5008, o Peugeot tamanho família

Minivan da marca francesa estreia uma nova plataforma, aprimorada da linha 407
  1. Home
  2. Lançamentos
  3. 5008, o Peugeot tamanho família
Auto Press
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

A apresentação do 5008 no Salão de Frankfurt, em setembro passado, foi uma espécie de marco para a Peugeot. Além de ser um novo conceito de veículo familiar para substituir a 807, cuja geração atual data de 2002, a nova minivan da marca francesa estreia uma nova plataforma, aprimorada da linha 407, que vai servir a uma proposta tão abrangente quanto o espaço interno que oferece. É que o atual chassi do modelo vai dar origem ao 508, um modelo que terá a missão de aglutinar dois segmentos: a do médio-grande 407 e do sedã de luxo 607. Ou seja, o 508 terá versões e configurações para poder aposentar esses dois modelos a partir de 2011.

Para tal, a plataforma inaugurada pelo 5008 abusa de soldas a laser na estrutura e conta com um entre-eixos de 2,72 metros, mesmas medidas do 407 e 8 cm a menos que o moribundo 607. Além disso, são 4,56 m de comprimento, 1,83 m de largura e 1,64 m de altura. Espaço suficiente para a nova minivan ter a tal flexibilidade imprescindível em um veículo familiar. A 5008 pode receber sete assentos, todos individuais e os do meio com ajustes independentes e dobráveis. Com os assentos da segunda e terceira fileiras rebatidos, aliás, o modelo acomoda até 2.500 litros. Capacidade que fica em 679 litros na configuração normal, sem os bancos extras.

Na parte estética, porém, o 5008 parece maior até que seu antecessor, o 807. A frente curta e abaulada traz faróis trapezoidais e angulosos que se estendem pelas extremidades do capô. A tampa do motor, por sua vez, tem um ressalto bem ao centro cuja ponta abriga a logomarca do leão. O que mais chama a atenção, porém, é o generoso para-brisa dianteiro, bem ao estilo da outra marca do Grupo PSA, a Citroën.
Destaque também para o teto de vidro panorâmico, herança da linha 308 SW.

De perfil, o 5008 ostenta um visual mais parrudo. As laterais têm cortes mais definidos e a linha de cintura é elevada e reta. Apenas um vinco nasce da ponta dos faróis dianteiros e faz uma espécie de junção com a extremidade das lanternas traseiras. O conjunto ótico de trás, aliás, tem aspecto bojudo, com lentes posicionadas em colunas que se sobrepõem à tampa do porta-malas. Esta, por sua vez, é levemente abaulada e bojuda e conta apenas com uma saliência bem ao centro.

Na Europa, o 5008 começa a ser vendido com quatro motorizações. Duas 1.6 a gasolina, uma com comando variável de válvulas, 120 cv de potência e câmbio manual de cinco marchas e outra turbo, com 156 cv e caixa manual de seis marchas. As opções a diesel são a 1.6 de 110 cv, que pode receber a caixa manual de seis marchas ou transmissão automatizada, além da 2.0 com 150 cv e 163 cv e opção de câmbio automático de seis velocidades. No mais, a nova linha de minivans sai com o normal em termos de segurança para um modelo vendido na Europa. Controles de estabilidade e de tração, freios com ABS e EBD, seis airbags, sensores de obstáculos estão entre os itens de série.

Além disso, o modelo é equipado com alerta de distância para o veículo à frente, ar automático com saídas para a segunda fila, rádio/CD/MP3, freio de estacionamento elétrico e sistema head-up display, que projeta dados – como o velocidade – à frente do para-brisa. Os preços para as versões de cinco lugares do 5008 na Europa começam nos 23.890 euros – cerca de R$ 60 mil – e vão até 39.090 euros – aproximadamente R$ 100 mil. Os dois bancos extras acrescentam mais 990 euros – R$ 2.500. Para o Brasil, a Peugeot já descartou trazer a minivan. Mas os frutos de sua plataforma – leia-se 508 – provavelmente vão desembarcar depois de sua estreia na Europa.

Primeiras impressões – o leão que faltava

Bruno Costa Silva/AutoMotor
De Lisboa, exclusivo para Auto Press

O monovolume da marca francesa tardou, mas finalmente chegou para brigar em um segmento em franco crescimento na Europa. O modelo chama a atenção pela frente com traços angulosos combinados, de forma exemplar, com linha fluidas, enquanto a traseira é mais consensual, sem deixar de aparentar modernidade. Visto de trás, o 5008 remete ao maior monovolume da marca, o 807.

Mas só na direção é possível constatar todo o conforto e equilíbrio do 5008. A posição de dirigir é muito boa e elevada, com o volante bem ajustado e não horizontalizado, como acontece em alguns modelos concorrentes. O quadro de instrumentos é de fácil leitura e exibe um design específico, enquanto que o head-up display comprovou seu bom funcionamento. Este sistema projeta em um quadro de acrílico, bem à frente dos olhos do condutor, informações básicas, como velocidade ou distância para o veículo da frente.

Na estrada, o 5008 garante um bom nível de conforto, mas a suspensão oferece uma rigidez que também confere à minivan uma dinâmica apurada para um monovolume. A suspensão McPherson dianteira provém da linha 308/3008, mas o eixo de torção montado atrás é específico para o 5008 e tem como objetivo otimizar o espaço disponível na parte de trás do habitáculo.

O motor 2.0 HDi com 150 cv cai como uma luva no 5008, mesclando boa performance com baixo consumo. O que mais surpreende no propulsor é a força disponível em baixos giros.

Com um coeficiente de penetração de 0,29 cx, a boa aerodinâmica isola ruídos de vento indesejáveis e a redução de peso foi conseguida com a adoção de um capô em alumínio e uma técnica de solda a laser adotada pela fábrica de Sochaux, na França, onde o 5008 é produzido.

Siga a gente no Twitter! Novidades, segredos e muito mais: www.twitter.com/WebMotors


Gosta de minivans?

Então veja as ofertas das concorrentes brasileiras da Sharan no WebMotors:

Chevrolet Zafira

Citroën Xsara Picasso

Citroën C8

Citroën Evasion

Renault Scénic

Peugeot 806

Peugeot 807


__________________________
Confira aqui mais reportagens sobre Segredos & Novidades

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors