Primeiras impressões: Honda Elite 125

Aceleramos - e aprovamos - o novo scooter de entrada da Honda. Bonito, prático e econômico, custa R$ 8.250.

  1. Home
  2. Notícias
  3. Primeiras impressões: Honda Elite 125
Karina Simões
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

A Honda lançou no Brasil mais um reforço para seu time de scooters, o Elite 125. Com preço sugerido de R$ 8.250, ele chega para ser a opção de entrada da marca na categoria, posição antes ocupada pelo PCX 150, líder de vendas do segmento, que parte de R$ 11.272. Ele também chega para incomodar seu rival Yamaha Neo 125, que veio em 2016 totalmente repaginado e é vendido por R$ 8.290.

 Honda Elite 125
Legenda: Honda Elite 125
Crédito: Divulgação

Independentemente da escolha entre os três citados acima, todos irão facilitar a sua vida na cidade. Eu sempre digo e repito que scooter é vida. Se não fosse pelo saudoso Honda Lead 110 que me acompanha nos corres diários, eu desperdiçaria horas no trânsito.

Honda Elite 125
icon photo
Legenda: Honda Elite 125, mais um scooter no mercado para ser seu parceiro na cidade
Crédito: Caio Mattos

A praticidade, facilidade de condução e economia de combustível fazem do scooter um meio de transporte imbatível nos grandes centros urbanos. Se é isso que você procura, o Elite 125 tem tudo para ser seu futuro parceiro.

Honda Elite 125
icon photo
Legenda: O piloto consegue se acomodar facilmente no Elite
Crédito: Caio Mattos

Bebe pouquíssimo

Vamos começar com um dado impressionante. Fui até Santos conhecer a novidade e lá fui informada de que segundo as medições do Instituto Mauá de Tecnologia (IMT), o Elite chegou a rodar 53,8 quilômetros com um litro de gasolina em circuito urbano e fez 43,8 km/l em circuito misto (cidade e estrada).

Não sei se chegaremos a este número no nosso uso normal, mas é fato que ela supera os 40 km/l, o que representa uma economia e tanto para seu bolso. O tanque tem capacidade para 6,4 litros, o que garante autonomia de mais de 300 quilômetros, segundo a Honda.

icon photo
Legenda: O tanque tem capacidade para 6,4 litros
Crédito: Divulgação

O Elite é equipado com motor monocilíndrico de 124,9 cm³, arrefecido a ar com um sistema de ventilação forçada por ventoinha. Oferece 9,4 cv de potência máxima a 7.500 rpm e torque de 1,05 kgf.m a 6.000 giros.

 Honda Elite 125
Legenda: Honda Elite 125
Crédito: Gustavo Epifânio

Com apenas 104 kg de peso seco, ele me ganhou nas arrancadas, é muito esperto e ligeiro na cidade. Durante nosso test ride não passamos por um trecho onde pude chegar à velocidade final do scooter, mas comparando com o antigo Lead 110, o ganho de velocidade até os 85 km/l foi surpreendentemente mais rápido. O câmbio automático CVT faz seu papel no conforto, basta acelerar e frear, facílimo para os iniciantes em duas rodas.

Prático e bonito

O scooter agradou também pelas linhas modernas, design atraente e bom acabamento. O farol com luz diurna, ambos em LED, dão um ar de modernidade à motinho, além de iluminarem muito bem. O Elite 125 será vendido em quatro cores, azul, vermelho, preto e branco.

 Honda Elite 125
Legenda: Honda Elite 125
Crédito: Caio Mattos

Caso você tenha mais de 1,80 m de altura, irá se acomodar melhor no Elite do que no Lead, há mais espaço para o piloto e um apoio de pé que invade uma parte do escudo frontal, para dar uma “esticadinha” nas pernas.

icon photo
Legenda: Gancho para prender sacola no escudo frontal
Crédito: Divulgação

Há ainda porta-objetos interessantes onde é possível guardar o celular, chaves, carteira e até uma garrafa de água sem se preocupar em perder os pertences pelo caminho, pois os nichos são profundos. Fica tudo ao alcance das mãos.

 O Elite não tem o espaço da Lead 110 sob o assento, mas consegue carregar um capacete aberto
Legenda: O Elite não tem o espaço da Lead 110 sob o assento, mas consegue carregar um capacete aberto
Crédito: Divulgação

O espaço sob o banco, todavia, ficou comprometido pelo tanque de combustível. Nem de longe ela tem aquele espaço maravilhoso do Lead, mas é possível guardar uma mochila pequena, um capacete aberto ou um capacete fechado pequeno (se for daqueles modelos básicos). A capacidade é de 10 kg de carga ou 18 litros.

icon photo
Legenda: Os porta-objetos são muito úteis
Crédito: Divulgação

Se você for carregar mais coisa, pode instalar um baú, vendido separadamente, no bagageiro traseiro que tem capacidade de mais três quilos. Há ainda um gancho para pendurar uma sacola que pode ficar apoiada na plataforma para os pés.

 Honda Elite 125
Legenda: Honda Elite 125
Crédito: Gustavo Epifânio

O painel é outro destaque. Todo digital e do tipo blackout, ele oferece fácil visualização mesmo sob a luz do sol e traz informações como velocidade, relógio, nível do combustível, hodômetro e luzes de advertência.

icon photo
Legenda: Painel digital de ótima visualização do novo Honda Elite 125
Crédito: Divulgação

É seguro?

Os freios são combinados, ou seja, quando você aciona o manete da esquerda do freio traseiro a tambor, até 30% da força pode ser transferida para o freio dianteiro. O freio dianteiro é a disco com cáliper de duplo pistão e é acionado pelo manete direito. Durante o teste tive que fazer uma frenagem muito brusca e o sistema funcionou perfeitamente (ainda bem!).

icon photo
Legenda: Freios combinados à disco na dianteira 
Crédito: Divulgação

As rodas pequenas, de 12 polegadas na dianteira e 10 na traseira, ajudam na agilidade, mas exigem atenção redobrada do piloto ao se deparar com buracos ou aquelas tampas de bueiro em desnível que existem aos montes por aí. #medo

Os pneus de perfil alto ajudam a absorver os impactos, mas neste quesito o rival Yamaha Neo com uma roda de 14 polegadas na dianteira se sai melhor.

icon photo
Legenda: Escapamento em aço inox do Honda Elite 125
Crédito: Divulgação

As suspensões com 90 mm de curso no garfo dianteiro e 70 mm no monoamortecedor traseiro são firmes, o que ajuda a manter boa estabilidade na motinho. Não consegui andar na garupa para testar o conforto da suspensão traseira - em breve faremos um teste completo do Elite e conto sobre o conforto para o garupa bem como o consumo de combustível aferido por nós. Vale mencionar que o apoio de pés do garupa não é retrátil, ele fica embutido na carenagem.

 O Honda Elite 125 será oferecido em quatro cores
Legenda: O Honda Elite 125 será oferecido em quatro cores
Crédito: Divulgação

O Elite 125 começou a ser produzido em Manaus em 5 de dezembro e estará nas lojas de todo o Brasil a partir de janeiro de 2019. A montadora oferece três anos de garantia e sete trocas de óleo grátis para quem adquiri-lo. As metas de venda são agressivas, de 15 e 20 mil unidades por ano. Para se ter uma ideia, a concorrente Neo 125 emplacou 9.725 unidades de janeiro à novembro de 2019, e o irmão maior PCX, 28.443 unidades no mesmo período.

Sem sombra de dúvida, a Honda coloca no mercado uma opção muito atraente aos novos adeptos do mundo das duas rodas, a quem quer dizer adeus ao “busão” lotado, ao metrô e trem abarrotados, às horas desperdiçadas no trânsito. Descomplique, vá de scooter.

icon photo
Legenda: O Honda Elite 125 estará em todas as lojas do Brasil em janeiro de 2019
Crédito: Caio Mattos

FICHA TÉCNICA

Honda Elite 125

Motor OHC, quatro tempos, monocilíndrico, duas válvulas por cilindro, arrefecimento a ar

Capacidade 124,9 cm³

Potência máxima 9,4 cv a 7.500 rpm

Torque máximo 1,05 kgm a 6.000 rpm

Alimentação Injeção Eletrônica

Partida Elétrica

Câmbio Automático CVT

Quadro Monobloco

Suspensão

Dianteira Garfo telescópico, com 90 mm de curso

Traseira Monoamortecedor, com 70 mm de curso

Rodas e pneus

Dianteiro 90/90-12, 12 polegadas de liga leve

Traseiro 100/90-10, 10 polegadas de liga leve

Freios

Dianteiro Disco simples de 190 mm de diâmetro

Traseiro Tambor de 130 mm de diâmetro

Dimensões CxLxA 1.735 mm x 689 mm x 1.118 mm

Entre-eixos 1.223 mm

Altura do assento 772 mm

Capacidade do tanque 6,4 litros

Peso seco 104 kg

Cores azul, branca, preta e vermelha

Preço sugerido R$ 8.250

 

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors