Guia de Compras: Chevrolet Astra Sedan

Consulte todas as informações sobre o Chevrolet Astra Sedan
  1. Home
  2. Bolso
  3. Guia de Compras: Chevrolet Astra Sedan
Fernando Garcia
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon


Você tem a intenção de comprar um carro mais completo, confortável e espaçoso que o seu compacto básico, mas seu orçamento está curto e não importa de o modelo não ser mais fabricado? Neste caso, porque não optar pelo Astra Sedan?

Ele foi lançado em fevereiro de 1999 nas versões GL com motor 1.8 de 110 cv, GLS 2.0 com 112 cv e a topo GLS 2.0 16V que rendia 128 cv. A mais simples tinha acabamento espartano e nem sequer oferecia o tacômetro como opcional. Já a GLS contava com trio elétrico, rodas de alumínio 185/65 R 14, relógio digital, direção eletro-hidráulica, comando elétrico da abertura da tampa do porta-malas e bocal do combustível, luz de cortesia do porta-malas e opcionalmente computador de bordo, teto solar, freios antitravamento (ABS) e air-bag. Esteticamente a opção GLS com motor 16V era diferenciada da GLS 8V apenas pelas rodas 195/60 R15 e faróis de neblina.

Em outubro do mesmo ano, foi lançada a série Milenium baseada na versão GL e disponibilizada apenas na cor prata Escuna. Vinha com ar-condicionado, trio, rodas da GLS 8V, frisos e maçanetas pintadas na cor do carro, faróis de neblina, apoios de cabeça traseiros, abertura elétrica do porta-malas por controle remoto e conta-giros.

A série limitada 500 do Astra veio em 2000 em comemoração aos 500 anos de Brasil. Ofertada apenas na cor bege Imperial, vinha com motor 2.0 16V, bancos exclusivos em couro, acabamento imitando madeira no console e volante, além de novo painel de instrumentos. No conforto, prevaleciam os mesmos equipamentos da GLS, porém com check control, computador de bordo, regulagem elétrica dos faróis e CD-player. No ano seguinte, a GL passava a dispor de conta-giros, volante com regulagem em altura e profundidade, calotas totais, iluminação no porta luvas e porta malas, além da alteração de potência da GLS 2.0 16V, passando a oferecer 136 cv.

A série especial Advantage (baseada na GLS 2.0 16V), chegou em 2001. Vinha a mais luz de neblina nos faróis e lanternas, computador de bordo, ar-condicionado, faróis com regulagem elétrica e pintura perolizada (azul Darsena ou cinza Pontal). No final deste ano chegou a linha 2002 que ganhou a transmissão automática de quatro marchas para o GLS 2.0 8V com 4 cv a mais e a opção 1.8 só era oferecida com motor a álcool, destinada a taxistas. Já a 2.0 Expression veio pouco depois, com os mesmos itens de série da Milenium. No final de 2002, é lançada a linha 2003 a qual passa por uma reestilização profunda na frente e traseira e as opções de motor são restringidas apenas ao 1.8 (álcool) e 2.0 8V, esta com as opção do pacote CD (em substituição a GLS) que incorporava o air-bag lateral, ar-condicionado digital e piloto automático. Em abril de 2004 são lançadas as versões MultiPower (gasolina, álcool e gás GNV), destinada a taxistas, e a estreia da FlexPower (127,6 cv com gasolina e 121 cv com álcool) já como linha 2005 que passa a ser batizadas: Comfort, Elegance e Elite que entraria no lugar da CD. Todas vinham com ar-condicionado, trio elétrico e direção hidráulica. Air-bag laterais, ABS com EBD (distribuição eletrônica de frenagem), CD player e assentos em couro eram itens exclusivos da Elite.  Em 2006, surge a Advantage - que duraria somente até 2011.

DE OLHO NA COMPRA:

A grande vantagem do Astra Sedan é que ele tem a mesma mecânica robusta e confiável do Monza, o que quer dizer peças mais baratas. Por menos de R$ 20.000 é possível encontrar modelos bem recheados com ar-condicionado, freios a disco nas quatro rodas com ABS, teto-solar e computador de bordo. Porém, se você prima pela economia, este sedã poderá decepcioná-lo, já que ele faz a média de 7 Km/l na cidade. Mas, apesar disso, é um carro bastante elogiado pelos seus proprietários.

Na hora de você for ver o modelo, a dica é comprar as versões mais caras como a 2.0 GLS ou Elite. Com mais equipamentos que o modelo de entrada, custa um pouco mais que os modelos mais básicos, têm motor com melhor torque e consumo semelhante ao do 1.8. Repare se todos os comandos elétricos estão funcionando perfeitamente, como ar-condicionado, vidros, travas e principalmente o computador de bordo que costuma apresentar defeitos com certa frequência. Esqueça as versões equipadas com a direção eletro-hidráulica, produzidos de 1998 até 2001, que também apresenta constantes problemas e seu custo acaba saindo muito caro. Evite a cor branca, muito comum nos taxis o que na hora da venda são facilmente “camuflados” por alguns vendedores. Desconfie de unidades mais antigas, pouca rodada e, observe bem o estado das borrachas de vedação de portas, estofamentos, volante, manopla do câmbio e pedais para certificar-se da verdadeira quilometragem. Fuja também de cores vibrantes como o vermelho (Radar e Carena), verde (Esquadra e Regata) e amarelo (Cais).  Apesar de raros no mercado, se você for comprá-los, pode ter certeza que é casamento na certa.

Nas primeiras unidades, fabricadas em 1999, não é difícil encontrar problemas nas fechaduras das portas e porta-malas que costumam não abrir. A dica é aplicar algum óleo desengripante. Se o problema persistir, pode ser que o miolo da fechadura esteja quebrado.

Nas versões equipadas com computador de bordo, com o tempo é comum a falha na leitura do display, por conta da queima dos leds presentes no mostrador digital prejudicando desta forma a leitura dos caracteres.

Outro componente que precisa de atenção redobrada é o conjunto da suspensão. Alguns donos reclamam de ruídos, o que pode ser, em alguns casos, a bieleta ou tirante da suspensão como é conhecido popularmente e que no caso de algumas unidades do Astra a peça é feita de termoplástico. A peça é ligada entre o amortecedor e a barra estabilizadora e com o tempo pode apresentar folgas ou trincas (devido ao mau uso) ocasionando os indesejáveis barulhos pelo conjunto da suspensão. A solução, dependendo do caso é substituir por outras de metal, mais resistentes a trincas e quebras.

Outra queixa comum é do aquecimento. Não é difícil apresentar este defeito, proveniente da válvula termostática, bomba d´água ou mesmo do sensor de temperatura que caso estiver defeituoso, não manda resposta à ventoinha deixando de fazer a devida refrigeração do motor. Por outro lado, às vezes, o problema pode estar numa simples limpeza no sistema de refrigeração ou reposição de água destilada no reservatório se estiver no nível abaixo do recomendado. Boa compra!

OUTRA OPÇÃO DE USADO É: VOLKSWAGEN POLO SEDAN

Se você não gosta muito do estilo conservador e comportado do Astra, o sedã da VW agrada em cheio, principalmente por ter projeto mais atual. Ele foi lançado no final de 2002 (já modelo 2003) e oferecido em duas versões: básica que já vinha com itens inexistentes em concorrentes como direção eletro-hidráulica e ar-condicionado. Já a top Highline era acrescida de computador de bordo, porta-copos retrátil, frisos e maçanetas pintados na cor da carroceria etc. Na motorização, havia duas opções: 1.6 (101,5 cv) e 2.0 (116 cv) sem a tecnologia flex, que só viria em 2004 para o 1.6 (101/103 cv) e em 2009 para o 2.0 (116/120 cv).

Uma das características da linha Polo é o ótimo desempenho das duas motorizações, principalmente com o ar-condicionado ligado. E o que dizer de seu porta-malas então? Com capacidade de volume de carga de até 432 litros, tem só 28 litros a menos que o Astra Sedan, levando em consideração as dimensões de 4,19 contra 4,34 cm do carro da GM. A desvalorização do VW é menor, assim como o valor do seguro: sai em média 33% a menos.

Já as mesmas qualidades não se podem dizer da maciez de sua suspensão que no caso do Astra Sedan, a calibração dos amortecedores é mais bem resolvida. Outro ponto negativo é o excesso de ruídos na suspensão que muitos costumam encapar as molas diminuindo desta forma o atrito entre a mola e o batente.

Consulte preços de carros novos e usados na Tabela Fipe e WebMotors.

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors