10 motos que gostaríamos de ter no Brasil

Fizemos uma lista com modelos que seriam bem-vindos, mas que, infelizmente, têm poucas chances de desembarcar no Brasil

  1. Home
  2. Motos
  3. 10 motos que gostaríamos de ter no Brasil
Roberto Dutra
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

O Brasil é um país bem-servido de motocicletas. Há modelos para todos os bolsos, gostos e usos - e apenas alguns poucos segmentos não são plenamente atendidos. Mesmo assim, elaboramos uma lista com algumas motos que gostaríamos de ver aqui no país, mas que, pelos mais variados motivos, provavelmente não serão vistas pelas em nossas ruas.

E você? Qual motocicleta gostaria de ver no Brasil? Comente aqui e nos ajude a aumentar essa lista!

1. Honda Rebel 300

Thumbnail 1. Honda Rebel 300
A Rebel 300 tem poucas chances, mas a irmã maior Rebel 500 está na alça de mira da Honda brasileira
Crédito: divulgação

Mesmo sem ter exatamente um visual lá muito clássico, este modelo vendido nos Estados Unidos por US$ 4.600 (R$ 24.500) se encaixaria como uma luva no segmento de motos custom de baixa/média cilindrada do Brasil, que é praticamente ignorado. Só temos a Haojue Chopper e a Dafra Horizon, ambas com 150cm³ (e ano que vem chega a Royal Enfield Meteor 350). Depois, o degrau é grande e vai direto para a Kawasaki Vulcan 650S. A Honda estuda vender por aqui a Rebel 500.

2. Yamaha V-Star 250

2. Yamaha V Star 250
A Yamaha V-Star 250 ainda vendida nos EUA é a nossa antiga XV 250 Viraguinho modernizada. Saudades...
Crédito: divulgação

Lembra da Yamaha XV 250 Virago que foi vendida no Brasil na década passada? Pois é, o modelo ainda existe todo garboso nos Estados Unidos, onde custa US$ 4.500 (R$ 24.000). Sua venda aqui preencheria o segmento que mencionamos aí em cima, ao falar da Honda Rebel 300, porém como uma opção diferente, já que essa V-Star tem um visual bem clássico. Saudades, Viraguinho...

3. Suzuki DR 650S

Thumbnail 3. Suzuki Dr 650s
Um tratorzaço, a Suzuki DR teve versões de 650cm³ e 800cm³ vendidas no Brasil e até hoje tem uma legião de fãs
Crédito: divulgação

Quem não se lembra das Suzuki DR 650 e 800 vendidas no Brasil em décadas passadas? Eram motos trail legítimas, sem frescuras nem ajudas eletrônicas e com potência e torque para enfrentar qualquer caminho. Deixaram saudade só aqui, porque nos Estados Unidos a DR 650S vai bem, obrigado. Custa US$ 6.700 (R$ 35.700) com seu motorzão monocilíndrico, suspensões altíssimas e vontade de atravessar o deserto.

4. Yamaha Ténéré 700

Thumbnail 4. Yamaha Tenéré 700
A Yamaha Ténéré 700 perdeu o trem para chegar ao Brasil. Tropeçou na nossa difícil legislação sobre ruídos...
Crédito: divulgação

Essa é uma das motos mais esperadas no Brasil nos últimos anos. Mas a Yamaha tem encontrado enorme dificuldade para adequá-la à nossa legislação de ruídos, cujas exigências são diferentes das vistas no resto do mundo. E não basta só trocar escapamento, como muita gente acha. Uma pena: a TE700, como é chamada, foi mostrada como conceito no Salão de Milão de 2016, depois como protótipo ao longo de 2017 e lançada oficialmente lá em Milão, em 2018. Em julho de 2019, chegou às lojas da Europa. E em junho deste ano, aos EUA, por US$ 10.000 (R$ 53.000). Já está tão atrasada para cá que, quando chegar, periga já nem ser mais tão cobiçada. Mas continuamos na torcida...

5. MV Agusta

Thumbnail 5. Mv Agusta F3
A MV Agusta F3 é mais um exemplo de como a marca italiana não erra a mão no design
Crédito: divulgação

Não poderia faltar uma legítima italiana em nossa lista. A MV Agusta até já teve operações no Brasil, mas seu importador era um tanto complicado e a marca, infelizmente, não durou muito no país. Uma pena, pois faz motos lindíssimas e nervosíssimas, como a naked Brutale 800 e a esportiva F4, que eram vendidas na época. Mas nosso objeto de desejo da vez é a F3, irmã menor da F4. É uma esportiva de visual relativamente simples, mas encantador, e dona de um motorzinho tricilíndrico de 675cm³ e 128 cv ou 798cm³ e 153 cv. É uma combinação muito perfeita de design incrivelmente bem resolvido com desempenho na medida certa. Custa, na Itália, iniciais 15.500 Euros (R$ 98 mil). Vai ser bonita assim lá na minha garagem!

6. Harley-Davidson Street 500/750

A Street 750 e sua irmã menor Street 500 teriam feito sucesso no Brasil. Agora, as chances são quase nulas
Crédito: divulgação

Eu pilotei a Harley Street 750 nos Estados Unidos em dezembro de 2014, e foi uma boa experiência. Nem tanto pela moto, que não é nada espetacular, mas por seu potencial: tivesse vindo para o Brasil com preço competitivo, ia ter fila nas concessionárias H-D até hoje - principalmente pela versão de 500cm³. Mas a ideia foi abandonada com o início de uma crise econômica no país e jamais retomada. Agora, a Harley-Davidson caminha para ser marca de luxo, acima de "premium". E por isso só veremos as Street aqui se tudo virar do avesso de novo na matriz de Milwaukee. A versão de 750cm³ custa US$ 7.800 (R$ 41.500) nos Estados Unidos.

7. Kawasaki W800

Marcas japonesas também sabem fazer motos clássicas: que tal essa lindíssima Kawasaki W800?
Crédito: divulgação

Vá lá que clássicas "modernas" costumam ser coisa de marcas inglesas, mas o que dizer dessa lindíssima Kawasaki W800? Ao preço de US$ 9.200 (R$ 49 mil) nos Estados Unidos, tem um visual incrivelmente belo, com muitas partes cromadas, rodas raiadas, um escape em cada lado, motor bicilíndrico com aquele varetão lateral (763cm³ e 48cv) e aquela posição de pilotagem que permite passeios contemplativos. As Triumph Bonneville iriam ficar boladas...

8. Triumph Bonneville Speedmaster 1.200

A versão Speedmaster da Bonneville nunca veio para o mercado brasileiro. Por que será?
Crédito: divulgação

E por falar na linha Bonneville, é de se estranhar que a Triumph - que investe forte no Brasil - não venda no país a simpática versão Speedmaster. Talvez porque seja um híbrido de moto clássica e custom, e acredite que o motociclista brasileiro fosse achá-la estranha. Pois é, mas a Bobber, que é bem exótica,  é vendida por aqui, tem seus fãs (nicho, é verdade) e lamentamos a ausência da Speedmaster. Na Inglaterra, custa 11.650 libras esterlinas (R$ 82.200).

9. KTM 1.290 Super Duke R

A KTM Super Duke R 1.290 é uma moto para quem é bom de braço e de bolso: tem 180 cv e custa US$ 18.700
Crédito: divulgação

No Brasil, a KTM tem operações discretas e só vende, atualmente, modelos de Enduro e as naked pequenas Duke de 200cm³ e 390cm³. Uma pena, porque deve ser emocionante pilotar a 1.290 Super Duke R, uma naked de alta performance que é uma verdadeira usina de força: são 180cv de potência sem carenagens, apêndices aerodinâmicos ou quaisquer facilidades. Essa é para bons de braço - e de bolso, pois mesmo lá nos Estados Unidos não é barata: custa US$ 18.700 (quase R$ 100 mil!).

Boss Hoss V8

Incluímos a Boss Hoss nesta lista só porque ela é coisa de outro mundo com seu motor V8 de até 563 cv de potência
Crédito: divulgação

Essa bruta fabricada nos Estados Unidos é simplesmente a moto de produção em série com o maior motor no mundo: os V8 Chevrolet LS3, 383 Stroker e 454 Small Block, com 6.2, 6.3 ou 7.4 litros - isso mesmo, você não leu errado. As potências são de 445 cv, 430 cv e 563 cv, respectivamente, e o câmbio em todas tem apenas duas marchas à frente e uma marcha-a-ré. Na terra do Tio Sam, custam em média uns US$ 60 mil (perto de R$ 320 mil). Já pensou dar de cara com uma encrenca dessas em um encontro de motociclistas? Eu ia adorar!

Tags:Lista
Comentários