Canadense restaura Golf GTI 1983 por sete anos

Após restauração, engenheiro fez viagem de 10 mil km, mas resolveu vender o carro em seguida

  1. Home
  2. Cultura WM1
  3. Canadense restaura Golf GTI 1983 por sete anos
Renan Rodrigues
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Quanto uma paixão por um carro específico pode mover uma pessoa? Bom, para o engenheiro canadense Derek Spratt, a resposta é: muito. Há cerca de sete anos ele começou a procurar o primeiro carro que teve, um Volkswagen Golf GTI da primeira geração - que ele usava na época da faculdade.

Ele tinha apenas 21 anos quando comprou o Golf e quase 40 anos depois tentou encontrá-lo. Sem sucesso, Derek decidiu apostaou em uma unidade o mais próximo possível do seu Golf e passou a adaptá-lo para deixar como sonhava.

Derek Pratt sentado no para-choque traseiro do seu Volkswagen Golf Gti original branco e ao fundo montanhas e um vale
icon photo
Legenda: Derek Pratt e seu Volkswagen Golf GTI original dos tempos de faculdade de engenharia
Crédito: Acervo pessoal

"Eu queria que o carro fosse versátil e perfeito da minha maneira", disse ele. Para isso, primeiro reparou todos os danos causados pela ferrugem. Em seguida, apostou em um motor de 220 cv, como nos GTI mais modernos.

Aproveitando seus conhecimentos de engenharia, adicionou itens de comodidade ao Golf GTI 1983, como vidros elétricos, assentos aquecidos, botão de partida e painel de instrumentos digital

Como ele aumentou muito a potência, tratou de cuidar também do sistema de freios e da suspensão, bem como um sistema de refrigeração mais robusto para lidar com o motor novo.

Grana e tempo

Segundo Derek, para deixar o GTI do jeito que ele sonhou, foram mais de 12 mil horas. Todo o processo foi documentado em cerca de 180 vídeos publicados em várias redes sociais.

O engenheiro ao lado do Golf Gti 1983 restaurado na entrada de uma ponte
icon photo
Legenda: O canadense diz que gastou o equivalente a R$ 700 mil ara deixar o Golf GTI 1983 do jeito que queria
Crédito: Autología México

Ele estima que o projeto custou cerca de US$ 140 mil (R$ 700 mil em conversão direta), o que seria suficiente para comprar tanto o primeiro GTI, como alguns da nova geração. E o mais surpreendente aconteceu depois, pois ele decidiu vender seu GTI.

Após realizar uma viagem de 10 mil quilômetros pela costa do Pacífico, Derek repassou o carro a uma família na cidade de Vancouver. “Se você se dedica à restauração e modificações, encontra um novo hobby. O objetivo do projeto foi cumprido. Eu fiz o carro mais rápido e melhor, e segui minha paixão por sete anos ”, explicou.

Veja o vídeo com Derek e seu Golf GTI 1983 restaurado

Comentários