Argentina e Brasil, parceiros também na crise

Dependentes um do outro, países não conseguem superar mal momento do mercado
  1. Home
  2. Bolso
  3. Argentina e Brasil, parceiros também na crise
Auto Informe
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

IMAGE

Um salão fraco, esse de Buenos Aires, que é o segundo maior do continente, representando o segundo maior mercado também. O problema é que, assim como no Brasil, o setor automobilístico na Argentina passa por maus bocados.

 

A queda de vendas de janeiro a maio, comparada com o mesmo período do ano passado, é de 9%. Pouco em comparação com o Brasil, que já registra uma queda de 21%. Acontece que a Argentina já vem de um patamar de baixa. No ano passado as vendas caíram 35% por aqui.

 

O setor foi atingido em cheio pela legislação do país que sobretaxou os bens de luxo. Os carros maiores e mais equipados tiveram aumentos expressivos e as vendas caíram.

 

Assim, a importação também caiu (13%), prejudicando o Brasil, que é o maior fornecedor de carros para o país.

 

Os dois países são muito dependentes um do outro, onde muitas montadoras mantêm fábricas que complementam o portfólio dos dois mercados. A queda das exportações brasileiras é resultado da situação no país vizinho, e vice versa.

 

A expectativa da indústria automobilística argentina é fechar 2015 com produção de pouco mais de 500 mil carros e vendas entre 550 e 600 mil.

 

Muito pouco para quem já chegou perto de um milhão de unidades por ano.

 

Consulte o preço de carros novos e usados na Tabela Fipe WebMotors.

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors