Logo WM1

O canal de notícias da Webmotors

Limpar buscar

Guia de compra - Nissan Frontier

Leia aqui as melhores dicas para a compra desta picape
  1. Home
  2. Bolso
  3. Guia de compra - Nissan Frontier
Alexandre Ramos
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- Em 1998, a Nissan resolveu apostar no mercado brasileiro de picapes e passou a importar do Japão a Frontier. Confira na última foto ao lado o modelo em versão japonesa, com volante à direita. Mesmo com vendas tímidas durante quatro anos, a empresa japonesa acreditou ainda mais no potencial nacional, decidindo fabricar uma versão remodelada da picape em sua unidade localizada em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba, PR.

A nova Frontier passou a ser vendida em junho de 2002, conquistando espaço nesse disputado segmento. No ano seguinte, foi a terceira picape média mais vendida do país, atrás da Chevrolet S10 e da Mitsubishi L200, à frente de Ford Ranger e Toyota Hilux, na ordem. Mas em 2004 a picape Nissan passaria a seu ritmo de vendas atual, em torno de 550 unidades/mês. Caiu para o 5º e último lugar entre as picapes, posição repetida em 2005. Ano passado o resultado foi ainda inferior: 3.841 vendidas, o que dá a média aproximada de 320 unidades/mês.

Mas a fábrica já prepara uma reviravolta para a Frontier. Em dezembro anunciou o lançamento da série "Limited Edition", de apenas 200 unidades, por R$ 130 mil. Toda reestilizada, a picape ganhou o motor de 2,5 litros/174 cv do Pathfinder. Deve ser lançada oficialmente ainda em 2007. Leia mais aqui.

Em relação à versão importada, as principais novidades da Frontier nacional se concentravam na dianteira, traseira e painel redesenhados, mas talvez o principal atributo estivesse na motorização. Se antes era um motor de 2,5 litros turbodiesel de 104 cv até 2000 era de 3,1 litros aspirada, de apenas 103 cv, agora estávamos falando de um motor de 2,8 litros fabricado pela MWM, o 4.07TCA, com 132 cv de potência – o mesmo utilizado pela concorrente S120. Esteticamente não houve qualquer alteração desde o lançamento do modelo, há quase cinco anos.

Inicialmente havia apenas a versão de cabine dupla e quatro portas, nas versões XE que vinha de série com direção hidráulica, travas elétricas, ABS etc e SE que acrescentava ar condicionado, airbags dianteiros, rodas de liga leve, CD player etc. A tração podia ser 4x2 ou 4x4.

As séries especiais se tornaram uma marca registrada da linha Frontier no Brasil, numa iniciativa que teve início logo no primeiro ano de produção. A XE Titanium, que contava com grande quantidade de acessórios, rodas pintadas na cor grafite ou “titânio”, se preferir..., foi a primeira delas. A SE One, que comemorava um ano de produção da picape em solo nacional, veio em 2003 e apresentava defletor de teto, protetor de caçamba, estribos laterais, forração em couro etc. A versão básica XE também foi oferecida com o mesmo “pacote” de acessórios da Titanium numa série de apenas 100 unidades.

Ainda em 2003 a Nissan passou a oferecer a Frontier com cabine simples, apenas na versão básica SE, mas ainda com opção de tração 4x2 ou 4x4. Terminou? Não, pois no mesmo ano é oferecida mais uma série especial. Dessa vez é a SE Strike 4x4, que contava com bagageiro tubular, revestimento em couro, disqueteira para seis CDs etc.

Para 2004 é apresentada a SE Serrana, com estribos e pára-barros rígidos nas quatro caixas de roda, que contrastavam com os tapetes de veludo... Uma curiosidade é que esse modelo era acompanhado de um relógio de pulso exclusivo. Em setembro de 2005 o motor da Frontier evolui, ganhando injeção eletrônica de combustível por galeria única – alteração que visa economia e atender a legislação de emissões. Vantagem na potência, que sobe a 140 cv, mantendo a cilindrada de 2,8 litros.

Uma característica sempre discutida da Nissan Frontier preferida por uns, condenada por outros é o acionamento da tração 4x4 por alavanca, no assoalho ao lado da alavanca de câmbio. As concorrentes S10 e Ranger oferecem acionamento por botão no painel mais cômodo, mas considerado menos confiável. A suspensão dianteira independente por braços triangulares superpostos é também motivo de reclamações, por seu comportamento “arisco”. A suspensão traseira segue o padrão das picapes médias, com eixo rígido e molas semi-elíticas.

Como todo bom carro de linhagem japonesa, a Frontier não gosta muito de oficina e, por isso mesmo, não dá trabalho. Carro de poucos defeitos notórios, tem no fato de ter uma versão 4x4 o maior motivo de cuidados na hora da compra, pois isso pode significar um uso mais severo. Olho vivo na caçamba, que em algumas versões não vem com proteção, além da presença de terra em frestas, na parte inferior do chassi e no compartimento do motor. As séries especiais, ao contrário do que costuma acontecer no mercado, não são desvalorizadas em relação às versões que as originaram. Aliás, na maior parte dos casos apresentam o mesmo valor ou são até mesmo um pouco mais caras.

Outro lembrete importante: o espaço traseiro das versões quatro portas é bem tímido, o que pode trazer desconforto para pessoas de maior estatura. Antes de optar por uma, verifique se todo mundo vai ficar bem acomodado. Boa sorte!

Comprando uma Frontier usada

A suspensão da Frontier já teve de passar por um retrabalho, orientado pela fábrica e realizado em concessionária, pois era considerada dura demais, principalmente em uso urbano. Isso fazia com que a traseira da picape “saltasse” demais. Daí também surgem os ruídos, principalmente na suspensão traseira. Na dianteira os braços inferiores podem vir a apresentar problemas de desgaste acentuado nas buchas, o que inclusive foi alvo de uma espécie de recall por parte da empresa em junho de 2006, nos modelos fabricados entre 2002 e 2004 chassi 2J302212 a 4J496833.

Nas versões equipadas com bancos de tecido, o revestimento é de qualidade duvidosa, o que gera algumas reclamações por parte dos proprietários. O material de fato é fino e pouco resistente, não combinando muito com um carro dessa categoria. Nas unidades usadas em percursos fora de estrada, as partes do veículo onde estão presentes guarnições de borracha podem apresentar marcas de entrada de poeira – o que colabora justamente para identificar o uso do veículo em trilhas.

Mais um motivo de recall de modelos 2005 chassi 94DCMGD22-2J302212 a 94DCMUD22-5J613982, o macaco pode apresentar problemas na hora de trocar o pneu e causar a queda do veículo. Verifique se o carro que está sendo comprado passou pela concessionária ou se faz parte do lote que pode apresentar o problema. Evite a compra modelos sem ar-condicionado, pois na hora da venda a coisa se complica. Principalmente se o carro tiver tudo, menos o condicionador de ar. Carros que apresentam marcas de trilha também merecem atenção cuidadosa. Não precisam ser propriamente evitados, mas devem ter o manual com todas as revisões em dia, no mínimo. Sinal de cuidado com o veículo e menos dores de cabeça para o comprador. Boa sorte!

A Frontier importada

Em 1998 a Nissan passou a oferecer a Frontier importada para o mercado nacional. Inicialmente era disponível nas versões básica DX e top AX. Ambas de quatro portas, com motor de 3,1 litros aspirado e potência de 103 cv. Com isso o desempenho da picape deixava a desejar, principalmente quando carregada. Mas trazia como pontos positivos o ar condicionado, toca-fitas, bancos individuais na versão mais cara, que era vendida por cerca de US$ 35 mil. Em 2001 surge a versão com nova motorização, de 2,5 litros turbodiesel. A potência era de 104 cv, o que ainda deixava a picape lenta, mas o maior torque 24,5 kgfm contra 21,6 kgfm da versão anterior conferia um pouco mais de agilidade.

Gosta da Nissan Frontier?

Então veja aqui em nossos estoques as melhores ofertas para esta picape e suas principais concorrentes:

Nissan Frontier

Chevrolet S10

Ford Ranger

Mitsubishi L200

Toyota HiluxBMW Série 5
Audi A4
Citroën Xsara Picasso
Chevrolet Calibra
Chevrolet Omega
Chevrolet Zafira
Chevrolet Celta
Chevrolet Astra - 1995-2006
Chevrolet Vectra II - 1996-2005
Chevrolet Corsa 1994-2005
Daewoo Espero
Fiat Stilo
Fiat Palio 2001-2004
Fiat Palio 1996-2000
Fiat Brava
Fiat Uno Mille
Fiat Palio Weekend
Ford Ka
Ford Focus
Ford Fiesta - 1995-2002
Ford EcoSport
Honda Civic - 1997-2005
Honda Accord
Kia Sportage
Land Rover Defender
Mitsubishi Eclipse 2G
Peugeot 206
Peugeot 307
Renault Scénic
Toyota Corolla - 1998-2002
Toyota Hilux
Toyota Hilux SW4
VW Polo Classic
VW Polo
VW Golf
VW Parati
VW Gol Geração III
VW Gol Geração II
VW Gol BX - Geração I_______________________________
Receba as notícias mais quentes e boletins de manutenção de seu carro. Clique aqui e cadastre-se na Agenda do Carro!
_______________________________
E-mail: Comente esta matéria

Envie essa matéria para uma amigoa

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors