Diário do Paschoalin: piloto de Flat Track

Para o segundo semestre, nosso piloto encara as insanas corridas de Flat Track. Acompanhe a saga aqui no WM1!

  1. Home
  2. Motos
  3. Diário do Paschoalin: piloto de Flat Track
Rafael Paschoalin
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Garota eu vou pra Califórnia... Viver a vida em uma van, vou ser piloto de Flat Track, o meu destino é pontuar!

Poderia ser uma variação da música do Lulu Santos (veja no google caso você tenha nascido no século XXI), mas é a minha aposta para esse segundo semestre. Antes de detalhar meu plano de dominar as derrapagens, vou tentar explicar como funciona o meu cérebro.

icon photo
Legenda: Rafael Paschoalin aposta no Flat Track
Crédito: Rafael Paschoalin aposta no Flat Track

A ressaca do pódio em Pikes Peak nem tinha acabado e eu já estava experimentando algo novo, que não temos aqui no Brasil. A receita é simples: faça uma pista oval que pode ter meia ou uma milha, piso de terra compactado, acrescente pilotos destemidos com motos de cross ou bicilíndricas de até 750cc, retire o freio dianteiro e dê aderência como única fonte de sucesso para ir o mais rápido possível dentro dessa arena. Esse é o Flat Track e é isso que eu estou indo fazer nos EUA, precisamente em Sturgis, na Dakota do Sul, no maior encontro de motos do mundo (700.000 pessoas estiveram lá na edição de 2015).

Talvez você se impressione ao saber que a minha experiência nessa modalidade se resume a mais ou menos 40 voltas com o professor Davey Durele, em alguma pista no Colorado, no mês passado, antes de viajar de volta ao Brasil. Para a minha surpresa, e de todos que estavam presentes, fiquei a menos de 1s do Davey, considerado um dos melhores pilotos do estado.

icon photo
Legenda: Davey Durele
Crédito: Davey Durele

Lembra que falei do meu cérebro? Pois então, ele não parou de fazer cálculos, criar projetos e buscar soluções para que eu voltasse aos EUA para experimentar de verdade essa modalidade. Coragem nunca foi problema, o que me falta às vezes é aderência e dessa vez eu acho que tenho pela frente uma das maiores aventuras da minha vida. Enchi o saco dos meus amigos na Yamaha Brasil. Um powerpoint bacana e a memória fresca do bom resultado em Pikes foi o combustível para eles me arranjarem uma Yamaha YZ 450F em Los Angeles com a Yamaha USA.

icon photo
Legenda: Yamaha YZ 450f
Crédito: Yamaha YZ 450f

Embarquei nessa trip no último domingo, 30 de julho. Na segunda cedo aluguei uma van (que será minha casa nas próximas semanas), peguei a YZ no QG da Yamaha e guiei de modo civilizado por mais de 1.800 km até Colorado Springs, CO. Cansaço é psicológico e terei apenas 1 dia para transformar a moto de cross em uma legítima Flat Tracker. Acredito que a minha bunda não vai ter voltado ao formato original e eu já estarei de novo guiando, dessa vez em direção a Sturgis, mais 800 km para a conta!

icon photo
Legenda: trip_flat_track.jpg
Crédito: trip_flat_track.jpg


Serão cerca de 6000 km na costa oeste dos EUA.

Claro que vou detalhar tudo isso nos vídeos e textos que virão nos próximos dias, mas para vocês não perderem o raciocínio, depois de correr algumas provas em Sturgis, desço para o Kansas para mais 4 corridas do campeonato I-70. Feito isso, de volta ao Colorado para transformar a moto em cross novamente, e depois, os mesmos 1.800 km para a devolver a YZ na Califa e voar de volta ao Brasil.

Importante

- Procuro um companheiro de viagem disposto a dirigir e que seja louco o suficiente para me encontrar por lá

- Também busco investidores para esse projeto que tem um retorno de mídia fantástico e está detalhado no meu site www.paschoalin.com

- Se você se animou em fazer parte disso, saiba que os banhos serão apenas em postos de gasolina, a comida será congelada, com orçamento diário de 9 dólares e eu vou instalar pregos no pedal de acelerador da van que tem um motor V8 e bebe mais que o meu amigo Brumel.

icon photo
Legenda: Koy Baker e Rafael Paschoalin
Crédito: Koy Baker e Rafael Paschoalin


Koy Baker e Rafael Paschoalin 

icon photo
Legenda: James e Irina Osborne
Crédito: James e Irina Osborne


James e Irina Osborne, são tipo os pais adotivos do Rafa nos EUA

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors