Moto: 5 motivos para não atravessar uma enchente

Os alagamentos podem destruir o motor ou causar curto-circuito na parte elétrica da motocicleta; veja outras dicas

  1. Home
  2. Motos
  3. Moto: 5 motivos para não atravessar uma enchente
Fabio Perrotta Junior
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Cada vez mais presentes no trânsito cotidiano, as motos viraram opções mais rápidas para os grandes congestionamentos. O maior problema, contudo, é a chuva. Além de deixar o motociclista exposto ao tempo, os alagamentos são os grandes vilões das duas rodas.

Grande parte dos condutores não sabe, mas a água empoçada pode ser um grande inimigo da motocicleta. Jornalista especializado há mais de 20 anos e colaborador do WM1, Roberto Dutra cita que transitar de moto em trechos alagados pode até ser fatal.

"Naturalmente a recomendação é jamais passar por trechos alagados com a moto, inclusive devido ao risco de acidentes sérios e até fatais por conta de bueiros sem tampa ou crateras abertas. Basta entrar no Youtube para ver imagens de motos sendo engolidas desta forma", alerta. Veja os riscos que essa ação pode acarretar.

Adeus, motor

Se for imprescindível passar por um trecho alagado, além de atenção redobrada, o limite de altura da água deve ser o filtro de ar. Se o motor aspirar água em vez de ar, há risco altíssimo de calço hidráulico, que é quando o pistão comprime o líquido - que, não sendo comprimível, irá causar danos sérios como o empeno de da biela e do pistão.

Nesse caso, será preciso abrir o motor inteiro para trocar as peças danificadas. "O prejuízo sempre é grande", conta Dutra.

Não atravesse uma enchente de moto
icon photo
Legenda: Não atravesse uma enchente de moto. Isso pode danificar o motor
Crédito: Divulgação

Escapamento sem saída

Nos trechos alagados, o escape submerso não chega a ser algo grave, desde que a moto esteja em aceleração: a pressão do ar saindo impede a entrada de água. No entanto, caso o motor desligue, há possibilidade de a água ser sugada pelo escapamento e chegar ao motor.

Além disso, como outros componentes, poderá também sofrer os efeitos do contato com a água suja e/ou contaminada. Isso pode acarretar em oxidação mais acelerada da peça.

Não atravesse uma enchente de moto

Curto circuito

Outros problemas que podem ocorrer são curtos na parte elétrica gerados pela imersão na água e a eventual mistura da água suja com o óleo do motor - ou até mesmo com a água do sistema de refrigeração (nas motos com arrefecimento líquido, claro).

Nesse caso, se alguma junta, trava ou tampa não estiver rigorosamente vedada, o óleo contaminado causará danos ao motor, câmbio e radiador. E ainda afetará peças como válvula termostática, ventilador do radiador e bombas de óleo e água.

 Água suja pode se misturar ao lubrificante da motocicleta e causar danos ao motor
Legenda: Água suja pode se misturar ao lubrificante da motocicleta e causar danos ao motor
Crédito: Agência Infomoto

Marcas eternas

Por fim, usar a moto como aerobarco pode trazer danos a longo prazo: partes expostas à água suja que sejam de difícil acesso para lavagem posterior continuarão contaminadas. Com o tempo, podem oxidar e enferrujar prematuramente, como a parte interna do quadro, por exemplo.

Roberto Dutra recomenda que, caso o motociclista passe por uma área alagada, lave a moto detalhadamente logo que possível. Além disso, deve-se verificar se não houve contaminação de óleo e líquido do radiador, quando for o caso.

Veja nosso vídeo com dicas de pilotagem

Comentários