Bateria do carro elétrico acabou. O que fazer?

Carro elétrico não sofre "pane seca" e processo de guincho pode ser mais complicado por falta de postos de abastecimento

  1. Home
  2. Graxa
  3. Bateria do carro elétrico acabou. O que fazer?
André Deliberato
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Ficar sem combustível no meio da rua, embora seja algo passível de multa, é até comum de se ver, especialmente em veículos mais antigos. Mas e quando acaba a bateria de um carro 100% elétrico, o que deve ser feito, já que não dá para resolver a situação com um simples abastecimento líquido?

A resposta é praticamente a mesma: é preciso rebocar o carro até a tomada ou o ponto de abastecimento mais próximo. É aí que começa o problema, já que mesmo em grandes metrópoles, como São Paulo e Rio de Janeiro, ainda há poucos locais para recarga de carros elétricos.

O que dizem os especialistas

Mesmo que o procedimento seja relativamente simples (e também passível de multa se flagrado por um agente da CET, bem como quando acontece com carros com motor a combustão), o processo de remoção de um carro elétrico até a tomada de recarregamento pode ser mais demorado justamente pela pouca quantidade de postos de abastecimento.

De acordo com Adalberto Maluf, presidente da ABVE, Associação Brasileira do Veículo Elétrico, o motorista do carro elétrico precisa ter cautela justamente para que essa situação não aconteça. Afinal, são raros os lugares que têm pontos de recarga - e em muitos deles, como vagas específicas de shoppings, o caminhão do reboque não consegue chegar.

 Jaguar I-Pace, SUV elétrico de luxo, tem autonomia de aproximadamente 400 km. E se acabar?
Legenda: Jaguar I-Pace, SUV elétrico de luxo, tem autonomia de aproximadamente 400 km. E se acabar?
Crédito: Divulgação

"A recomendação é ficar sempre ligado, pois o carro avisa quando a bateria está acabando. E mesmo quando ela 'acaba', na maioria deles não acaba 100%. O carro elétrico tem uma artimanha para não fazer o motorista ficar na rua: aos poucos vai tirando a potência do motor. Ideal é carregar até 90%, já que dificilmente a bateria chega até os 100%, e circular sempre entre esses 90% e 10%, sem nunca deixar o nível cair para menos de 10%.", explica o executivo.

"O jeito é mudar a concepção que você tem de dirigir e ter parcimônia. É claro que se você atolar o pé ou usar muito o ar-condicionado, o carro vai gastar mais. Mas se você conseguir usar a tecnologia de um carro elétrico, dosar o pé no acelerador, saber recuperar energia pelo freio-motor... Ele vai entregar exatamente e autonomia indicada no painel. A partir daí, o jeito é aprender a confiar", completa Maluf.

Bmw I3 Carregando
icon photo
Legenda: BMW i3 tem pequeno motor a combustão que ajuda na autonomia, mas é o carro elétrico de entrada da BMW
Crédito: Divulgação

Pane elétrica: procedimento é o mesmo?

Vamos ser francos: um carro elétrico pode "apagar" não só pela falta de energia da bateria, mas também por outros problemas técnicos, assim como um carro movido por motor a combustão - além de ficar sem bateria pelo simples fato de ficar muito tempo parado, algo que também acontece com telefones celulares e notebooks.

Nesse caso, a recomendação do Denatran e também da ABVE é exatamente a mesma: reboque o veículo diretamente para uma oficina capaz de atender e resolver o problema do veículo.

Mas o procedimento de reboque é o mesmo que um carro normal? "Sim, nada muda. Carro elétrico é mais pesado que um carro convencional, mas um SUV, por exemplo, também é", informa Adalberto Maluf.

icon photo
Legenda: Audi e-tron, carro 100% da marca alemã rival de Jaguar I-Pace e Mercedes-Benz EQC, é outro já vendido no Brasil
Crédito: Divulgação
Comentários