Petrópolis

Um passeio pela história do Brasil
  1. Home
  2. Cultura WM1
  3. Petrópolis
Redação WM1
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon
















Petrópolis - Arquitetura do século passado
e natureza exuberante







- A cidade de Petrópolis, localizada a 67 quilômetros do Rio e 800
metros de altitude, é, depois do Rio, a cidade que mais conserva
a memória da fase Imperial do Brasil, especialmente do Segundo Reinado.


Alguns dos seus edifícios e monumentos históricos, como o Museu
Imperial, a Catedral de São Pedro de Alcântara e o Palácio de Cristal
são verdadeiras relíquias e guardam objetos e documentos de grande
valor material e histórico. Tudo isso justifica o título pelo qual
a cidade é conhecida: a Cidade Imperial.


Petrópolis foi a Capital do Estado do Rio de Janeiro durante o
período que vai de 1894 a 1903. É por esse clima imperial que a
cidade se torna romântica, incentivando o turista a fazer um verdadeiro
passeio pela história.


Além das lindas e antigas mansões, o que atrai na cidade são as
flores, o clima frio de montanha e os vários restaurantes franceses
e italianos espalhados pelo centro e por outros bairros, como Itaipava.










Passeio histórico


A região de Petrópolis já era conhecida e apreciada
por D.Pedro nas suas passagens pelo local a caminho de Minas, antes
de 1822.


Todavia, somente em 6 de fevereiro de 1830, por recomendação
dos médicos devido à saúde de sua filha, a Princesa D. Paula, D.
Pedro I adquire uma fazenda no Córrego Seco, de propriedade do Sargento
Mor José Vieira Alonso, por 20 contos de réis.


Aí pretendia o Imperador construir um palácio de
verão, ao qual daria o nome de Palácio da Concórdia, nome também
atribuído à fazenda.








Mas não chegou a realizar o seu sonho, pois no ano seguinte sobreveio
a abdicação e ele embarcou para a Europa. A fazenda passou então
a ser administrada por um procurador, que a arrendava, e que acabou
por hipotecá-la.


No inventário aberto após a morte de D.Pedro I, em 1834, a propriedade,
ainda hipotecada, coube a D.Pedro II. Mais tarde a Assembléia Geral
abriu um crédito para liquidar a hipoteca e a Fazenda do Córrego
Seco foi plenamente entregue ao jovem Imperador. A administração
da propriedade ficou a cargo do Conselheiro Paulo Barbosa, que decidiu
prosseguir com o sistema de arrendamento.


O último arrendatário, Major Júlio Frcaptionico Koeler, teve a idéia
de instalar na fazenda uma colônia agrícola de alemães. O plano
é apresentado ao Imperador, que o aprova, expedindo o Decreto Imperial
n° 155 de 16 de março de 1843.


Por esse decreto, a fazenda era arrendada a Koeler, cabendo a
este levantar gratuitamente a planta da futura povoação distribuindo
prazos de terras aos colonos e do Palácio do Imperador.














Como
chegar partindo de:






















São Paulo

Distância: 450
km
Estradas: Você
deve ir pela Rodovia Presidente Dutra até chegar na cidade do
Rio de Janeiro. Seguir pela Linha Vermelha e pegar a Rodovia
BR-040, que liga o Rio de Janeiro a Belo Horizonte
Pedágios: São
cinco pedágios, sendo quatro na Via Dutra a R$ 4,20 cada um,
e um na BR-040, que custa R$ 3,30
















Rio de Janeiro

Distância:
70 km
Estradas:
Você deve pegar a BR-040. Lá tem um pedágio a R$ 3,30. Caso
queira encurtar um pouco o caminho, pegue a RJ-192, que liga
o Rio a Petrópolis
Pedágios: Nesta
rodovia também tem um pedágio que custa R$ 3,30
















Belo Horizonte

Distância:
350 km
Estradas:Apenas
uma rodovia liga as duas cidades, a BR-040
Pedágios: . Lá
você paga dois pedágios de R$ 3,30 cada.






 






Informações úteis:


Se você pretende fazer umas comprinhas, a Rua Teresa é o programa
ideal.


Lá estão localizadas várias malharias, e você vai poder comprar
suas roupas de inverno por um bom preço.


Secretaria de Turismo - Tel.: 24 243-3390
- Fax.: 24 243-9566







 

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors