Invenções que mudaram a indústria automotiva

Desde o primeiro veículo com motor a combustão, de 134 anos atrás, o automóvel não parou de evoluir. Veja os avanços

  1. Home
  2. Cultura WM1
  3. Invenções que mudaram a indústria automotiva
Redação WM1
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Por si só o carro é uma das maiores criações tecnológicas que o mundo moderno já registrou. Um dispositivo estranho que, ao chegar às ruas, gerou todo tipo de reação, de admiração ao pânico.

Acredite: conhecido no início como "carruagem sem cavalos", algo que nunca havia sido visto, o carro chegou até a ser uma interpretado por alguns espectadores como questão de magia.

Mas em pouco tempo a ideia começou a ser entendida graças ao fato de seus promotores assumirem a tarefa de explicar seu escopo e operação à sociedade - a partir daí, os segredos do carro foram revelados abertamente.

Obviamente, aquela máquina cara que rodava a uma velocidade menor que a de uma carroça puxada por cavalo - e que raramente conseguia concluir uma viagem sem falhas mecânicas - tornou-se o novo brinquedo da classe rica.

Carro antigo
icon photo
Legenda: Carro era quente, tinha freio só em duas rodas e até manivela
Crédito: Divulgação

Os primeiros carros não tinham volante, mas uma manivela; os freios atuavam apenas em duas das quatro rodas e eram operados manualmente, não com o pé. Os carros também não tinham sistema de iluminação e o capô não incluía tampa - viajantes precisavam se vestir para resistir à temperatura.

No início do século 20 essa história começou a mudar porque uma série de acessórios e melhorias técnicas fizeram do carro um meio de transporte mais agradável, oferecendo mais oportunidades para enfrentar o futuro. Interessante é que muitos avanços foram propostos pelos próprios usuários.

Cinto de três pontos
icon photo
Legenda: Segurança foi algo que mudou muito na transformação do carro com o passar dos anos
Crédito: Divulgação

Os principais avanços

Embora a lista de invenções que contribuiu para garantir o futuro do automóvel seja um manifesto, foi nos últimos anos que a maioria das contribuições mais significativas do setor foi registrada.

Aquelas que não apenas dobraram a funcionalidade, conforto e confiabilidade de um carro. Porém, mais importante: adicionaram uma nova palavra ao seu dicionário: segurança.

Cinto de três pontos

Foi em 1959 quando Nils Bohlin, então funcionário da Volvo, projetou um sistema de ancoragem eficiente para cintos que permitia três pontos de apoio. Após os respectivos testes, as inúmeras vantagens desta invenção vieram à tona.

Airbag

Em outubro de 1971, a Mercedes-Benz patenteou o airbag da forma que o conhecemos hoje, embora seu desenvolvimento tenha começado muitos anos antes e até a Ford e a antiga Oldsmobile tenham testado uma possível aplicação em seus modelos mais avançados.

Esse esforço não prosperou à época, devido à desconfiança que o "balão pressurizado" despertou no público. Somente em 1981 o Mercedes-Benz Classe S incorporou o equipamento em sua lista de itens de série.

icon photo
Legenda: Airbags foram criados nos anos 1970, mas só acabaram aceitos em 1981
Crédito: Divulgação

ABS dos freios

Mais de oito décadas atrás, o primeiro sistema de freio antibloqueio (ABS) foi concebido por Robert Bosch, embora somente em 1964 esse notável avanço técnico pudesse ser refinado e testado em um carro de passageiro. Ele também foi testado em trens e caminhões.

Após 14 anos de aperfeiçoamento, os freios ABS foram lançados nos automóveis pelos Mercedes Classe S e BMW Série 7, ambos em 1978 - simplesmente porque esta invenção não pertence exclusivamente a um fabricante, mas à Bosch.

Controles de estabilidade

A incorporação do ABS permitiu, em 1992, que a Mercedes, juntamente com a Bosch, moldasse o que hoje conhecemos como controle de estabilidade (ESP).

É um sistema que também evoluiu muito desde sua criação, a ponto de não exigir dados de outros sistemas, como direção ou freios, mas tomar suas próprias decisões com base nas oscilações dinâmicas do corpo da carroceria.

Evolução no conforto

Câmbio automático

A primeira caixa de câmbio automática, ou semi-automática, para sermos mais precisos, foi patenteada no final do século 19. Mas não foi utilizada até a década de 1940, quando a primeira transmissão 100% automatizada estreou comercialmente em modelos da Cadillac. O sucesso foi instantâneo, apesar das falhas recorrentes.

Ar-condicionado

No que diz respeito ao ar-condicionado automotivo, muita controvérsia gira em torno de quem foi seu inventor. Isso porque existe uma linha de tempo muito tênue entre os sistemas de refrigeração para conservar alimentos e equipamentos de ar-condicionado que permitem resfriar o interior de um carro.

A única coisa relativamente clara é que, em 1939, a Packard começou a oferecê-lo no modelo 120.

icon photo
Legenda: Direção autônoma é uma das promessas do setor automotivo para os próximos anos
Crédito: Divulgação

Automação e eletrificação

Em termos gerais, o carro não mudou muito desde a sua criação, se o analisarmos de um ponto de vista puramente técnico e funcional. Atualmente, estamos apenas experimentando uma de suas maiores metamorfoses, a eletrificação.

E também é quase um fato que a próxima mudança virá da mão da direção autônoma, um processo evolutivo que, a propósito, vem sendo liderado pela Tesla - mas testado por diferentes marcas pelo mundo.

Conteúdo traduzido do Chile Autos. Clique aqui para ver o conteúdo original, em espanhol

Comentários