Nissan Kicks chega ao Brasil por R$ 89.990

Dirigimos o novo SUV compacto que chama o Honda HR-V para briga

  1. Home
  2. Lançamentos
  3. Nissan Kicks chega ao Brasil por R$ 89.990
Karina Simões
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Se você já foi aos Estados Unidos ou à Europa, certamente deve ter visto nas ruas um Qashqai, um Murano, um X-Trail ou um Juke. Esses crossovers, todos da Nissan, dominam os mercados em outros continentes, mas por aqui, a marca japonesa não tinha sequer um SUV para chamar de seu. Não tinha. A partir de 5 de agosto, o utilitário esportivo compacto Kicks ganha espaço nas vitrines das concessionárias Nissan do país. Com motor 1.6 flex de 114 cv e equipamentos inéditos na categoria, o Kicks quer tirar o reinado do Honda HR-V. O WM1 já acelerou a novidade e tira suas dúvidas.

O que é o Kicks?

Ele é um SUV compacto pensado e desenvolvido para o mercado brasileiro. Começa a ser vendido no Brasil e, segundo a montadora, será comercializado em 80 países. Mesmo que não se lembre, você já viu o Kicks na TV. Ele é o carro que vai atrás da pessoa que conduz a tocha das Olímpíadas Rio 2016 durante a jornada de revezamento, passando por mais de 300 cidades brasileiras. 

Quanto custa?

O Kicks chega importado do México em versão única SL, topo de linha, por R$ 89.990. As versões de entrada, S,  e intermediária, SV, devem chegar junto com a produção nacional na planta de Resende (RJ), prevista para iniciar até março de 2017. Para isso, a fábrica, que completou dois anos em abril, está recebendo investimentos de R$ 750 milhões.

icon photo
Legenda: Nissan Kicks 1



Como é o Kicks por fora?

Arrojado. A versão de produção do Kicks foi bem fiel ao conceito apresentado no Salão do Automóvel de São Paulo de 2014. O SUV tem linhas interessantes e que chamam atenção, principalmente na pintura grafite com teto laranja - na minha opinião, sua melhor “roupagem”. Na dianteira, a grade “V-Motion” (assinatura da Nissan) com moldura cromada confere certa imponência ao SUV, na lateral eles optaram pelo recurso de pintura preta que dá a impressão de teto flutuante (que parece estar na moda entre os fabricantes de utilitários esportivos) e, na traseira, as lanternas em formato de bumerangue acompanham o formato do vidro traseiro até a tampa do porta-malas. O Kicks tem linha de cintura alta e para-lamas musculosos. As rodas são de liga leve aro 17 e os pneus Continental ContiPowerContact de medida 205/55 R17.

Como é por dentro?

O interior é simples, mas bonito, e o acabamento agradou bastante. O painel central tem uma faixa revestida em couro, na mesma cor das portas -que pode ser preto, Macchiato (marrom) e Sand (bege)– que dá um ar de sofisticação à cabine. No meio desta faixa está a tela multitouch da central multimídia, com GPS, funções de áudio e telefone. 

icon photo
Legenda: Nissan Kicks 46

O painel de instrumentos tem velocímetro analógico do lado direito e uma tela digital à esquerda, na qual o motorista pode navegar entre 12 funções como computador de bordo, configurações do sistema de áudio, detalhes sobre economia de combustível, instruções do percurso do GPS, além de comandos para configuração do controle do chassi e dos sistemas de assistência que explicarei mais adiante.

Mas vamos ao que interessa mesmo para o motorista. Para dar a partida, basta apertar um botão. O volante não é o mesmo do Versa e do Sentra, é novinho em folha, multifuncional, com base reta e boa empunhadura. Os bancos dianteiros tem tecnologia da NASA (já utilizados no Altima) mas não pense que você vai se sentir um astronauta por isso. Ele ainda é um banco como os outros e o que importa é que ele é bem confortável. 

Cabe a família?

Com uma distância entre eixos de 2.610 mm – medida idêntica a do rival HR-V – a cabine oferece espaço bom para 4 pessoas e razoável para 5 ocupantes, que não precisarão espremer os joelhos e a cabeça. Pra armazenar tranqueiras, há bolsos nos painéis das portas e porta-bebidas e objetos no console central. O porta-malas carrega 432 litros (5 a menos que o HR-V) em posição normal, mas a marca não divulgou a capacidade com os assentos rebatidos. Para mais praticidade, foram instalados dois ganchos nas laterais do compartimento de bagagem, que suportam até 3,3 kg cada um.

icon photo
Legenda: Nissan Kicks 47

Como anda?

O crossover é equipado com motor 1.6 de 16 válvulas, bicombustível, que entrega 114 cv de potência máxima a 5.600 rpm e torque máximo de 15,5 kgf.m a 4.000 rpm. Nós já conhecemos este motor de outros modelos da Nissan, mas para o Kicks ele foi recalibrado. Segundo a marca, não houve alterações mecânicas, exceto pelo maior duto de ar. O câmbio é o CVT da Nissan, Xtronic, de segunda geração e a marca não deve oferecer versões com câmbio manual. 

12 seg

175 km/h

114 cv

0 a 100 km/h

velocidade máx.

potência

Rodei mais de 100 quilômetros em rodovia e depois peguei trechos urbanos, inclusive em horário de rush. Em baixas rotações, o motor parece demorar um pouco a “acordar”, mas depois que embala ele vai muito bem. O motorista também pode se utilizar do recurso “Sport”, dá uma sutil injeção de ânimo ao conjunto. Já no anda e pára da cidade, isso não fica muito evidente. Um aliado ao desempenho é o peso de apenas 1.142 kg, que proporciona uma relação peso/potência equivalente a da concorrência equipada com motores com capacidade cúbica maior. Além disso, o conjunto é bem econômico, com consumo de 8,1 km/l na cidade e 9,6 km/l na estrada com etanol e 11,4 km/l e 13,7 km/l com gasolina, respectivamente nos dois tipos de ciclo, segundo a Nissan. Em suma, as acelerações não chegam a ser vigorosas, mas o desempenho é condizente à proposta urbana do SUV.

icon photo
Legenda: Nissan Kicks 41

O que o Kicks traz de novo em tecnologia e segurança?

A Nissan está investindo em equipamentos de tecnologia para atrair o cliente. Os rivais do Kicks não tem itens como a câmera 360º nem o Detector de Objetos em Movimento -sistemas que vêm de série na versão SL-, onde quatro câmeras exibem uma visão do entorno do carro e mostram o que muitas vezes o motorista não consegue ver. No mais, o Kicks possui sistemas que elevam o nível de segurança do veículo e que também ajudam no conforto. Entre as novidades, está o Controle Dinâmico de Chassi, que integra três sistemas (controle dinâmico de curvas, estabilizador ativo de carroceria e controle dinâmico de freio motor) capazes de atuar na suspensão e freios do SUV. Por exemplo, sensores detectam o movimento da carroceria e atuam no freio motor e sistemas de freios para estabilizar o movimento da carroceria. Em curvas, esses mesmos sensores podem acionar os freios em cada roda para reduzir o subesterço, ajudando a manter o carro na trajetória definida. Para descidas de serra, sensores de aceleração e posição do volante também entram em ação e atuam diretamente no freio motor para aumentar a segurança. 

icon photo
Legenda: Nissan Kicks 13

No mais, há assistente de partida em rampa, sensor de estacionamento, travamento central automático das portas e do porta-malas com o veículo em movimento (a partir de 24 km/h), abertura e fechamento das portas e vidros dianteiros e traseiros através de controle remoto da chave, ISOFIX, airbags frontais, laterais e de cortina, acendimento automático dos faróis, entre outros.

A suspensão dá conta da buraqueira das estradas brasileiras?

Segundo a Nissan, o Kicks rodou quilômetros pelas esburacadas ruas e estradas brasileiras e o acerto da suspensão foi feito especialmente para nossos “maus caminhos”. Durante o teste, gostamos muito do acerto de suspensão, que utiliza traseira eixo de torção com travessa de maior rigidez e nova estrutura de isolamento na traseira e McPherson com barra estabilizadora na dianteira. Altinho, ele possui 20 cm de distância do solo e capacidade de transpor trechos alagados em 45 cm. 

Ele usa a mesma plataforma do Versa e do March?

Segundo os engenheiros, a base da plataforma é a mesma sim, mas trata-se de uma nova geração da plataforma V. Chamada de V Extend, a plataforma recebeu reforços estruturais que deixam o veículo mais firme e nova arquitetura de suspensão. A Nissan explica que ela foi projetada para entregar maior desempenho dinâmico, além de ser mais permitir futuros complementos. O circuito elétrico, por exemplo, pode receber novas funções sem a necessidade de desenvolvimento de um novo sistema de cabeamento.

A manutenção é muito cara?

O Kicks tem garantia de três anos sem limite de quilometragem, assistência 24h gratuita por dois anos e preços fixos de manutenção:

10.000km

20.000 km

30.000 km

40.000 km

50.000 km 

60.000 km

R$419,00

R$ 579,00

R$ 419,00

R$ 579,00

R$ 419,00

R$ 579,00

A Nissan inclusive divulgou uma lista de preços de peças que são mais trocadas em colisões, manutenções regulares e revisões, contribuindo para que o Nissan Kicks tenha preços de seguros adequados ao mercado. Veja alguns exemplos:

Quem são seus concorrentes?

O segmento de O principal concorrente do Kicks é o Honda HR-V, SUV compacto mais vendido nos seis primeiros meses de 2016 no Brasil com 30.881 unidades emplacadas - 5.219 unidades somente no último mês. Os demais concorrentes são o Jeep Renegade e o Ford Ecosport. Na campanha de pré-venda do Kicks, a Nissan obteve mais de 1.800 clientes interessados e eles esperam superar as 3.000 unidades vendidas nos primeiros meses. 

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors