Você compraria? Veja 5 conversíveis controversos

Selecionamos modelos com capota retrátil que dividem opiniões em relação ao visual e à proposta de uso. Confira

  1. Home
  2. Cultura WM1
  3. Você compraria? Veja 5 conversíveis controversos
Redação WM1
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Carro conversível é um convite para rodar com sensação de liberdade, com modelos dessa categoria listados entre os carros mais desejados do planeta. No Brasil, hoje não existe nenhum modelo nacional de grandes montadoras, mas nos anos 80 e 90 o Ford Escort XR3 e o Chevrolet Kadett GSi conversíveis marcaram época - hoje, um exemplar em bom estado desses modelos é bastante valorizado.

Mas conversíveis nem sempre são sinônimo de estilo e esportividade. Tem alguns exemplos de carros com capota retrátil que acabam dividindo opiniões, no mínimo, por conta do desenho inusitado ou por reunirem características normalmente não associadas a um carro cujo teto pode ser recolhido. Já imaginou um SUV com esse recurso? Pois não existe apenas o Range Rover Evoque, há outros exemplos.

Você pode até se surpreender, mas existe até picape com teto que pode subir ou descer ao gosto do condutor. Selecionamos aqui cinco exemplos de conversíveis controversos, diferentes e, por que não dizer, até bizarros, dependendo do gosto do freguês.

Range Rover Evoque

Que tal um SUV compacto com capota retrátil? Na esteira do sucesso do Evoque, a Land Rover decidiu criar uma versão com essa característica, lançada no Brasil em março de 2017, com o mesmo motor 2.0 turbo de 240 cv de outras configurações e câmbio automático de nove marchas, com tração integral. O estilo arrojado até agrada, mas a capota de lona com acionamento elétrico reduz a capacidade do porta-malas de 575 litros para apenas 251 litros, menos que a do compartimento de carga de um Volkswagen Gol. O espaço no banco traseiro também é reduzido.

Nissan Murano CrossCabriolet

icon photo
Legenda: 2014 Nissan Murano Crosscabriolet
Crédito: Divulgação

O SUV médio-grande Murano chegou a ser vendido no Brasil, onde saiu de linha em 2010 por conta das baixas vendas. Nos Estados Unidos, a Nissan descontinuou recentemente o estranho Murano CrossCabriolet, versão conversível com tração nas quatro rodas e motor V6 de 264 cv de potência. A capota retrátil é de lona. A Nissan tem um histórico de modelos inusitados com teto retrátil, tendo lançado configurações conversíveis do Juke, SUV compacto que também já deixou de ser produzido, e para o Micra, o nosso March.

Chrysler PT Cruiser Cabriolet

icon photo
Legenda: Chrysler Pt Cruiser Cabrio
Crédito: Divulgação

Já vendido oficialmente no Brasil, o PT Cruiser convencional já divide opiniões com seu estilo retrô de "carro de mafioso", cheio de linhas arredondadas e com carroceria mesclando elementos de minivan com SUV. Entre 2005 e 2008, a Chysler produziu uma versão com capota retrátil de lona, que fica exposta quando recolhida, como em calhambeques dos anos 30. Na adaptação, o PT Cruiser ganhou uma espécie de santantônio fixo entre os bancos dianteiros e traseiros, deixando o visual ainda mais estranho. Com a fusão entre a Fiat e a Chrysler, o Cruiser com capota fixa deixou de ser produzido em 2010.

Chevrolet SSR

icon photo
Legenda: Chevrolet SSR
Crédito: Divulgação

Esse modelo da Chevrolet, comercializado nos Estados Unidos durante os anos 2000, traz estilo retrô e formas redondas como o PT Cruiser, mas vai mais longe no quesito bizarrice. Isso porque, além do desenho controverso, é uma picape com teto rígido retrátil produzida entre 2003 e 2006. Com apenas dois lugares, pelo menos não faz feio quando se trata de desempenho: a versão final traz embaixo do capô motor 6.0 V8 LS2 de 395 cv de potência, com transmissão manual de seis velocidades para garantir a diversão. Nessa configuração, a fabricante diz que o SSR é capaz de sair da imobilidade e atingir os 96 km/h em apenas 5,5 segundos.

Subaru WRX STI Conversível

icon photo
Legenda: 2011 Subaru WRX STI conversível
Crédito: Divulgação

O Subaru WRX STI é um sedã esportivo de alta performance, desenvolvido com a experiência da Subaru no WRC, o campeonato mundial de Rali da FIA, do qual foi campeã em três oportunidades. O exemplar em questão, modelo 2011, não é conversível de fábrica: foi transformado pela customizadora Newport Specialty Cars, da Califórnia. O estranho nesse carro é que ele manteve as quatro portas e as colunas centrais, que servem para sustentar um santantônio. Fica ainda mais bizarro o fato de o esportivo manter a enorme asa traseira do modelo original.

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors