Indústria de olho nos 240 mil contemplados

Anfavea, Fenabrave e Abac unem-se para setor recuperar vendas
  1. Home
  2. Bolso
  3. Indústria de olho nos 240 mil contemplados
Auto Informe
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

IMAGE

A crise na indústria automobilística não é segredo para ninguém. As vendas na primeira quinzena de abril mantiveram o volume baixo, seguindo o ritmo dos meses anteriores.

 

Diante deste cenário, Anfavea, Fenabrave e Abac se uniram e criaram o Festival do Consorciado Contemplado, que vai oferecer condições especiais para 240 mil pessoas, que já foram contempladas, mas não utilizaram a carta de crédito.

 

Essas 240 mil pessoas serão informadas do festival, que começa no dia 1 de maio e vai até 15 de junho. A ação conta com as seguintes montadoras: Audi, DAF, FCA, Honda, Caoa, Iveco, General Motors, Man, Scania, Toyota e Volkswagen.

 

As onze empresas oferecerão condições especiais de compra para os contemplados, porém, essas condições não foram divulgadas e cada marca terá a sua linha de desconto ou melhorias na hora da venda.

 

O fato intrigante deste festival é que as empresas associadas não divulgaram qual a linha de descontos serão passadas aos clientes, quer dizer, os benefícios podem ser um desconto no preço final do carro, itens opcionais ou um presente qualquer.

 

Porém, a expectativa é de que os benefícios para os contemplados façam diferença na hora da compra, estimulando as pessoas a usarem a carta de crédito.

 

Segundo Luiz Moan, presidente da Anfavea, a intenção é que as empresas concorram entre si por condições melhores: “Cada montadora oferecerá o seu tipo de condição especial, concorrendo entre elas serem mais atraentes aos olhos do comprador”.

 

A intenção é estimular essas pessoas a usarem o seu crédito disponível para compra de um carro novo. Se todos aderirem ao sistema, a indústria teria um 13º mês de vendas.

 

Moan reforçou que é necessária a união entre órgãos oficias do setor, para que a indústria retome o crescimento o quanto antes: “O festival é uma amostra de que as relações entre as entidades do setor estão estreitas”.

 

Luiz Moan, também comentou que o grupo este trabalhando em alguma ação que promova a entrada de novos consorciados, oferecendo benefícios.

 

O consórcio é a única modalidade de venda que apresentou crescimento este ano, no primeiro bimestre o sistema registrou 8% a mais de novos participantes. No trimestre, as vendas por consórcio representaram cerca de 23% do total vendido.

 

Com relação ao mercado no geral, os presidentes das três entidades mostraram ter a mesma opinião, eles não estão pedindo incentivos do governo para o setor, mas para toda a economia: “Precisamos que o governo faça a economia girar, pois com o PIB indo bem, a indústria consegue vender; se vai mal a indústria é afetada”, comentou Alarico Assumpção, presidente da Fenabrave.

 

O presidente da Anfavea complementou:

 

“Nós precisamos que os ajustes fiscais sejam divulgados o quanto antes, para que a economia comece a trabalhar dentro dessas mudanças. Precisamos saber das novas regras para conseguirmos jogar o jogo”.

Comentários