Chevrolet reajusta preço de todos os seus modelos

Marca justifica o aumento médio de 4% devido à disparada do dólar, que já ultrapassou os R$ 5

  1. Home
  2. Bolso
  3. Chevrolet reajusta preço de todos os seus modelos
Redação WM1
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

O que era esperado realmente se confirmou. A Chevrolet anunciou reajuste de 4% no valor de todos os seus carros vendidos no Brasil. De acordo com a marca, o aumento foi necessário por conta da disparada do dólar, que já ultrapassou a barreira dos R$ 5.

A marca justifica que, apesar de serem produzidos no Brasil, cerca de 40% dos componentes de muitos veículos ainda é importada. Agora, o carro mais barato da General Motors no Brasil custa R$ 52.150.

Trata-se do Joy, a antiga geração Onix. O aumento foi de R$ 2 mil em relação preço anterior. O novo Onix também está mais caro. Agora parte de R$ 53.050 equipado com motor 1.0 aspirado.

Novo Tracker azul de frente estacionado no campo de provas da GM e um céu infinito ao fundo
icon photo
Legenda: Novo Tracker ganhou visual mais agressivo, inspirado na nova identidade visual da marca
Crédito: Divulgação

Recém-lançado, o novo Tracker não escapou do aumento. O SUV passou a custar a partir de R$ 85.290, acréscimo de R$ 3.290 pelos R$ 82 mil cobrados no lançamento. A Premier, topo de linha, também ficou mais cara: foi dos R$ 112 mil para R$ 116.490, R$ 4.490 a mais.

Chevrolet Spin Activ 2019
icon photo
Legenda: Chevrolet Spin Activ 7 beira os R$ 100 mil
Crédito: Divulgação

A Spin Activ 7 custa agora impressionantes R$ 98.290. O modelo pode beirar os R$ 100 mil se for pintado com as cores metálicas opcionais. No Equinox, o aumento foi de R$ 5.190. Agora, o SUV médio custa a partir de R$ 135.190.

icon photo
Legenda: Chevrolet Camaro foi o único modelo da marca que não ficou mais caro

Utilitário mais caro da GM, o Trailblazer está R$ 9.940 mais caro e parte de R$ 257.490. Os únicos que mantiveram os preços foram justamente os importados fora do México. O Camaro cupê e conversível custa R$ 344.090 e R$ 382.850, respectivamente. As unidades fazem parte do lote importado antes da disparada do dólar.

 

Comentários