Vendas e produção crescem. Exportações e licenciamentos despencam

Em janeiro, mercado de caminhões mais parece ter tido uma reação simbólica do que consistente. A maior queda foi nas exportações
  1. Home
  2. Lançamentos
  3. Vendas e produção crescem. Exportações e licenciamentos despencam
Agência Infomoto
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Definitivamente o ano começou. A Anfavea divulgou o balanço do mês de janeiro da indústria brasileira de veículos comerciais. Boas e péssimas notícias pipocaram na coletiva que a entidade ofereceu aos jornalistas. Do lado “positivo” ficam as vendas no atacado e a produção. Do lado negativo, as exportações e os licenciamentos.

Mas é necessário fazer uma ressalva. Esse parâmetro leva em conta apenas a comparação de dezembro versus janeiro. Se for levado em conta janeiro de 2008 contra janeiro de 2009, a coisa fica muito mais feia.

No primeiro mês do ano, foram licenciados 6.336 caminhões nacionais e importados. Volume que representa uma queda de 23,9% em relação às 8.328 unidades registradas em dezembro. No comparativo com janeiro de 2008 7.993 a retração atinge 20,7%.

Por outro lado, as vendas no atacado subiram um pouco. Foram comercializados 6.669 caminhões, alta de 8,7% em relação a dezembro 6.135.

Um pequeno aumento que pode ser entendido ou por compromissos de entrega já assumidos pelas montadoras ou talvez por um reflexo tímido dos incentivos do governo fcaptional de reduzir o IPI, até março.

Caso sejam colocados lado a lado os balanços de janeiro deste e do ano passado 8.522, o decréscimo sobe para 22,3%.

Queda aguda nas exportações

O ano começou munido de péssimas notícias nas exportações. Não foi surpresa para a Anfavea – que já havia antecipado que o ano seria difícil aos executivos responsáveis pela respectiva área, nas montadoras.

No mês passado, seguiram aos portos 777 unidades, uma forte queda de 44% em relação a dezembro 1.388. Se trata de uma das piores médias mensais dos últimos anos.

Porém, o cenário fica ainda mais tenebroso na comparação entre o primeiro mês de 2008 versus o mesmo período deste ano.

No ano passado, foram exportados 1.952 caminhões em janeiro. Nesse caso, o impacto negativo chega a 60,2%.

Produção cai 28,6%

O ritmo da produção mensal começou um pouco maior este ano. Foram produzidas 7.566 unidades, entre veículos montados e kits CKD, em janeiro. Um crescimento de 27% no comparativo com dezembro 5.958.

Ou seja, pouco mais de 1.600 unidades. Um volume bem abaixo das médias obtidas no ano passado. E 29,4% menor do que em janeiro de 2008, quando foram confeccionados 10.590 produtos.

Bola de cristal permanece no armário

O presidente da Anfavea, Jackson, deixou transparecer que o cenário de caminhões é preocupante, principalmente pela falta de reação do mercado. Mas fez questão de elogiar a postura das marcas. “Até agora nenhuma montadora anunciou que vai reprogramar seus investimentos”, disse.

O presidente elencou duas outras explicações para as quedas apresentadas. “O setor de mineração, um dos principais impulsionadores do segmento no ano passado, recuou. E a falta de crédito continua. No caso dos automóveis é fácil comprar um veículo a vista. No segmento de caminhões é mais difícil. Praticamente 99% das vendas envolvem algum tipo de financiamento”, completou.

Sheneider ainda ressaltou que, por enquanto, a Anfavea não vai divulgar expectativas sobre 2009. “Não há como fazer previsões neste momento. É prudente esperar mais um pouco. É um direito da Anfavea não divulgar projeções agora”.


Leia também:

Apesar da crise mundial, vendas de caminhões crescem em outubro

Mercedes-Benz é a primeira líder de emplacamentos de caminhões

Emplacamentos de caminhões registram uma das piores quedas

Volkswagen passa a liderar os emplacamentos de caminhões

Presidente da Fenabrave tranqüiliza o mercado sobre a crise

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors