Anda com medo de água? Veja aqui dicas contra enchentes

Saiba se o carro foi vítima de enchente e o que fazer se uma lhe pegar de rodas curtas
  1. Home
  2. Cultura WM1
  3. Anda com medo de água? Veja aqui dicas contra enchentes
Adriana Bernardino
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- “Em casos onde o carro é mergulhado quase até o teto em esgoto levemente diluído, a forração do teto pode ser reservada como toalha mortuária para os ritos fúnebres automobilísticos”. Com senso de humor e técnica invejáveis, Kenneth Thompson, engenheiro mecânico, profundo conhecedor de automóveis e especialista em instrumentação e automatização industrial, ensina como reconhecer veículos sobreviventes de naufrágios urbanos antes de ancorá-los na garagem.

Além desta importante orientação, o cosmopolita Thompson – “sou nascido no Uruguai, estudei em colégio inglês em regime de internato na Argentina e, posteriormente, na Inglaterra, em 1964. Depois de 16 penosos anos quase sem ver o sol, e com grave deficiência de churrasco, vim para este Paraíso Tropical no fim de 1979” – orienta também sobre como agir naqueles casos em que o mundo resolve desabar no momento que você está em pleno trânsito.

Thompson diz não acreditar “que as eminentes autoridades do Brasil um dia cheguem a se aproximar da competência romana antiga, que sabia, há mais de dois mil anos, fazer obras de Engenharia Civil que realmente durassem.” Thompson diz que, além dos conselhos, um “kit enchente” seria ideal para tais ocasiões. Leia abaixo as dicas deste especialista:

WebMotors – O motorista está diante de um trecho alagado. Arrisca passar ou espera baixar? Como saber o que fazer?

Kenneth Thompson – Primeiro espere uma cobaia que queira enfrentar o trecho sem muitas agonias filosóficas preliminares. Observe cuidadosamente o nível da água. Se chegar a metade do diâmetro da roda de um carro de passeio, em torno de 25 centímetros, não se arrisque. Se houver correnteza transversal, não teste sua sorte com mais de 10 centímetros de profundidade de água, já que perda de controle direcional é muito provável. Nesta infeliz situação, a correnteza vai mandar em seu rumo, geralmente ladeira abaixo, já que água tem a irritante propriedade de procurar o nível menor.

Se a primeira cobaia que aparecer for um caminhão, não se aventure a seguir o exemplo se a água chegar a cobrir a borracha do pneu, aproximadamente 20 centímetros.

Reflita sobre a idéia de que nossas ruas estão cheias de buracos que pegam vítimas em dias secos e ensolarados. Debaixo de uma camada de camuflagem líquida, esses mesmos buracos lhe aguardam com alguns bueiros sem tampa.

WebMotors Se optou por passar, como deve fazê-lo?

Em velocidade baixa, talvez uns 10 Km/h, em primeira ou segunda marcha, com o giro do motor elevado. O giro mais elevado ajuda a expulsar água se o escapamento ficar submerso, e oferece alguma margem de segurança contra o motor morrer se o sistema de ignição começar a falhar por respingos de água.

A velocidade baixa reduz sua onda de proa e diminui a elevação do nível da água dentro do compartimento do motor, defendendo o sistema de ignição, sem o qual você vai ficar ilhado no meio do percurso.


WebMotors – Se, durante o trânsito, for inevitável para o motorista escapar de um local alagado, que atitudes ele deve tomar para não prejudicar ainda mais seu veículo?

Kenneth Thompson – Diante de uma situação de trânsito engarrafado, com a enchente subindo, em que o motorista é obrigado a abandonar o veículo, há pouco a fazer. Se houver alguns minutos de aviso prévio, deve-se vedar o escapamento e a tomada de ar que alimenta o filtro de ar.

Sugiro luvas grossas de borracha, do tipo usado para lavar louça, que podem ser colocadas na saída do escapamento e presas com vários elásticos da variedade usada para segurar maços de notas de dinheiro.

Vedando o escapamento e a admissão de ar, impede-se que os cilindros do motor sejam invadidos por água, já que algum cilindro estará com válvulas de admissão e escapamento entreabertas.

Além de manobras com luvas, seria bom desligar a bateria do carro, já que o estrago elétrico fica "menos pior" se isto for feito. O motivo é que peças elétricas mergulhadas num eletrólito água nojenta, com sais dissolvidos, com 12 V aplicados nelas, sofrem de toda sorte de "galvanoplastia", incluindo corrosão acelerada. Sem a alimentação elétrica, o estrago é menor, e talvez a peça volte a funcionar depois de secagem.

Além de primeiros-socorros contra leptospirose e gastrenterite, parece que um "kit enchente" deve incluir uma chave para desligar o pólo positivo da bateria.

WebMotors – Levando-se em conta que a frota circulante hoje não é anfíbia, que problemas pode apresentar um veículo que enfrentou um alagamento?

Kenneth Thompson – Principalmente um persistente cheiro, do qual é praticamente impossível se livrar, a menos que se coloque tapeçaria e estofamento novos.

Lamentavelmente as enchentes não são de água destilada; é água com uma carga biológica de peso, com generosa quantidade de microorganismos, prontos para colonizar seu estofamento e qualquer outro substrato metabolizável que encontrem pela frente.

A menos que o motor não tenha engolido água em estado líquido pela admissão de ar quando em funcionamento, o que levaria a danos catastróficos por calço hidráulico, há poucas conseqüências mecânicas se o tempo de submersão for curto, pois não haveria tempo para corrosão significativa.

Porém, o custo de eletrônica embarcada de carros modernos é bem elevado, e duvido que itens como módulo central de injeção de combustível e periféricos seriam recuperáveis depois de algum tempo de imersão.

Com o alagamento atingindo o painel de instrumentos, os danos se elevam bastante, sem falar nos nefastos efeitos em equipamentos de som, já com os falantes nas portas destruídos.

WebMotors – É possível falar em níveis de comprometimento?

Kenneth Thompson – Provavelmente determinável em: 1. molhou o assoalho; 2. mergulhou eletrônica do motor e banhou os assentos e revestimento de portas; 3. ferrou tudo, painel e MP3 Player incluso, somente se salvando a forração do teto.

WebMotors – É possível recuperar um carro atingido pela enchente?

Kenneth Thompson Se for realmente bem feito o serviço, é possível, mas provavelmente antieconômico em casos mais severos do que troca de carpetes.

WebMotors Como identificar um carro que tenha sido recuperado – caso de carros seminovos –, para que o comprador não tenha problemas?

Kenneth Thompson Desconfie de um forte perfume “cheirinho de novo”. Recomendo levar seu cachorro para vistoriar o carro; se ele se interessar muito pelo estofamento, pense melhor!

Agora vamos falar um pouquinho sobre os antigos romanos, que sabiam, há mais de dois mil anos, fazer obras de engenharia civil que realmente durassem. Os romanos estavam cansados de saber que água cai do céu com certa regularidade e planejavam suas obras com esse fenômeno em mente. Meios de drenagem dessa água que, por desígnio de São Pedro, cai do céu, é elemento primordial nos planos para estradas.

Grande parte dessas obras, principalmente estradas na Europa, estão em uso até o presente dia, às vezes com o paralelepípedo milenar disfarçado com uma camada superficial de asfalto.

Talvez com muita sorte as eminentes autoridades do Brasil um dia cheguem a se aproximar da competência romana antiga. Não parece muita coisa a pedir, e a carga tributária romana era bem menor que a nossa. Se o seguro cobre esse tipo de prejuízo, é somente uma socialização das perdas econômicas causadas por descaso de autoridades supostamente competentes, da mesma forma que o seguro é caro porque se roubam muitos carros. Roubam-se muitos carros porque é uma atividade de baixíssimo risco, fenômeno que o Judiciário sem duvida pode explicar convincentemente.

Leia também:

Por uma direção mais zen

Receita de Ano Novo

IOGA no trânsito

Tem trânsito? Oba!

Barulhinho bom?
________________________________

Receba as notícias mais quentes e boletins de manutenção de seu carro. Clique aqui e cadastre-se na Agenda do Carro!
_______________________________
E-mail: Comente esta matéria

Envie essa matéria para uma amigoa

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors