Salão de Bolonha

Dos 13 lançamentos mundiais, só alguns chegarão ao Brasil
  1. Home
  2. Lançamentos
  3. Salão de Bolonha
Luís Figueiredo
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- País que concentra os principais estúdios de desenho automobilístico do mundo, a Itália não tem um evento de importância equivalente para exibir suas criações – destinadas aos mercados interno e externo. A 31ª edição do Salão de Bolonha mostra movimentação contrária, de forma a tornar a exposição uma das referências mundiais no segmento. Em 2005, o evento foi incluído pela Organização Internacional dos Fabricantes de Automóveis entre os mais importantes do mundo, ao lado dos salões de Frankfurt que acontece em anos ímpares, Paris nos anos pares, Detroit, Tóquio e Genebra – estes três anuais.

O salão de Bolonha deste ano, que acontece de 7 a 17 de dezembro em um pavilhão com 140 mil metros quadrados e tem 389 expositores, sendo 83 deles estrangeiros, ainda não reserva grandes surpresas ao mercado internacional. Os lançamentos mundiais são 13, sendo que desses alguns apenas poderão chegar ao Brasil.

Entre eles, os indianos Tata, com a picape TL e o utilitário esporte Safari, ambas apresentações mundiais. Sobre esses modelos e sua aproximação do mercado nacional já se falou antes. É questão de tempo. Presentes também os chineses, com as marcas Katay, que produz picapes e utilitários, e DR, de modelos compactos e SUV, além da Great Wall, que também investe no segmento de utilitários.

Outro modelo que fez estréia no salão de Bolonha foi o Opel Antara, um crossover com tração integral e capacidade para 7 lugares. Apresentado como conceito em Frankfurt, ano passado, está agora em sua versão final. É a primeiro investida da marca alemã, subsidiária da General Motors, nessa área e suspeita-se que possa ter um futuro brasileiro.

Brasileiro como o Grande Punto, exibido em várias versões no estande da Fiat – que reuniu as cinco marcas do grupo presentes no pavilhão. Afinal, trata-se de evento “caseiro”. Além de uma Strada Adventure, que agora passa a ser comercializada na Itália em nossa há tempos conhecida terceira geração, e do Grande Punto, há o Panda 100HP, em que o nome faz referência à potência de 100 cv; o PandaKar, com que a marca italiana participará do Rali Dakar dois carros, tendo como pilotos os experientes Bruno Saby e Massimo “Miki” Biasion; exposição temática sobre o Fiat 500 e conceitos de aventura – moda que está se alastrando pelo mundo, como mostrou o salão.

Em outro pavilhão, a Volkswagen colaborou para essa certeza com a mostra dos modelos CrossGolf, do lançamento CrossTouran e do curioso CrossPolo – que, considerando-se a origem da moda, pode aportar no Brasil.

Do grupo VW, a Audi exibe o novo TT, em suas diferentes opções de carroceria, e o belíssimo esportivo R8. A fabricante Skoda, da república tcheca e também pertencente à VW, trouxe como novidade o Roomster, multivan no estilo de Fiat Dobló e Citroën Berlingo – porém mais bonito. A Lamborghini expôs ao continente a versão roadster conversível de dois lugares do Murciélago.

Em breve no Brasil, o Dacia/Renault Logan é exibido pela fábrica no evento italiano. Desanima, no entanto, saber que no mercado brasileiro o modelo dificilmente terá a mesma qualidade de acabamento do europeu – que já não é o seu forte. A versão perua do modelo está presente.

Entre os veículos de sonho, destacam-se o Mercedes-Benz SLR 722 Edition McLaren, versão especial do esportivo construído em parceria pela fábrica alemã e a equipe inglesa de F1; o belo Peugeot 908 RC; os italianos Alfa Romeo 8C, Maserati MC12 e Ferrari 599 Fiorano.

Prováveis candidatos a surgir pelas ruas brasileiras, os modelos Honda Accord e CR-V estão presentes em suas novas versões. O sedã ganhou ar mais ousado, mas é o utilitário esporte que chama a atenção pelas linhas modernas. A apresentação mundial da linha 2007 do Opel Astra, ao lado do Corsa, dá inveja dos europeus... Que ainda têm a oferta do novo esportivo Opel GT, versão européia do Pontiac Solstice, equipado com motor de 240 cv.

As coreanas Kia e Ssangyong apostam em segmentos diferentes. A primeira, nos compactos e sub-compactos – Picante e Cee’d, este com uma versão preparada, bastante interessante. A segunda, com reestilização de seu conhecido Rexton e com a nova linha Actyon, de picape e utilitário esporte. Contra pesa seu desenho um tanto quanto inusitado.

Com aparições discretas, a Mitsubishi mostrou o novo Pajero, que mudou pouco externamente – o suficiente para ficar mais bonito; a Citroën trouxe o carro-conceito CBuggy, misto de aventura praia/campo; a Peugeot, além do esportivo 908 RC, mostra a linha 207 – incluindo uma versão 1,6-litro de 150 cv.

A Ford levou o novo C-Max, baseado no Focus europeu. Dividia o estande com outros veículos da americana, como o esportivo Ford GT. O pavilhão concentrava ainda a Volvo e a Jaguar, marcas que pertencem ao grupo Ford.

A Suzuki surge até com um pequeno carro-conceito, o Splash, e com o Swift Sport. A também japonesa Daihatsu muitos pensam que se trata de marca coreana, mas não é ressurge com o Materia, outra variação do conceito de multivan.


* O jornalista viajou a convite da Fiat Automóveis.


Leia também:

Salão de Bolonha:
Salão de Bolonha: belas mulheres e muita interatividade


________________________________

Receba as notícias mais quentes e boletins de manutenção de seu carro. Clique aqui e cadastre-se na Agenda do Carro!

______________________________


________________________________

Receba as notícias mais quentes e boletins de manutenção de seu carro. Clique aqui e cadastre-se na Agenda do Carro!

______________________________
E-mail: Comente esta matéria

Indique esta reportagem para uma amigoa

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors