Logo WM1

O canal de notícias da Webmotors

Limpar buscar

Honda Gold Wing: sedã de luxo sobre duas rodas

Top de linha entre as motocicletas de turismo, modelo da Honda oferece muito torque e eletrônica
  1. Home
  2. Motos
  3. Honda Gold Wing: sedã de luxo sobre duas rodas
Agência Infomoto
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon


Fazia algum tempo que não pilotava a Honda GL 1800 Gold Wing 1800. Confesso que já havia esquecido como ela é divertida, apesar de seus quase três metros de comprimento e 387 quilos (a seco). Depois de alguns quilômetros me familiarizando com o modelo, cheguei a uma conclusão: em função de facilidade na pilotagem, a top de linha da Honda é uma “CG anabolizada”. Ela oferece ao motociclista mais exigente o que há de mais moderno em termos de conforto e sofisticação, além de um bom pacote eletrônico. A moto conta com motor de seis cilindros opostos (boxer) de 118 cavalos de potência máxima. E, em relação à segurança traz airbag, freios ABS e sistema Dual CBS (Combined Brake System), que evitam o travamento das rodas. O preço sugerido é de R$ 92.000.


Importada do Japão, a Gold Wing 2012 da Honda não tem, por exemplo, controle de tração, ajuste eletrônico da suspensão dianteira, sistema de navegação; faróis direcionais e para-brisa elétrico. Mas, oferece outros luxos como piloto automático, regulagem de altura do farol, marcha a ré com acionamento elétrico e ajuste eletrônico da pré-carga da mola. Para desfrutar da viagem a moto oferece um sofisticado sistema de som, com seis alto-falantes e que agora pode se conectar a dispositivos USB e smartphones como iPhone. São tantos os botões que comandam o som que motociclista pode ser transformar em DJ. O perigo é se distrair de seu foco principal, que é a pilotagem.


Avaliação dinâmica

Mas não vou ficar aqui descrevendo todas as mudanças estéticas e funcionais adotadas no modelo 2012. O importante mesmo é saber como é rodar com a Gold Wing. Por isso nada melhor que pilotá-la por estradas bem asfaltadas, sinalizadas e, de quebra, com sol e céu azul, e uma boa companhia.


O destino escolhido foi Caraguatatuba, no litoral Norte de São Paulo. No total, foram percorridos quase 400 quilômetros, o que ainda é pouco para esta grã turismo. Rodando pelas rodovias Ayrton Senna, Carvalho Pinto e Tamoios (esta com vários quilômetros em obras), o motor não deixou a desejar e o consumo girou na casa dos 16 km/l, projetando uma autonomia de cerca de 400 km.


O propulsor OHC (Over Head Camshaft), de 1.832 cm³, seis cilindros opostos, 12 válvulas (duas por cilindro), produz potência máxima de 118 cv a 5.500 rpm e torque máximo de 17 kgf.m a 4.000 rpm para empurrar os quase 400 kg da Gold. A título de comparação, um sedã como o Honda Civic, que pesa três vezes mais (1286 kg), tem 17,5 kgf.m a 4.600 rpm. Ou seja, a moto carrega uma usina de força pronta para entrar em operação e encarar a estrada com muita desenvoltura, mesmo com garupa e bagagem. Aliás, na atual versão a capacidade total de bagagem aumentou de 147 para 150 litros nos três bagageiros. Mesmo em baixas rotações, o motor “enche” com vigor e rapidez. Ainda bem que a garupa tem um confortável assento e um belo encosto para se apoiar nas acelerações mais fortes. Como o grande barato desta moto é viajar com uma bela companhia, é comum até que a garupa durma enquanto o piloto acelera em retas e contorna curvas, de preferência bem abertas. Falando nisso, a Gold também é boa de curva. Apesar de 1,7 m de entre-eixos, o baixo centro de gravidade mantém a moto grudada no chão e com bom ângulo de inclinação. Ela não é uma esportiva, mas se o piloto precisar girar o acelerador com vontade, e tiver habilidade, é melhor sair da frente.


Ciclística equilibrada

O conjunto ciclístico está ancorado em um chassi do tipo Diamond feito em alumínio de dupla trave, que oferece maior rigidez estrutural e colabora muito com a estabilidade do conjunto. A suspensão surpreende pela eficiência sem perder a maciez e bom desempenho. Assim, a Gold Wing roda sem trancos e solavancos. Na dianteira, garfo telescópico, com 140 mm de curso e sistema "anti-dive", que controla a velocidade de compressão e retorno dos amortecedores, reduzindo o efeito "mergulho".


Já a traseira, com 105 mm de curso, traz monobraço de alumínio, aliado ao monoamortecedor com o sistema Pro-Link da Honda, que isola o chassi dos impactos e torções registrados durante a pilotagem. A pré-carga da mola da suspensão traseira pode ser ajustada em até 26 posições e duas memórias.


Freios eficientes

Os freios são um capítulo à parte e extremamente precisos. Na dianteira, dois discos flutuantes de 296 mm na dianteira e 316 mm na traseira, todos mordidos por pinças de três pistões. Mas só de saber que a moto oferece sistema de freios ABS, o motociclista já se sente mais seguro, pois sabe que terá condições de controlar a Gold Wing em situações críticas, mesmo com pisos irregulares ou com menor atrito.


Aliado ao ABS, está o sistema Dual CBS (Combined Brake System), que controla e distribui a frenagem entre a roda dianteira e a traseira. Ao apertar o manete dianteiro ou acionando o pedal de freio traseiro, o sistema será responsável por frenagens progressivas, seguras e eficientes. Para melhorar a estabilidade, o modelo de turismo da Honda usa rodas de liga leve dianteira de 18’’ e traseira de 16’’, respectivamente com pneus sem câmara respectivamente 130/70R e 180/60R. Ainda falando sobre segurança a Gold Wing é a única moto no mundo equipada com airbag.


Itens de série e mercado

A GL 1800 Gold Wing conta com um completo painel de instrumentos formado por velocímetro, tacômetro, indicadores de nível de combustível e temperatura do motor. Mais abaixo está o mostrador digital que tem, entre suas funções, hodômetro total e dois parciais, ajuste da luminosidade do mostrador, relógio, medidor de temperatura ambiente, indicador de abertura dos compartimentos de bagagem e sistema de som. Além é claro de complexos comandos nos punhos. Para entender a finalidade de cada um dos 21 botões e dois seletores, a Gold Wing conta com um completo manual do proprietário com cerca de 300 páginas.


Disponível nas cores preta e branca perolizada, a GL 1800 Gold Wing 2012 tem preço público sugerido de R$ 92.000, com base no Estado de São Paulo e não inclui despesas com, frete e seguro. A garantia é de um ano, sem limite de quilometragem. Suas principais concorrentes são BMW K 1600 GTL (R$ 108.500), Kawasaki Concours 14 (R$ 74.990) e Harley-Davidson Electra Glide Ultra Limited (R$ 68.400).

 

FICHA TÉCNICA

Honda Gold Wing

Motor: OHC, 4 tempos, com 6 cilindros, 12 válvulas, arrefecimento a líquido

Transmissão: Eixo-cardã de cinco velocidades

Alimentação: Injeção eletrônica

Partida: Elétrica

Potência: 118 cv a 5.500 rpm

Torque: 17 kgf.m a 4.000 rpm

Diâmetro e curso: 74 mm x 71 mm. Taxa de compressão: 9,8:1

Suspensão: Garfo telescópico na dianteira; monoamortecedor

Freios: Duplo disco de 296 mm e disco de 316 mm

Rodas e pneus: 130/70 R18 M/C (63H)  e 180/60 R16 M/C (74H)

Comprimento 2.629 mm

Altura do assento 740 mm

Altura 1.455 mm

Largura 945 mm

Entre-eixos de 1.690 mm

Peso: 387 kg

Capacidade cúbica: 1.832 cm³

Chassi: Diamond, em alumínio.

Tanque: 25,5 litros (reserva de 4,6 litros).

Cores: Preta e branca perolizada.

Preço: R$ 92.000, base Estado de São Paulo


_______________________________


O melhor classificado de carros e motos do Brasil tem também a avaliação mais completa. Com a Tabela Fipe / WebMotors você sabe o menor, maior e preço médio do veículo no Brasil e em sua região. Avalie agora mesmo para fazer uma boa compra ou venda do seu carro ou moto.

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors