Freio ABS: como funciona e para que serve?

Hoje obrigatório, o sistema anti-bloqueio já foi um grande diferencial nos carros, sabia? Leia aqui e fique por dentro

  1. Home
  2. Graxa
  3. Freio ABS: como funciona e para que serve?
Redação WM1
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

O que é freio ABS? Como funciona e para que serve? Ninguém precisa se tornar perito em todos os processos do funcionamento de um carro, mas conhecimento é sempre bom, não é mesmo?

Principalmente estes que são, digamos, inovações tecnológicas! O sistema ABS — assim como a direção hidráulica e o ar-condicionado, que já foram diferenciais — hoje são itens mais do que mandatórios.

Desde janeiro de 2014 os carros novos comercializados no Brasil já saem de fábrica com o sistema ABS de frenagem. Entenda agora, de forma rápida, simples e completa tudo sobre o assunto.

Antes de tudo, como é o sistema de freios de um carro?

O sistema de freios consiste em:

  • uma pinça que contém um pistão
  • pastilhas de freio
  • disco de freio
  • Quando você pisa no pedal do freio, a força do seu pé é transmitida até a pinça por um sistema hidráulico. Neste momento, o pistão empurra as pastilhas contra o disco de freio, que gira junto com a roda. É o atrito entre as pastilhas e o disco que dissipa a energia mecânica do carro, convertendo-a em calor.

    Como funcionam os freios convencionais?

    Nos sistemas de freio convencionais a energia do condutor é amplificada e transferida para os componentes de frenagem por meio mecânico e hidráulico. A base do funcionamento é semelhante ao do ABS, já que necessita de pastilhas para desacelerar as rodas, porém a diferença está na forma como as rodas são freadas.

    No freio convencional, as rodas do veículo param por completo, o que pode fazer com que o sistema trave e que o carro derrape - e o motorista pode até perder o controle da direção. Isso ocorre porque, no caso do freio convencional, não há sensores.

    pedal de freio em destaque com homem pisando levemente
    icon photo
    Legenda: Hoje, o sistema ABS de frenagem é item obrigatório para segurança do motorista

    E o sistema ABS?

    Uma evolução dos freios convencionais, o ABS (Anti-lock Braking System) é um dispositivo anti-travamento das rodas. Ele consiste em sensores desenvolvidos para evitar o travamento das rodas, que também tentam fazer com que a força de atrito entre os pneus e o chão fique o mais próximo de... µeN.

    Quê? Não devia ser uma explicação simples? Sim! Então é melhor mesmo deixar lado a física básica...

    De forma didática, os sensores que monitoram o veículo comparam a velocidade de cada roda com a do carro. Caso essa velocidade seja reduzida repentinamente, o sistema ABS reconhece a tendência de bloqueio de uma roda e reduz a pressão da frenagem.

    Esta explicação é mesmo simplista, porque seria preciso entender, por exemplo, a dinâmica da frenagem, a interação entre os pneus do automóvel e a pista, e as velocidades do veículo e a angular do pneu, entre outros fatores. Muita coisa, não?

    Pois é! Por isso o sistema ABS é baseado em pura física e tecnologia. Há muitas variantes quando o assunto é frenagem do carro. O seu papel, portanto, é diminuir ou aumentar a pressão no freio sobre cada roda. Isso faz com que elas rolem, mas sem "deslizar", o que garante o máximo poder de desaceleração.

    Componentes do freio ABS

    O sistema de freio ABS é composto por:

    • sensores de velocidade
    • unidade hidráulica
    • unidade de comando — ou módulo de controle eletrônico
    • Tipos de freio ABS

      Sim! O sistema ABS pode ser de diferentes tipos, veja só quais são:

      • 4 canais e 4 sensores: cada uma das rodas tem o seu próprio sensor de velocidade e sua válvula de controle de frenagem independente
      • 3 canais e 3 sensores: rodas dianteiras têm sensores e válvulas independentes, mas as rodas traseiras vêm com um único sensor de velocidade e uma única válvula, que ficam no eixo de trás
      • 2 canais e 3 sensores: dois sensores de rotação no eixo dianteiro e uma eletroválvula para controle de pressão, além de um sensor e uma eletroválvula no diferencial do eixo traseiro
      • 1 canal e 1 sensor: as rodas são equipadas com um único sensor de velocidade e uma única válvula de controle de frenagem, localizados no eixo traseiro
      • Para que serve freio ABS?

        Os freios ABS impedem o travamento das rodas, devido à pressão que o motorista faz no pedal no momento da freada. Sabe aquele momento em que é preciso “pisar fundo”?

        Pois é. Nestes casos, pode acontecer o travamento das rodas, o que pode provocar a derrapagem lateral — no travamento das rodas traseiras —, além da perda do controle da direção, caso as rodas dianteiras travem.

        icon photo
        Legenda: O sistema ABS pode prevenir acidentes e evitar dor de cabeça no trânsito

        Freio ABS ou freio convencional: qual o melhor?

        É bem evidente o que um freio ABS pode fazer em comparação ao convencional. Numa pista seca, assim que o motorista freia o carro bruscamente, um determinado veículo precisa de 45 metros para parar totalmente. O mesmo carro com ABS, desacelera totalmente em 32 metros.

        Em pistas molhadas, na mesma simulação, o carro sem ABS freia completamente em 53 metros e o com o sistema anti-bloqueio, 42 metros.

        É possível impedir o travamento das rodas com os freios convencionais?

        Até é possível. A questão é ter controle emocional e físico para fazer o que é preciso: pisar repetidas vezes no pedal em vez de pisar uma vez só. É esse o movimento que fará com que o carro pare de maneira mais rápida – e em menor distância - sem o risco de travar as rodas.

        Ainda assim, o sistema de freios ABS é feito para trazer mais segurança e melhor performance na direção. Na prática, pode evitar muitos acidentes e fazer com que você não tenha dores de cabeça ao dirigir.

        Agora que você sabe tudo de freio ABS, que tal conhecer alguns modelos bem legais com essa e outras inovações? Confira agora mesmo no nosso Catálogo 0 Km! E, para saber mais sobre componentes e processos do seu carro — sem elementos de física básica, prometemos — veja outras matérias aqui no WM1!

        Comentários