Logo WM1

O canal de notícias da Webmotors

Limpar buscar

Agora dá! Conheça a BMW G 310 R

Como anda, preço de peças, consumo e tudo o que você quer saber sobre a novidade mais aguardada dos últimos tempos

  1. Home
  2. Motos
  3. Agora dá! Conheça a BMW G 310 R
Karina Simões
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Seu sonho é ter um BMW, mas ele sempre pareceu muito distante da sua realidade? Pode assumir. Quem nunca? Seja um carro ou uma moto, trata-se de uma marca premium com veículos inacessíveis para a maioria dos mortais. Na visita à concesionária, a pedida é muito namoro e, no máximo, um chaveiro ou um boné. Eu me identifico, acreditem (suspiro pela S 1000R azul fosca há anos). Agora, o cenário mudou. Por R$ 21.900, a nova G 310 R é o veículo da marca bávara mais acessível que você pode ter.

Mais que uma moto de entrada que vai permitir à marca aumentar o leque da clientela, esta é a chance da BMW Motorrad renovar sua frota... de pilotos! É isso mesmo! Segundo Frcaptionico Alvarez, diretor da BMW Motorrad Brasil, os clientes estão envelhecendo e a G 310 R faz parte de uma estratégia para trazer gente nova para a marca. Leia, jovens recém-habilitados.

Na Europa, por exemplo, você não pode tirar habilitação de moto e comprar uma 1.000 cc, assim como no Japão. É um processo gradativo, onde você só pode aumentar a cilindrada de acordo com suas ‘horas de voo’. Então, se o motociclista começar na G 310 R (ou na já anunciada G 310 GS), a probabilidade de que ele continue na BMW quando subir de categoria é imensa. Na Europa e nos Estados Unidos, a novidade foi lançada no final de 2016.

Eu já havia simpatizado com o visual da moto, inspirado na esportiva S 1000 RR, e com o nome do projeto, K03, minha inicial e meu número da sorte. Restava saber se no nosso primeiro encontro também ia dar ‘match’.

Motor: porque ninguém pensou nisso antes?

Esta roadster é equipada com um motor monocilíndrico de 313 cm³, refrigerado à água, com duplo comando de válvulas no cabeçote e injeção eletrônica. São entregues 34 cv de potência aos 9.200 rpm e 2,8 kgf.m de torque a 7. 500 rpm. Até aí, ok, mas ela é 'diferentona' porque o cilindro é inclinado para trás e o cabeçote rotacionado em ângulo de 180°.

Esta configuração permite um fluxo linear e direto que vai da admissão à exaustão (como ilustrado na imagem abaixo), havendo uma separação muito mais lógica das partes frias e quentes. Por exemplo, o tubo de saída do escape (super quente) não transfere calor para o radiador como nas motos convencionais já que eles estão em direções opostas. Além disso, a nova configuração permite ainda uma distância entre-eixos mais curta, o que favorece uma pilotagem mais ágil.

icon photo
Legenda: Motor BMW G 310 R
Crédito: Motor BMW G 310 R

São muitos prós. Me pergunto porque isso nunca foi adotado em uma moto de rua antes e aposto que daqui pra frente outros modelos adotarão a configuração.

É uma BMW mesmo

Prestes a morrer de curiosidade, chegou minha vez. O teste aconteceu na pista do Haras Tuiuti, um circuito travado que proporciona mais diversão para as motos de baixa cilindrada. O modelo testado estava com a opção intermediária de assento, com altura do solo de 785 mm, ideal para quem mede 1,70m, como eu. Para democratizar o uso desta urbaninha, a marca oferece como acessório um banco mais baixo (760mm) e outro com mais espuma batizado de comfort (815 mm). Todos são em peça única, com a posição do garupa mais elevada.

icon photo
Legenda: BMW G 310 R
Crédito: BMW G 310 R

O descanso lateral conta com inibidor de partida, parece bobagem mas muitas vezes nos esquecemos de recolhê-lo. Hora de dar partida, as pedaleiras não são tão recuadas, o que garante uma boa ergonomia para o piloto, os comandos nos manetes estão acessíveis e o painel de instrumentos é digital, bem completo e de fácil visualização. Há indicador de marcha engatada, indicador do nível de combustível e até uma luz que indica o limite de rotações do motor. Um aviso do tipo “migo(a), pare de acelerar senão 'cê' me quebra”. Sacou?

icon photo
Legenda: BMW G 310 R
Crédito: BMW G 310 R

O tanque tem capacidade para 11 litros e conta com uma faixa em borracha na linha do bocal que vai até o banco. É bom, evita riscos na pintura. Depois pegarei a moto para fazer um teste mais longo na cidade, seu habitat, mas, segundo a BMW, o consumo fica na casa dos 28 km/l, o que indica uma autonomia de 308 quilômetros com um tanque.

icon photo
Legenda: BMW G 310 R
Crédito: BMW G 310 R

Como anda?

Já nas primeiras voltas ficou muito evidente que a G 310 R é uma legítima BMW. Guidão largo, acabamento alemão, equilibrada e freia que é uma beleza. Mas caso você se esqueça que está pilotando uma BMW, há um logo fixo na mesa com as três letras mágicas.

icon photo
Legenda: BMW G 310 R
Crédito: BMW G 310 R

A rotação máxima está a 9.500 giros e o monocilíndrico trabalha de maneira progressiva, com disposição condizente com a proposta da moto e uma entrega de potência suave. O torque e a potência estão disponíveis nas rotações mais baixas, o que beneficia o uso urbano. Já a vibração até que é comedida para um monocilíndrico, sentida mais nos pés do que no guidão quando estamos em movimento.

A embreagem é bem macia, assim como os engates do câmbio de seis marchas. Achei que sentiria mais seus 158,8 kg (com 90% do tanque cheio), mas ao contrário, achei a moto bem leve. A nova disposição do motor permitiu que o centro de gravidade ficasse mais para baixo e a moto ganhou em estabilidade.

Segundo a BMW, o consumo fica na casa dos 28 km/l, o que indica uma autonomia de 308 quilômetros com um tanque.

A G 310 R é uma moto muito equilibrada e fácil de pilotar. Os garfos da suspensão dianteira merecem destaque, não por serem dourados, mas porque são invertidos com curso de 140mm. Na traseira há um único amortecedor fixado diretamente na balança em alumínio. Já o quadro é tubular com treliças de aço.

 BMW G 310 R
Legenda: BMW G 310 R
Crédito: BMW G 310 R

Na pista, duas chicanes nas retas não permitiram que eu chegasse ao máximo de velocidade, mas permitiram que eu freasse bruscamente por muitas vezes. As rodas não travaram nenhuma vez e a moto manteve-se em linha reta. O conjunto inclui de série ABS de dois canais não comutáveis, ou seja, não dá para desligar o sistema. A dianteira vem equipada com um freio monodisco com pinça fixa de quatro pistões e disco de 30 mm de diâmetro. Na traseira há uma pinça flutuante de dois pistões associado a um disco de 240 mm. As rodas são em alumínio aro 17 'calçadas' com os já conhecidos pneus Pirelli Diablo Rosso II, 110/70 ZR 17 na dianteira e 150/60 ZR 17 na traseira.

icon photo
Legenda: BMW G 310 R
Crédito: BMW G 310 R

As motos estavam com ajuste para uso urbano e eu tive meia hora na pista. Tempo suficiente para se empolgar a ponto de quase perder a traseira algumas vezes, o que poderia ser resolvido com um ajuste na pré-carga do amortecedor para a traseira ficar mais firme e uma calibragem de pneus mais adequada. Em suma, o que você precisa saber é que deu 'match', sim.

icon photo
Legenda: BMW G 310 R
Crédito: BMW G 310 R

Acessórios

Além do banco mais baixo e do banco comfort, a BMW  oferece como acessório tomada 12V, piscas em LED, cavalete e bauleto com capacidade para 29 ou 30 litros.

