Fiat Idea

Veículo chega para concorrer com Chevrolet Meriva e Honda Fit
Luís Figueiredo
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- A Fiat apresentou domingo 28 de agosto, na Bahia, a minivan Idea, modelo que chega às concessionárias da marca na primeira quinzena de setembro. O modelo tem duas versões de acabamento, de acordo com o motor: ELX, com o 1,4-litro, que será vendida por R$ 38.620,00, e HLX, com o de 1,8 litro, que custará R$ 44.980,00. Ambos os motores são flexíveis em combustível – podem ser abastecidos com álcool, gasolina ou qualquer mistura dos dois.

Segundo Lélio Ramos, diretor comercial da Fiat, o Idea vai concorrer diretamente com Chevrolet Meriva e Honda Fit. A expectativa da marca é que o modelo atinja 2.000 unidades comercializadas por mês e conquiste cerca de 30% do segmento de minivans.

Como atrativos o Idea tem boa lista de itens de série, que inclui direção hidráulica, computador de bordo, banco do motorista e volante com regulagem de altura, banco traseiro bipartido e rebatível possibilitando várias combinações de interior, vidros dianteiros com acionamento elétrico e função um-toque para o motorista e travas elétricas.

Há vários porta-trecos no interior do Idea. Entre eles há dois no console de teto, oferecido de série e que traz, ainda, um espelho complementar para “controle” do banco traseiro.

A versão HLX tem ainda vidros laterais laminados, que filtram com mais eficiência raios ultravioleta e colaboram para a redução do nível de ruído no habitáculo – além de serem mais resistentes a quebras e perfurações.

Outra novidade, oferecida como opcional para ambas as versões, é o teto solar Sky Dome, com acionamento elétrico. Ocupando 70% do teto do veículo mas apenas metade se abre, o item terá preço em torno de R$ 4.000,00. Lélio Ramos, diretor comercial da Fiat, estima que a novidade esteja presente em aproximadamente 20% do total de veículos vendidos, índice semelhante ao atingido pelo Sky Window, equipamento disponível no Stilo.

Ainda como opcionais há sensores de chuva, crepuscular e de estacionamento, CD player com leitor de MP3, airbags dianteiros e laterais, vidros laterais escurecidos e sistema de freios ABS com distribuição eletrônica de frenagem EBD.
Ao volante o Idea agrada bem mais do que o Meriva, oferecendo dirigibilidade superior – próxima a de um carro “normal”, mais baixo. Embora alto – tem 1.691 mm de altura – o Idea é estável e passa segurança em curvas, inclinando pouco sua carroceria. Sua direção tem boa assistência hidráulica e o câmbio agrada pelos engates e relações de marcha.

Em relação ao Fit o Idea se destaca por seu rodar suave e mais macio vantagem evidente. Suas suspensões McPherson na dianteira e por eixo de torção na traseira são bem acertadas e formam ótimo conjunto. Destaca-se, ainda, pela oferta dos motores mais potentes e flexíveis em combustível no Fit, só a gasolina.

Essas qualidades puderam ser comprovadas tanto na versão de entrada, com motor de 1,4 litro, quanto na topo de gama, com o 1,8-litro.

Seu porta-malas tem 380 litros de capacidade maior do que o do Meriva, que tem 360 litros, e igual ao do Fit. Rebatendo-se o banco traseiro a capacidade aumenta até 1.500 litros.
O espaço no banco traseiro é bom, mas poderia ser melhor. Joelhos de passageiros mais altos raspam nos encostos dos bancos dianteiros. É preciso lembrar que se trata de um carro com distância entre eixos de 2.511 mm – o Meriva tem 2.630 mm, oferecendo mais espaço. Interessante é que o Fit tem entreeixos ainda menor, 2.450 mm, mas seu espaço para pernas é também melhor.

O pedal do acelerador está demasiado à direita, atrás do console central, em posição incômoda – e até algo insegura, caso seja necessária uma frenagem brusca.


O motor de 1,8 litro é o mesmo que equipa o concorrente Meriva, porém recebeu alterações mecânicas para reduzir a massa está 1,8 kg mais leve e desenvolver 6 cavalos a mais de potência com 100 % de gasolina. A superioridade desse motor em relação ao anterior é percebida facilmente ao se dar a partida: menores vibrações, nível de ruído e funcionamento mais suave.

Abastecido com gasolina o motor 1,8-litro desenvolve 112 cv de potência a 5.500 rpm e 17,8 kgfm de torque máximo a 2.800 rpm regime 200 rpm menor em relação ao motor anterior. Com 100 % de álcool os valores são 114 cv de potência e 18,5 kgfm de torque máximo – nas mesmas faixas de rotação.

De acordo com a Fiat, o Idea HLX 1.8 Flex chega a 180 km/h de velocidade máxima rodando somente com gasolina, e 182 km/h apenas com álcool. Acelera de 0 a 100 km/h em 11 segundos gasolina e 10,9 segundos álcool. Na cidade, o Idea HLX 1.8 Flex roda 12 quilômetros com um litro de gasolina, e 8,2 km com um litro de álcool. Na estrada, faz 16 km por litro de gasolina e 11,0 km por litro de álcool.

Já o motor 1,4 litro desenvolve 80 cv de potência com gasolina e 81 cv com álcool, sempre a 5.500 rpm. Seu torque máximo de 12,2 kgfm com gasolina; 12,4 kgfm com álcool é atingido a apenas 2.250 rpm.

De acordo com números apresentados pela Fiat, o Idea ELX 1.4 Flex atinge velocidade máxima de 160 km/h rodando somente com gasolina e 161 km/h apenas com álcool. O modelo acelera de 0 a 100 km/h em 14,8/14,6 segundos gasolina e álcool, respectivamente. Mais econômico, o Idea 1,4 faz, na cidade, 12,7 km/l gasolina e 8,9 km/l álcool. Na estrada, os números são 16,6 km/l gasolina e 12,2 km/l álcool. Como a Honda omite seus números de consumo e desempenho, não se pode comparar os dados do Idea com os do Fit.
Juntamente com a apresentação da nova minivan, a Fiat lançou também a grife de vestuário Idea composta por camisetas, bermudas, bonés e agasalhos desenvolvidos com temas alusivos ao carro.

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors