C4 chega para compradores de A3

Citroën lança o hatch por R$ 69,8 mil, apostando na queda do segmento de sedãs
  1. Home
  2. Bolso
  3. C4 chega para compradores de A3
Luís Figueiredo
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- Uma semana depois de ser apresentado o novo Audi A3, que agora será importado e custará mais caro, é lançado no Brasil o Citroën C4, modelo que quer ocupar o espaço deixado pelo A3 nacional. A idéia, a princípio estranha, é reforçada pelo discurso de Sergio Habib, presidente da marca francesa no Brasil. Segundo Habib, o modelo Audi deixou vários consumidores desamparados, já que o modelo novo custará aproximadamente R$ 40 mil a mais do que o fabricado no Paraná. Nesse espaço surge o C4 VTR, cuja proposta é ser um modelo de nicho, oferecendo, por R$ 69.800,00, uma nova opção a quem não quer investir seu dinheiro num hatch médio como Chevrolet Astra, VW Golf ou Fiat Stilo, tampouco em um sedã Toyota Corolla, Honda Civic.

As estimativas de vendas são modestas - 400 unidades por mês -, o que dá respaldo à estratégia da Citroën. Também colabora para essa tese o fato de o C4 ter oferecido apenas na versão VTR, com 3 portas. A de 5 portas virá ano que vem, depois do sedã; ambos deverão ser fabricados na Argentina. O modelo apresentado nesta segunda-feira 11 de setembro vem da França.

Fabricado sobre a mesma plataforma do Peugeot 307, o C4 também compartilha com seu "irmão" o motor, um quatro-cilindros de 2 litros de cilindrada, 16 válvulas, potência de 143 cv a 6.000 rpm e 20,4 kgfm de torque a 4.000 rpm. Essa unidade possui comando de válvulas variável na admissão, o que lhe confere elasticidade e proporciona agradável dirigibilidade ao C4.

A suspensão do Citroën é independente na dianteira, tipo McPherson, com eixo de torção na traseira. Sua direção possui assistência eletroidráulica regressiva, sensível à velocidade quanto mais rápido, menos assistência, tornando-se firme.

Destaca-se pela quantidade de equipamentos de série outro apelo a ocupar o lugar do A3. Traz 6 airbags; toca-CD com leitor de arquivos MP3; computador de bordo; sensores de auxílio ao estacionamento; freios a disco nas quatro rodas com ABS e assistência á frenagem; controles de tração e estabilidade; sensores de luminosidade e de chuva. Entre os opcionais há faróis de xenônio com fachos direcionais; rodas de liga leve e revestimento de couro para os bancos.

O acabamento do C4 pode ser apontado como um dos impedimentos para a realização da teoria de Habib. Em comparação ao A3, modelo citado como referência, o francês fica devendo. Embora ofereça bom espaço interno, acomodando bem passageiros no banco de trás, ainda que altos. Posição de dirigir é adequada, auxiliada pela regulagem de altura e profundidade do volante que tem como novidade o fato de girar apenas o aro, não seu centro, que é fixo e encerra vários comandos.

Resta saber se os consumidores "órfãos" da Audi trocarão o alemão pelo francês, validando a teoria da Citroën.
_______________________________
E-mail: Comente esta matéria

Envie essa matéria para uma amigoa

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors