Chevrolet Captiva Ecotec tem na economia seu apelo

Por R$ 10 mil a menos que o modelo V6, ou R$ 86,99 mil, versão Ecotec tem motor menos gastão, mas câmbio automático deve atrapalhar
  1. Home
  2. Lançamentos
  3. Chevrolet Captiva Ecotec tem na economia seu apelo
Gustavo Ruffo
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Indaiatuba, SP - O Chevrolet Captiva Sport seguiu exatamente a receita que previmos para ele em seu lançamento, em outubro do ano passado. Anda vendendo a rodo e chegou a bater seu maior concorrente. Não é mérito nosso: um veículo com o motorzão do Omega vendido a menos de R$ 100 mil tinha de vender bem. Mesmo diante de modelos mais baratos e com motores menores. Aliás, se era isso que faltava ao Captiva para se tornar líder em seu segmento, não falta mais. A Chevrolet acaba de apresentar o novo Captiva Sport Ecotec, equipado com o motor que o Vectra já deveria trazer desde seu lançamento.

Este motor, o LE9 Ecotec, um 2,4-litros de quatro cilindros, gera 171 cv sem enganações a 6.500 rpm. De torque ele gera 218 Nm a 5.100 rpm. É menos do que o motor 2.4 FlexPower do Vectra 232 Nm a 4.000 rpm, com álcool, mas a potência nem tem comparação 150 cv a 5.200 rpm, com etanol. Pena ele ter de chegar ao Brasil em veículo importado.

A GM promete um consumo de 10 km/l na cidade e de 14,9 km/l na estrada. Isso, como sempre, pela norma NBR 7024, ou seja, não serve de parâmetro para a vida real, mas sim para comparar com veículos do mesmo porte. O teste é feito em dinamômetro. Nos veículos em que andamos, na pista de testes de Cruz alta, o computador de bordo marcou 5 km/l.

É pouca coisa melhor do que o consumo de 4 km/l que o V6 faz, mas há que se pesar que, em Cruz Alta, foi possível levar o veículo à velocidade máxima, controlada, de 180 km/h a 5.600 rpm, ou seja, ainda tem motor para acelerar mais, mas não é prudente, daí a limitação. Diversas vezes, o que pesa bastante no consumo. Para um número mais próximo da realidade, só quando o pegarmos para uma avaliação mais longa.

No interior, não há bancos de couro nem com regulagem elétrica. De resto, até os seis airbags do modelo mais sofisticado estão ali. ABS, controle de estabilidade e de tração também, o que garante um excelente nível de segurança aos passageiros.

Além das qualidades, os defeitos também estão presentes. O volante só tem regulagem em altura. A de distância faz falta. O interior tem excelente acabamento, mas o assento dos banco é um tanto raso e deixa a perna do motorista e do passageiro sem muito apoio. Descontados estas características, os comandos estão em boa posição, o que facilita o ato de conduzir.

Ao volante

Falando nisso, uma das melhores coisas do novo motor é que ele responde muito bem para um modelo de apenas quatro cilindros. Chega a ser melhor do que o V6 em curvas e isso se deve ao fato de ser mais leve. Em curvas fortes, o modelo V6 “espalha” e tem uma forte tendência a sair de frente, algo que não se nota tão facilmente no modelo Ecotec.

O que faz falta, e há de ser sentido por motoristas mais afeitos a dirigir e não a simplesmente chegar onde é preciso, é um câmbio manual ou um automático com mais marchas. O modelo de seis velocidades do V6 deveria ser usado com o motor Ecotec para aproveitar melhor a força do quatro-cilindros, mas os custos possivelmente proíbem essa opção. Assim sendo, melhor seria ter a caixa manual.

Isso porque, apesar de a GM ter excelentes transmissões automáticas de quatro velocidades, como as que equipam Vectra, Astra e Zafira, a do Captiva Ecotec não responde como deveria. Quando se tenta uma redução, ela demora a responder, se responde. Pode ser que ela entenda que o motor pode crescer sozinho de giro e aí há que se ter paciência para chegar no ponto certo. Em ultrapassagens, isso não é nem um pouco recomendável. Apesar de o motor ser digno de elogios, a transmissão tira muito de seu brilho.

Se o motor se provar econômico e se a diferença de preço compensar, estaremos diante de mais um sucesso da Chevrolet no segmento de utilitários médios. O risco é o motor ser quase tão gastão quanto o V6 o torque máximo numa faixa alta pode confirmar a leitura do computador de bordo e a diferença de preço não compensar o desempenho pior. Se custasse menos, o Captiva Ecotec chances mais certas de sucesso. Culpa da tentação que o motor V6 exerce a quem o ouve e o acelera pelo menos uma vez.

Gustavo Henrique Ruffo viajou a Indaiatuba a convite da GM do Brasil


FICHA TÉCNICA – Chevrolet Captiva Sport

MOTORQuatro tempos, quatro cilindros em linha, transversal, quatro válvulas por cilindro, refrigeração a água, a gasolina, 2.384 cm³
POTÊNCIA171 cv a 6.500 rpm
TORQUE218 Nm a 5.100 rpm
CÂMBIOAutomático de quatro velocidades
TRAÇÃODianteira
DIREÇÃO Por pinhão e cremalheira; hidráulica
RODAS Dianteiras e traseiras em aro 17”,de liga-leve
PNEUS Dianteiros e traseiros 235/60 R17
COMPRIMENTO 4,58 m
ALTURA 1,70 m
LARGURA 1,85 m
ENTREEIXOS 2,71 m
PORTA-MALAS 821 l a 1.586 l até o teto
PESO em ordem de marcha 1.678 kg
TANQUE72 l
SUSPENSÃO Dianteira independente, tipo McPherson; traseira independentes, com braços articulados
FREIOS Discos ventilados na dianteira e na traseira
CORES Cinza, azul, prata e preto
PREÇOR$ 86,99 mil


Siga a gente no Twitter! Novidades, segredos e muito mais: www.twitter.com/WebMotors

Gosta de utilitários esportivos?

Então veja aqui no WebMotors as melhores ofertas para esse segmento:

Kia Sportage

Hyundai Tucson

Honda CR-V

Toyota RAV4

Land Rover Freelander

Leia também:

Ford Edge chega ao Brasil a partir de R$ 149, 7 mil

TAC Stark terá motor turbodiesel ainda inédito da FPT

Novo Campagnola: jipão da Fiat com cara de Land Rover

Fiat Powertrain fornecerá motores para o TAC Stark

Novo Hyundai Tucson é flagrado nos Estados Unidos Suzuki Grand Vitara chega ao Brasil por R$ 89,70 mil

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors