Ducati: 2021 foi o melhor ano na história da marca

Com estratégias acertadas e novos modelos, vendas bateram recordes. Veja porque e conheça as motos vendidas aqui

  1. Home
  2. Motos
  3. Ducati: 2021 foi o melhor ano na história da marca
Roberto Dutra
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

A Ducati italiana teve, em 2021, o melhor resultado de vendas em sua história. A marca vendeu 59.447 motocicletas em todo o mundo. Pode parecer pouco para quem está acostumado e ver números de vendas de motos como a nossa Honda CG 160 Titan -que, sozinha, vendeu 315 mil unidades no ano passado -, mas falamos de uma marca europeia "premium", que só vende motos de alta cilindrada - cujos preços são altos em qualquer país do mundo.

Com o resultado, as vendas da Ducati cresceram 24% em relação a 2020, que não chega a ser um ano bom como referência - foi quando o mundo parou por causa da pandemia de covid-19. Mas o número também é 12% superior ao de 2019, quando as coisas ainda estavam "normais" - então, sim, é um resultado bastante positivo. O modelo mais vendido pela marca foi a Multistrada V4, com 9.957 unidades.

"2021 foi um ano mágico para a Ducati, pois chegamos a um número inédito em nossos 95 anos de existência. Também ganhamos pelo segundo ano consecutivo o título de construtores na categoria MotoGP e demos início à nossa era elétrica com o protótipo V21L, que dará origem à moto que competirá na categoria MotoE, para superbikes elétricas", comemorou o CEO da Ducati, Claudio Domenicalli.

Claudio Domenicali Ducati Ceo 2021 Uc358552 Low
O CEO da Ducati, Claudio Domenicali, comemora os resultados de 2021: "foi um ano mágico"
Crédito: Divulgação
toggle button

O crescimento aconteceu em quase todos os países em que a Ducati atua. Nos Estados Unidos, por exemplo, a marca vendeu 9.007 motos, 32% a mais que em 2020. Na Itália - ou seja, em casa -, foram 8.707 unidades, 23% a mais que em 2020. Na Alemanha foram 6.107 (+11%), na China foram 4.901 (+21%), na Franca, 4.352 (+12%) e no Reino Unido, 2.941 (+30%).

No Brasil, houve uma pequena queda, de 1.071 unidades em 2020 para 1.061 no ano passado (dados da Federação Nacional dos Distribuidores de Veículos - Fenabrave). Mas é uma diferença desprezível e o resultado pode ser considerado estável diante das dificuldades impostas pela pandemia.

My22 Ducati Desertx 95 Uc356402 Mid
A Ducati lançou recentemente a DesertX, uma trail raiz para quem gosta de off-road brabo
Crédito: Divulgação
toggle button

Para este ano, as expectativas são bastante otimistas, inclusive pelo fato de a marca ter lançado, nos últimos meses, nada menos que nove versões ou modelos novos - inclusive a esperadíssima DesertX, uma trail raiz cujas vendas começam em breve e que deve fazer um sucesso tremendo em nível mundial. A moto tem motor de 110 cv e 9,4 kgfm, apenas 202 quilos (a seco) e características muito atraentes para a turma do "off", como rodas com aro 21 na frente e aro 18 atrás, grande vão livre, suspensões de longo curso e até possibilidade de ter dois tanques de combustível.

Na Europa, custará iniciais 15.990 Euros, cerca de R$ 101.500 em conversão direta. Aguardamos a moto aqui no Brasil lá para o segundo semestre.

Modelos da Ducati no Brasil

Scrambler Icon - R$ 64.990

É a Ducati mais barata vendida no Brasil. É uma funbike compacta, divertida e arisca, mas totalmente dominável. O motor é um bicilíndrico em "L' com 803 cm³, 73 cv de potência e 6,7 kgf.m de torque.

Multistrada 950S - R$ 102.990

Com motor bicilíndrico em L de 937 cm³, a Multistrada é um fenômeno de vendas e de pilotagem. Não é uma big trail raiz, mas tem suspensões altas que proporcionam muito conforto para piloto e garupa. São 113 cv de potência e 9,6 kgf.m de torque. Na Itália, mudou de nome para Multistrada V2.

Multistrada 1260 S - R$ 119.990

A maior das Multistrada repete as características da irmã menor, mas com um desempenho naturalmente mais forte. Afinal, seu enorme motor V2 rende 158 cv de potência e 12,2 kgf.m, número que sobram para levar seus 212 quilos (a seco). Muita tecnologia e diversão.

A XDiavel na versão Black Star, que é vendida na Europa: uma power custom com design sedutor
Crédito: Divulgação
toggle button

Diavel 1.260 S - R$ 124.990

A lindíssima power custom exibe toda a beleza do mais rebuscado design italiano e a mesma mecânica usada na Multistrada 1260 S, com 158 cv e um torque pouco superior, de 12,9 kgf.m. Pesa 218 quilos e anda muito forte.

X Diavel 1.260 - R$ 124.990

A versão "X" custa a mesma coisa que a "S" e tem mesma motorização, embora com números levemente amansados - são 152 cv e 12,6 kgf.m. A diferença está em acabamentos e nas rodas, também de liga leve mas com desenho arrebatador.

A Ducati Monster 1200 S é a "moto com cara de moto" da Ducati: uma naked despojada e nervosa
Crédito: Divulgação
toggle button

Monster 1200 S - R$95.990

Apesar do nome, a Monster é linda e, também, a "moto com cara de moto" no lineup da Ducati. É uma naked com quadro treliçado exposto, que propõe um desempenho nervoso - seu motor tem nada menos que 147 cv de potência com 12,4 kgf.m de torque.

Streetfighter V4 S - R$ 157.990

O mais recente lançamento da Ducati no Brasil (chegou no fim do ano passado) é uma naked com design deslumbrante e performance de superbike com seus 208 cv de potência e 12,6 kgf.m de torque para apenas 178 quilos a seco - é 7 quilos mais leve que Monster, mesmo com seu enorme moto de quatro cilindros em V. Um espetáculo de moto!

Panigale V4 S - R$ 162.990

Quem gosta de superesportiva puro-sangue, de acelerar forte e, principalmente, tem braço para isso sempre se emociona ao ver a Panigale V4 S, uma das principais superbikes do mundo. São 217 cv de potência com 12,4 kgf.m, que a tornam uma das motos esportivas mais cobiçadas do planeta (escolha a vermelha).

A Panigale Superleggera V4 é uma moto para quem tem braço e curte adrenalina: são 234 cv de potência!
Crédito: Divulgação
toggle button

Superleggera V4 - R$ sob encomenda

Essa aqui é uma espécie de Panigale de outro planeta. Ainda mais forte que a outra, seu motor de 998 cm³ rende indomáveis 234 cv de potência e 11,6 kgf.m de torque. O peso é reduzido pelo uso de várias peças de fibra de carbono e metais nobres - são apenas 158 quilos a seco. É moto para andar em pistas fechadas e track days. Um assombro de moto sob todos os aspectos.

Tags:mercado
Comentários