Concorrentes

A G 310 R chega em um segmento com concorrentes bonitas e divertidas de pilotar. Em ciclística, a moto a ser batida é a japonesa Yamaha MT-03 (R$ 21.190 com ABS), que entrega 8 cv a mais. Outras rivais são a KTM Duke 390 (R$ 21.990), a Kawasaki Z300 (R$ 20.890 com ABS) e até a Honda CB 500F, vendida a R$ 23.900.

icon photo
Legenda: BMW G 310 R
Crédito: BMW G 310 R

Manutenção e peças

A marca reconhece que neste segmento o custo de manutenção é muito importante e impacta diretamente na decisão de compra. A G 310 R é montada em Manaus (AM) e a BMW garante a fartura de peças de reposição. Pensando em baratear custos, o modelo traz algumas facilidades, como, por exemplo, o farol dianteiro escamoteável para facilitar a troca da lâmpada ou a bomba de combustível que fica fora do tanque, também para facilitar o acesso. Mas, como eu já disse, é uma BMW e se você quebrar um pisca, esteja preparado para pagar a conta.

icon photo
Legenda: BMW G 310 R
Crédito: BMW G 310 R

Cesta de peças

Filtro de óleo

R$ 77,74

Filtro de combustível

R$126,95

Elemento filtro de ar

R$7 79,90

Manete do freio

R$ 122,80

Kit pastilhas de freio dianteiro

R$ 363,64

Kit pastilhas de freio traseiro

R$ 231,45

Espelho retrovisor

R$ 247,80

Farol completo

R$ 883,76

Seta direita

R$ 296,54

Pinhão da corrente

R$ 114,14

Corrente com emenda

R$ 633,93

Coroa da corrente

R$ 269,34

Revisões

Seguindo a linha dos demais produtos da marca, as revisões da G 310 R serão feitas a cada 10 mil quilômetros. Confira os valores:

1.000 km

R$ 375

10.000 km

R$ 375

20.000 km

R$ 1.800

30.000 km

R$ 375

40.000 km

R$ 1.400

Total = 4.325

Dá pra pagar o carnê

A G 310 R chegou às 39 concessionárias do país no último sábado (12) e se depender do sucesso da pré-venda, a rede mirrada não vai dar conta da demanda. Em três semanas, as 100 motos destinadas às vendas antecipadas se esgotaram. Se levarmos em conta que a média de vendas do modelo mais emplacado da BMW no Brasil hoje, a R 1200 GS, foi de praticamente o dobro disso (222 unidades/mês) de janeiro à julho deste ano, chega a ser assustador vender em menos de um mês 100 unidades de um produto que o cliente nunca viu.

Por meio da BMW Serviços Financeiros, a marca oferece condições especiais de financiamento com parcelas mensais de R$ 499, taxa de juros de 2,08%, saldo em 36 meses e entrada de R$ 7.150 com parcela final de 30%. A montadora ainda garante a recompra da moto.

A BMW não quis abrir a estimativa de vendas porque eles querem entender primeiro segmento em que estão entrando. Todavia, os executivos da marca adiantam que o foco não será em volume e sim em qualidade. Sem uma expansão na fábrica e na rede, é difícil prever um aumento na capacidade de produção e vendas. É bom eles irem pensando nesta expansão, pois desta vez vai sobrar chaveiro na concessionária e faltar moto.

Ficha técnica

Motor: monocilíndrico, 4 válvulas com duplo comando, refrigeração líquida

​Cilindrada: 313 cm³

Taxa de compressão: 10,6:1

Potência: 34 cv a 9.200 rpm

Torque: 2,8 kgf.m a 7.500 rpm

Alimentação: injeção eletrônica

Câmbio: 6 marchas

Transmissão final: corrente

Embreagem: multidisco banhada a óleo

Curso suspensão dianteira: 140mm

Curso suspensão traseira: 131mm

Freio dianteiro: Disco simples de 300mm

Freio traseiro: Disco simples 240mm

Peso em ordem de marcha : 158,8 kg

Capacidade de carga: 186 kg

Tanque de combustível: 11 L (reserva +/- 1L)

Largura (com espelhos): 820mm

Altura (sem espelhos): 1.080mm

Comprimento: 2.005mm

Distância entre-eixos: 1.374mm

Preço: 21.900

Anuncie sua moto DE GRAÇA na Webmotors!

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors