Impressões ao dirigir o novo Chevrolet Cruze Sport6

Versão hatch chega com duas opções de acabamento e de câmbio, manual ou automático

  1. Home
  2. Lançamentos
  3. Impressões ao dirigir o novo Chevrolet Cruze Sport6
Rodrigo Samy
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

– São Caetano do Sul, São Paulo - O WebMotors foi convidado para conhecer de perto o novo Chevrolet Cruze Sport6 versão hatch no estúdio de designer da General Motors, região do grande ABC paulista. O carro será oferecido pela GM em duas opções de acabamento LT e LTZ e de câmbio. O modelo de entrada chega por um valor sugerido de R$ 64,90 mil. Os principais equipamentos de série são ar-condicionado, direção elétrica, sistema de som com seis alto-falantes, airbag duplo, ABS e controle de tração. A opção com transmissão automática tem um valor sugerido de R$ 69,90 mil. Tanto na versão LT quanto na LTZ, o hatch é equipado com rodas de liga leve, aro 17, com pneus 225/50 R17.

Segundo Carlos Barba, diretor executivo de Design da GM América do Sul, a maior parte dos compradores do Cruze sedã 80% opta pela opção com câmbio automático. “Por isso, tudo indica que o mesmo comportamento do consumidor ocorrerá com o Sport6”, reforça Barba.

Ao falar de desenhos automotivos, sua especialidade, Barba afirmou que o novo Cruze ficou parecido com um gatinho encolhido, pronto para dar o bote. A parte traseira, elemento de maior destaque do Cruze Sport6, traz um extrator de plástico com duas saídas de ar embutidas. Outro detalhe são as grandes lanternas em forma de gotas. Repare na imagem de divulgação que suas extremidades dão continuidade ao vinco lateral do carro. Agora, se você vir um Cruze pelo retrovisor certamente irá distinguir um do outro somente pela moldura cromada dos faróis de neblina e pela entrada de ar inferior, que perdeu a barra central. Outro item de diferenciação são os desenhos das rodas.

Veja teste do Chevrolet Cruze Sedã

Ao olhar o Cruze de perfil dá para perceber que o teto ficou mais arqueado, principalmente se comparado com o sedã. Tal detalhe é natural, pois a versão hatch é 9 cm menor que o modelo com porta-malas. Por falar em volume de carga, o recém-lançado tem capacidade para levar 402 litros de bagagem, só 48 litros a menos que o sedã. Se comparado com seu antecessor, o Vectra GT, o volume de bagagem evoluiu em 57 litros. O mesmo ocorreu com a distância de entre-eixos, que passou de 2.614 mm para 2.685 mm.

Como o Cruze hatch tem a mesma distância de entre-eixos do modelo sedã, as mudanças mais concretas ficaram realmente do segundo eixo para trás. Com 4,51 m de comprimento, 2,10 de largura e 1,47 m de altura, o Cruze tem um peso total de 1.410 kg. De acordo com a GM, a maior parte do peso do carro 61% está localizada na dianteira.

Com o objetivo de valorizar o projeto que é fruto de um trabalho global já que o time de designers, baseado no da Coreia, recebeu inputs de outros centros de design da GM no mundo, sediados na Alemanha, Estados Unidos, Austrália e Brasil –, Barba afirma: “A traseira tem elegância, um charme único. Tem tanta personalidade que consegue colocar o Sport6 em outro patamar, outra categoria”.

O motor e o conjunto de suspensão são os mesmos do Cruze sedã. O propulsor é o Ecotec 6 de 1,8L que rende 144 cv quando abastecido com etanol e 140 cv quando usa gasolina, ambos os números a 6.300 rpm. O torque máximo, com etanol, é de 18,9 kgfm e aparece a 3.800 rpm.

Conforme medições da GM, o Cruze hatch manual atinge a velocidade máxima de 204 km/h e acelera de 0 a 100 km/h em 10,7s. A opção com câmbio automático faz a mesma tarefa de aceleração em 11,7s e atinge a velocidade máxima de 197 km/h.

O ponto crucial deste motor está no seu elevado consumo de etanol. Quando o WebMotors avaliou o Cruze sedã ele fez uma média de 5 km/l com etanol e ar-condicionado ligado.

Impressões ao dirigir

Com um comportamento bem parecido ao do modelo sedã, o Cruze Sport6 lembra um pouco o “jeitão” do Vectra GT-X. A opção disponível para o WebMotors avaliar foi a LTZ com câmbio automático, que custa R$ 79,40 mil. Nela estão presentes todos os equipamentos da LT, além de bancos revestidos em couro, teto solar, airbag de cortina, sensor de estacionamento, acionamento do motor através da chave e GPS.

Se comparado com o sedã, o hatch está sutilmente mais prazeroso de dirigir. Um ponto que a GM não acertou no modelo foi o da visibilidade traseira. A sorte é que a versão topo vem com o sensor de estacionamento de série. Ruim para a opção LT, que oferece o sensor como equipamento opcional. Para ter ideia, com os encostos dos bancos traseiros levantados ou até mesmo abaixados fica difícil usar o retrovisor central nas manobras de estacionamento.

Durante o percurso que o WebMotors fez com Cruze na cidade pode-se perceber que o hatch não incomodará tanto seus usuários pelo barulho proveniente da tampa do porta-malas, detalhe natural nos hatch com maior tempo de uso. Porém nem tudo é perfeito, o Cruze abusa um pouco do acabamento em plástico e de porta-trecos funcionais.

A GM declara que o Cruze retoma de 40 a 100 km/h em 9s e de 80 a 120 km/h em 9,3s com a alavanca em modo Drive. Durante o trecho em que o WebMotors rodou com o carro ficou nítido que mesmo sendo mais leve que o sedã, o Cruze continua morno. O ponto forte mesmo continua sendo a sua dirigibilidade. Mesmo trocando as marchas por meio da alavanca de seleção o carro não se mostrou tão aguerrido.

Para ganhar da concorrência

A GM declara que 40% dos modelos comercializados no Brasil pertencem à categoria dos hatches. A marca ainda afirma que na Europa a preferência pelos modelos hatchback é bem maior, 65%. Com o discurso de não querer ser a líder de mercado nesta categoria, a Chevrolet estima que venderá 13 mil unidades do Sport6. Número bem audacioso, uma vez que para conquistar o consumidor a GM terá de apagar o mau desempenho de vendas do Vectra GT e de quebra mostrar que é superior aos concorrentes. Na linha de frente estão modelos já consagrados pelo mercado. Entre eles estão feras como: Hyundai i30, Ford Focus, Fiat Bravo, Peugeot 308, Citroën C4, Volkswagen Golf e Nissan Tiida.

Para ter ideia como a meta da fabricante é arrojada, em março de 2012 foram vendidos no segmento dos hatches médios mais de 10 mil unidades. Disputando a liderança com quase 5 mil carros vendidos, cada um, estão o Hyundai e o Focus. Se no acumulado do ano o mercado registrou 30 mil unidades emplacadas, o Cruze teria de vender um pouco a mais de 1/3 do total do segmento.

Comprar ou não comprar? Eis a questão!

O hatch manteve os mesmos atributos do modelo sedã. Se você gosta da marca e do DNA GM vale colocá-lo na garagem. O percalço da versão de entrada é a ausência de um sensor de estacionamento. Outro ponto falho em todas as versões é o ar-condicionado eletrônico. Na concorrência, por exemplo, é comum encontrar o equipamento na opção digital.

Preços sugeridos

Cruze Sport6 LT manual R$ 64.900
Cruze Sport6 LT automático R$ 69.900
Cruze Sport6 LTZ manual R$ 77.400
Cruze Sport6 LTZ automático R$ 79.400




Ficha Técnica

Motor

Quatro cilindros em linha, dianteiro, transversal, 16 válvulas, 1.796 cm³

Potência

140 cv gasolina a 6.300 rpm

Torque

174,5 Nm / 17,8 kgfm gasolina a 3.800 rpm

Câmbio

manual ou automático seis velocidades

Tração

Dianteira

Direção

Por pinhão e cremalheira, com assistência elétrica

Rodas

Dianteiras e traseiras em aro 17” de liga-leve

Pneus

Dianteiros e traseiros 225/50 R17

Comprimento

4,51 m

Largura

2,09 m

Altura

1,47 m

Entre-eixos

2,68 m

Porta-malas

402 l

Peso em ordem de marcha

1.410 kg

Tanque

60 l

Suspensão

Dianteira independente, tipo McPherson; traseira semi-independente

Freios

Discos

Preço

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors