Honda Varadero X Suzuki V-Strom

Com ciclística semelhante, Honda Varadero e Suzuki V-Strom são feitas para longas viagens, qualquer que seja o caminho
  1. Home
  2. Motos
  3. Honda Varadero X Suzuki V-Strom
Auto Informe
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- Duas big-trails, como a Honda Varadero XL 1000V e a Suzuki V-Strom DL 1000, só podem ser comparadas dentro da sua proposta: uma longa viagem sem se preocupar com o caminho. Tínhamos então pela frente mais de 300 km até o circuito das águas em Minas Gerais. Passando por excelentes estradas, como a rodovia Carvalho Pinto, e por estradas sinuosas e de asfalto precário, como a que sai de Cruzeiro, no Estado de São Paulo, e vai até a cidade mineira de Passa Quatro.

Tudo pronto para a viagem, só restava conferir um importante detalhe antes de pegar a estrada: as motos estavam abastecidas? A Suzuki V-Strom nos trazia a resposta logo ao se girar a chave – o marcador de combustível informava que o enorme tanque de 22 l estava cheio. Já no painel da Honda Varadero falta essa informação. Pois foi assim nos detalhes que essas duas grandes aventureiras com motores de dois cilindros em “V” de 1.000 cm³ mostraram suas qualidades e pontos fracos.

Ciclística

As semelhanças são tantas que podemos resumir as características ciclísticas dessas duas big-trails em poucas palavras: um quadro tipo diamante com o motor fazendo parte da estrutura, suspensões telescópicas de longo curso na dianteira e um único conjunto mola-amortecedor fixado por links à balança traseira. As rodas de liga-leve são calçadas com pneus de uso misto, muito mais on do que off-road.

Porém, o grande ponto positivo de ambas é o conjunto de suspensões que absorvem as imperfeições do asfalto sem incomodar o piloto. Claro que, apesar da proposta de uso misto, não foram projetadas para o off-road pesado.

O sistema de freios também é parecido nas duas. Discos duplos na dianteira e simples na traseira. A Honda Varadero leva vantagem por trazer o sistema Dual Combined ABS antitravamento.

Motor e câmbio

Assim como na parte ciclística, os motores de Honda Varadero e Suzuki V-Strom são bastante semelhantes na concepção. Como o próprio nome oficial das motos diz, são dois propulsores de dois cilindros em “V” com quase 1.000 cm³: exatos 996 cm³. Têm refrigeração líquida e alimentação por injeção eletrônica.

Mas é no comportamento e nos números de desempenho que eles se diferenciam. A Honda declara potência máxima de 93,8 cv a 7.500 rpm, enquanto a Suzuki oferece 98 cv a 7.600 rpm. O torque é bastante semelhante: a Varadero tem 9,9 kgm a 6.000 rpm e a V-Strom 10,3 kgm a 6.400 rpm.

Como mostram os números e o uso na estrada, o motor da big-trail Suzuki tem um comportamento mais esportivo e uma resposta mais imediata ao acelerador, justificando sua origem esportiva, afinal esse V2 equipava a esportiva TL 1000, já fora de linha. Já na Varadero, apesar de o motor ter a mesma base da esportiva VTR 1000, o V2 tem um comportamento mais macio, fazendo jus à tradição Honda de motores mais “comportados”. Ambas ainda são equipadas com a sexta marcha overdrive para economia de combustível e menos vibração na estrada.

Conforto e ergonomia

No quesito ergonomia, ambas receberiam altas notas. Com uma postura ereta e protegido pelo pára-brisa – que oferece regulagem manual na V-Strom – o motociclista se sente apto a viajar centenas de quilômetros. Mas bastaram 160 km para notar que o banco com uma capa de gel e revestimento antiderrapante da Varadero oferece mais conforto que o banco de couro e uma densa espuma da V-Strom. Não que o modelo Suzuki seja desconfortável, mas é inferior se comparado ao banco da Honda.

Outro item de conforto e também de segurança, presente em ambas, é o protetor de mão. Além de proteger as mãos e os manetes em caso de pequenas quedas, desvia o vento em dias frios.

Painel e estilo

Ambas trazem um painel completo com dois grandes mostradores redondos que informam a rotação do motor e a velocidade. Completam as informações, relógios, temperatura do motor e luzes de advertência. Apesar da ausência do marcador de gasolina, a Varadero traz um computador de bordo que informa o consumo imediato e a autonomia da moto quando o nível de combustível chega à reserva.

O estilo de ambas segue fielmente a identidade visual das big-trails – pára-brisa, tanque enorme, bengalas dianteiras longas etc. Mas enquanto a Honda tem um design de linhas arredondadas, a Suzuki traz linhas angulosas. No restante se parecem: têm dois faróis muito eficientes, vale dizer, duas saídas de escape e bagageiro traseiro. No quesito estilo, a escolha fica mesmo por conta do gosto pessoal de cada um.

Preço

Se até agora ficou difícil escolher qual a melhor, o preço também não ajuda em nada, pois a diferença entre elas é pouca. A Honda XL 1000V Varadero está cotada em R$ 49.269,16 US$ 28.064,00, já a Suzuki DL 1000 V-Strom R$ 48.584 na tabela ambos preços sugeridos, sem frete e seguro.

A escolha acaba mesmo nos detalhes. Uma tem marcador de combustível, a outra não. A Varadero tem freios ABS, a V-Strom não. A big-trail Suzuki tem um motor mais esportivo, enquanto a da Honda é mais comportada. Escolha a sua.

FICHA TÉCNICA – Suzuki DL-1000 V-Strom X Honda XL 1000V Varadero


















MODELOS Suzuki DL-1000 V-Strom Honda XL 1000V Varadero
MOTORES Quatro tempos, V-Twin a 90º, 8 válvulas, DOHC, refrigeração líquida, 996 cm³Quatro tempos, DOHC, 2 cilindros em “V” a 90º, 8 válvulas, arrefecimento a líquido, 996 cm³
POTÊNCIAS98 cv a 7.600 rpm 95 cv a 7.500 rpm
TORQUES10,3 kgm a 6.400 rpm9,9 kgm a 6.000 rpm
ALIMENTAÇÕES Injeção eletrônica Injeção eletrônica
TRANSMISSÕES FINALCorrente Corrente
CÂMBIOS Seis marchas Seis velocidades
PARTIDAS Elétrica Elétrica
RODAS Dianteira de aro 19” e traseira de aro 17” Dianteira de aro 19” e traseira de aro 17”
PNEUS Dianteiro 110/80 R19M/C 59H, sem câmara; traseiro 150/70 R17M/C 69H, sem câmara Dianteiro 110/80 – ZR19 sem câmara; traseiro 150/70 – ZR17 sem câmara
CHASSISComprimento de 2.295 mm, 910 mm de largura total, altura de 1.395 mm, distância entreeixos de 1.535 mm, altura mínima do solo de 165 mm, altura do assento de 840 mm e peso a seco de 208 kg Quadro Diamond pivotless de seção tubular, com comprimento de 2.295 mm; largura de 925 mm; altura de 1.500 mm, altura mínima do solo de 181 mm; entreeixos de 1.560 mm; altura do assento de 838 mm; peso a seco de 241,5 kg
TANQUES22 l 25 l 4 l de reserva
SUSPENSÕESDianteira com telescópica invertida de amortecimento hidráulico, pré-carga da mola ajustável; traseira com balança de amortecimento hidráulico tipo link, com ajustador remoto manual da pré-cargaDianteira com garfos telescópicos de 43 mm de diâmetro e 155 mm de curso; traseira monoamortecida Pro-Link, com curso de 116 mm e ajuste do retorno e da pré-carga da mola
FREIOSDianteiro com dois discos ventilados flutuantes, mordidos por pinças deslizante de 2 pistões de acionamento hidráulico; traseiro com disco ventilado, mordido por pinça deslizante de pistão simples de acionamento hidráulicoDianteiro com duplo disco flutuante de 296 mm com pinças de 3 pistões com sistema DCBS e ABS; traseiro com disco simples de 256 mm de diâmetro com pinça de dois pistões
CORES Cinza, preta e azul Prata e vinho
PREÇOS R$ 48.548 R$ 49.269,16


Gosta de big-trails?

Então veja aqui no WebMotors a enorme ofertas de modelos para este segmento:

Honda XL 1000V Varadero Suzuki V-Strom DL 1000

BMW R 1200GS

Triumph Tiger 1050 S



Leia também:

Garinni GR 150 P: uma questão de mobilidade

Miza Drago 150, a custom do povo chinês

Sundown Future 125, a solução urbana

Sundown Web 100, moto feita para a cidade

Motor-Z V500, o scooter limpo e retrô

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors