Techno Classica 2006

A edição deste ano da maior feira do mundo sobre carros antigos movimentou milhões de euros e antigomobilistas de todos os países.
  1. Home
  2. Cultura WM1
  3. Techno Classica 2006
Gustavo Ruffo
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- A cidade de Essen, na Alemanha, sediou em abril passado a 18ª edição da maior feira de carros antigos do planeta, a Techno Classica. Os números são efetivamente superlativos: mais de 1.000 expositores de 15 países, entre colecionadores, vendedores de veículos antigos e museus, e mais de 2.000 carros clássicos divididos em 19 salões de exposição. Em 2005, o número de visitantes superou os 140 mil, número alto considerando a duração do evento, de apenas cinco dias.

Nessa cobertura, o WebMotors conta pela primeira vez com a ajuda do site Barchetta www.barchetta.cc, que esteve presente ao evento e gentilmente nos cedeu algumas fotos. Visitando esse site parceiro, é possível ver mais de 200 fotos do evento, todas tiradas por Andreas Birner. Vale a pena uma visitinha.

Apesar do caráter comercial do evento, com a presença de muitos empresários que fizeram dos carros clássicos um negócio, colecionadores e admiradores não perderam a chance de ver, lado a lado e num espaço único, alguns dos carros mais raros e bonitos de todo o mundo. A Techno Classica contou com o apoio inclusive das maiores fabricantes de automóveis da Alemanha, como a Volkswagen e suas empresas Audi, Lamborghini e Bugatti, a DaimlerChrysler e a BMW. Cada uma delas reservou espaços enormes para mostrar a importância que dão a suas histórias.

A BMW focou sua exposição em seus modelos roadster, inclusive no mais reverenciado de todos, o 507. Produzido em pequena escala, o modelo é hoje muito valorizado, inspirando inclusive a criação de réplicas de altíssima qualidade. Mas como o mais divertido é ter o original, a marca da Baviera levou um belo exemplar na cor vinho ao evento.

Além do 507, dividiam a atenção dos visitantes o Z1, o Z3, o Z4 e o Z8, modelo que, apesar de recente, é um dos mais bonitos já criados em todos os tempos. Como parece ser tradição com os roadsters mais sofisticados da empresa, esse não foi nenhum sucesso comercial devido ao preço alto. Sorte de quem conseguiu comprá-lo. Ele é candidato fortíssimo a se tornar um clássico.

A Techno Classica serviu para a BMW como uma forte vitrine diante do mundo antigomobilista. Famosa por preservar seus veículos, mesmo os mais antigos, a marca construiu, praticamente do zero, um BMW 2002 tii modelo 1974, ano 2006! Se você quiser saber mais sobre essa história genial, clique aqui.

Além dos roadsters, a empresa mostrou também um pouco da história do Mini, modelo inglês com um carisma semelhante ao do Beatles. Conhecido por sua excelente dirigibilidade, o Mini encontrou na BMW uma hábil administradora, tendo tido um novo carro inspirado nele lançado na Europa e nos EUA com motor Tritec, fabricado no Brasil. O sucesso do novo carrinho, visto aos montes em todos os países da Comunidade Européia, enche os alemães de orgulho, apesar de muitos ingleses não terem gostado muito da idéia de ver um dos ícones de sua cultura controlado por germânicos. Herança de guerra, infelizmente.

A pioneira DaimlerChrysler mostrou em seu estande o modelo que lhe garantiu a primazia no mundo dos carros, o Patent Motor Car de 1886, o primeiro automóvel do mundo, inventado por Karl Benz e Gottlieb Daimler. Doado ao Museu Alemão de Munique em 1906, essa é a primeira vez que o triciclo motorizado deixou sua morada em 100 anos. Para quem pôde estar presente, foi um privilégio e tanto. No mesmo estande, o carro biônico, com formas inspiradas no baiacu, dava um toque de modernidade.

A Volkswagen é que acabou não mostrando muito suas preciosidades, servindo de coadjuvante ao brilho das marcas que controla. A Audi, por exemplo, levou ao evento representantes das quatro marcas que deram origem às quatro argolas que ela hoje ostenta em seu logotipo: Horch, Wanderer, DKW e a própria Audi. A estrela certamente foi um modelo de corrida Flecha de Prata, impecável, com sua carroceria reluzente explicando sem a necessidade de palavras as razões para seu nome.

Entre os representante da Wanderer estavam um W 25 K e um Streamline, enquanto a Audi levou o Front 225 Special Cabriolet e o seu primeiro automóvel com motor de oito cilindros, um Tipo R 19 Imperator, de 1929, com 5,16 m de comprimento. No caso desse carro, era a primeira aparição dele desde sua restauração, o que deu ao público um gostinho especial de exclusividade.

Havia nos estandes da Volkswagen também o maior representante da excelência técnica alemã, “encarroçada” no Bugatti Veyron, o carro mais rápido e mais caro do mundo atualmente em produção. A seu lado, um recordista de velocidade, o Volkswagen W12, que já mostrava as intenções da empresa anos antes. Em outros estandes, uma das primeiras tentativas de reviver a marca Bugatti se exibia. O EB110, meio desajeitado, também primava pela velocidade.

Italianos

Apesar de a festa ser na Alemanha, havia espaço para outras estrelas brilharem, como as italianas. Foi o caso de dois Ferrari, um 250 GTE e um 410 Coupé Superamerica Série 3, recentemente premiados no Concorso D’Eleganza Villa D’Este.

Outro italiano digno de nota é o Lancia Stratos, famoso por sua perfomance em ralis e por ter sido reproduzido pela marca de brinquedos Estrela como um carrinho de controle remoto famoso nos anos 80. Alfa Romeo e Maserati completaram o espetáculo.
_______________________________
E-mail: Comente esta matéria

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors