crédito: Divulgação
toggle button

Motorizações

Em comum, S10 Z71 e Ranger Storm são equipadas com câmbio automático de seis marchas e tração 4x4 com acionamento eletrônico e reduzida. A Ford conta ainda com o bloqueio eletrônico do diferencial traseiro.

O motor 2.8 turbodiesel de quatro cilindros da Chevrolet gera 200 cv de potência e 51 kgf.m de torque. O 3.2 turbodiesel de cinco cilindros da Ranger entrega os mesmos 200 cv, mas o torque é um pouco inferior: 47,9 kgf.m.

Ranger Storm tem ar-condicionado de duas zonas, mas os bancos são de tecido
Crédito: Divulgação
toggle button

Desempenho e consumo

De acordo com os dados informados pelos fabricantes, a Chevrolet S10 Z71 acelera de 0 a 100 km/h em 10,1 segundos e tem velocidade máxima limitada eletronicamente em 180 km/h.

O consumo informado pela General Motors é de 8,3 km/l na cidade e 10,6 km/l na estrada, segundo as medições orientadas pelo padrão do Inmetro.

Ranger Storm pode receber snorkel para ampliar a capacidade de atravessar alagamento
Crédito: Divulgação
toggle button

Já a Ranger Storm precisa de 11,6 segundos para atingir os 100 km/h e também alcança os 180 km/h de velocidade final com limitação eletrônica.

A picape da Ford faz 8,4 km/l no percurso urbano e 9,4 km/l em trecho rodoviária (Inmetro).

Chevrolet S10 Z71 também é equipada com pneus de uso misto e acessórios off-road
Crédito: Divulgação
toggle button

Carga e reboque

A caçamba de 1.061 litros da S10 é um pouco menor que o compartimento de carga de 1.180 litros da Ranger. Entretanto, a picape da Chevrolet carrega 1.134 kg de carga útil contra 1.040 kg do modelo da Ford.

A capacidade de reboque sem freio é de 750 kg em ambas, mas a S10 puxa mais peso se o implemento tiver freio próprio: 3.500 kg ante 2.720 kg da Ranger.

Ranger Storm acelera de 0 a 100 km/h na casa dos 11 segundos
Crédito: Divulgação
toggle button

Capacidades off-road de Ranger Storm e S10 Z71

Com proposta de uso em terrenos acidentados, as duas picapes se valem da boa altura livre do solo para transpor obstáculos não muito severos. Na S10, são 22,8 centímetros, enquanto na Ranger a distância entre o veículo e o chão é de 23,2 cm.

Ranger Storm é equipada com tração 4x4 e bloqueio do diferencial traseiro
Crédito: Divulgação
toggle button

O ângulo de entrada de 29º Chevrolet leva vantagem mínima em relação ao da Ford (28º). Mas o ângulo de saída da Ranger Storm (26º) é consideravelmente maior que o da S10 Z71  (16,1º). Já os ângulos centrais são praticamente idênticos: 25,7º na S10 e 25º na Ranger.

Chevrolet S10 Z71 tem ângulo de entrada de 29º e de saída de 16,1º
Crédito: Divulgação
toggle button

A Ranger é capaz de atravessar alagamentos de até 80 centímetros de profundidade, marca anunciada pela Ford como a maior da categoria. A fabricante ainda oferece o snorkel na linha de acessórios para ampliar essa capacidade. A GM não divulgou a capacidade de transposição da S10.

Conclusão: Ranger Storm x S10 Z71

As duas picapes se equivalem em equipamentos de série, mas a Ranger Storm tem alguns itens de segurança a mais. Por sua vez, a S10 Z71 é mais rápida, mais econômica e ainda carrega um pouco mais de peso que a rival. Resta saber se na sua opinião essa pequena diferença em desempenho da Chevrolet justifica ou não o preço R$ 18.700 superior ao da Ford, que oferece melhor custo-benefício.

Comentários