BMW revela, na Alemanha, a renovada S 1.000 R

Linha 2021 do modelo, que é uma versão sem carenagem da furiosa S 1.000 RR, tem novidades no design e na mecânica

  1. Home
  2. Motos
  3. BMW revela, na Alemanha, a renovada S 1.000 R
Roberto Dutra
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

A BMW mostrou, na Alemanha, a linha 2021 na naked S 1.000 R. A novidade muito nos interessa, já que a moto é vendida no mercado brasileiro e em algum momento as mudanças aparecerão por aqui, provavelmente no segundo semestre de 2021.

Thumbnail 2. Bmw S 1.000 R
O farol mudou radicalmente: entra uma bela peça de lente única com iluminação por LEDs
Crédito: Divulgação

A S 1.000 R é, na prática, a superbike S 1.000 RR sem carenagem. Mas tem o mesmo poder de fogo, com desempenho furioso, dirigibilidade muito mais fácil do que parece e bastante charme. Na linha 2021, exibe visual aprimorado, chassis mais leve e o mesmo motor de antes.

O design até mudou pouco, mas de maneira evidente: o farol assimétrico "caolho" de antes foi substituído por uma peça de visual simétrico e harmonioso, com iluminação por LED - aliás, todas as luzes da moto têm LEDs. O painel mudou e passa a ser o mesmo da S 1.000 RR: uma tela de TFT de 6,5 polegadas bem completinho, conectividade com smartphone e navegação por GPS. O escape também é novo e já adequado à norma de emissões e ruídos Euro 5.

O motor ainda é bem moderno e a única novidade esperada era a implementação do comando de válvulas variável, que já existe na irmã esportiva. Mas não foi desta vez, e tudo continua como antes. Porém, não dá para se decepcionar como este quatro cilindros em linha de 999cm³, 165 cv de potência a 11.000 rpm e 11,6 kgf.m de torque a 9.250 rpm.

Thumbnail 3. Bmw S 1.000 R
O motor não ganhou comando variável, mas ainda faz bonito: são 165 cv de potência e 11,6 kgf.m de torque
Crédito: Divulgação

O câmbio de seis marchas tem embreagem assistida, para reduzir o esforço em seu acionamento, e deslizante, para evitar o travamento da roda traseira nas frenagens mais severas. Mas foi feito o alongamento das três últimas marchas, para reduzir consumo e ruídos. Há quickshift para cima e para baixo - sistema que permite a troca das marchas sem uso de embreagem e sem aliviar o acelerador.

Thumbnail 4. Bmw S 1.000 R
A S 1.000 R é uma espécie de versão sem carenagens e mais discreta da superbike S 1.000 RR
Crédito: divulgação

Opcionalmente a S 1.000 R pode ganhar um dispositivo que permite ao piloto ajustar a interferência do freio-motor nas reduções - chama-se controle dinâmico do freio-motor (MSR). E há vários outros opcionais para o modelo europeu, como farol adaptativo atuante em curvas, luzes de rodagem diurna (DRL) e modo de pilotagem adicional "Dynamic Pro" (que permite ao piloto ajustar a interferência do sistema anti-empinamento, do freio-motor, da entrega do torque, do controle de largada e do auxílio de partida em rampas).

O chassi ficou mais leve e mais estreito ali pelo meio, e permite que o piloto encaixe melhor os joelhos. Já o guidom passou a ter regulagens de altura - outro benefício para a ergonomia. Agora, a moto tem 199 quilos, cinco a menos que antes. Nos pacotes de acabamento "M" e "Carbon", há mais redução de peso.

Thumbnail 5. Bmw S 1.000 R
O escape mudou e já está adequado às normas de emissões e ruídos Euro 5
Crédito: Divulgação

A eletrônica a bordo ainda inclui controles de tração e anti-empinamento, auxílio de partida em rampas e três modos de pilotagem - estrada, chuva e dinâmico, este último com ajustes feitos pelo próprio piloto. O mesmo pode ser feito no sistema ABS dos freios, que agora tem o modo "pro". Ou seja, o piloto ajusta a interferência do dispositivo a seu gosto no sistema que tem disco duplo (com 320mm de diâmetro) na frente e disco simples atrás (com 220mm).

As suspensões, por sua vez, também têm ajustes: na dianteira invertida, de pré-carga da mola e da compressão; na traseira monochoque, de compressão, de retorno e de pré-carga da mola. Aliás, agora o monochoque está um pouco mais distante do motor, e trabalha em temperatura mais amena. Já as rodas de liga leve vestem pneus 120/70 e 190/55, ambas com aros de 17 polegadas.

Na Europa, a nova S 1.000 R chega por 14.800 euros - o equivalente a R$ 94 mil. O modelo vendido atualmente no Brasil custa R$ 77.750.

Thumbnail 6. Bmw S 1.000 R
A versão com acabamento "M" tem pintura tricolor, nas cores branca, azul e vermelha
Crédito: Divulgação
Comentários