Seis motivos para usar um scooter no dia a dia

Segmento cresce há anos empurrado pela praticidade, preços e economia de combustível, entre as várias razões do sucesso

  1. Home
  2. Motos
  3. Seis motivos para usar um scooter no dia a dia
Roberto Dutra
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Os scooters dominam a cena no mercado brasileiro de veículos de duas rodas. Se ainda não são os modelos mais vendidos em números absolutos, compõem o segmento que mais cresceu nos últimos anos - e que ainda cresce, com ou sem crise, com ou sem pandemia. Não duvide de que, um dia, veremos nas ruas de nossas grandes cidades uma "maré" de scooters como essa de Taiwan, na foto acima. Afinal há vários motivos para usar um scooter.

No ano passado, os scooters responderam por 34% das vendas de veículos motorizados de duas rodas no país, atrás apenas nas motos de baixa cilindrada que compõem a categoria city. Vendem mais que modelos trail, naked, sport, custom e outros. Há muitos motivos para este crescimento e listamos aqui os principais - que são, também, os maiores argumentos para você comprar um scooter e sair do aperto e da lentidão dos ônibus, trens e metrôs.

Motivos para usar um scooter

1º Praticidade

Thumbnail 1. Scooters Pilotagem Fácil
Pilotar scooters como esse Yamaha NMax 160 é algo bem fácil: basta acelerar e frear
Crédito: Divulgação

Scooter são pequenos, leves e compactos. Fáceis de pilotar, só exigem que você acelere e freie. Passam facilmente nos "corredores" por entre os carros e cabem em qualquer vaguinha na rua ou nos estacionamentos. Também permitem que você guarde objetos em baixo do banco, nos porta-luvas e até pendure sacolinhas nas alças que sempre existem na parte interna do escudo. Por fim, na chuva, evitam que você molhe os pés e te protegem do "spray" de água suja levantado pelos outros veículos.

2º Economia

Thumbnail 2. Scooters Economia
Scooters são econômicos: o consumo de combustível não raro bate nos 40km/l
Crédito: Divulgação

Scooters custam a mesma coisa que as motocicletas de baixa cilindrada e bem menos que os modelos médios ou grandes. O custo de manutenção periódica e preventiva também é baixo, já que não requerem peças muito sofisticadas ou óleos caros, por exemplo. De acordo com o lugar, o seguro também será mais barato que os das motocicletas. E, ainda, o consumo de combustível não raro bate nos 40km/l. Por fim, vários pedágios - principalmente no Estado de São Paulo - não cobram tarifa de veículos de duas rodas.

3º Ganho de tempo

Devido à praticidade, o scooter te faz ganhar tempo no seu dia a dia. Como você não tem que andar até o ponto de ônibus ou a estação de trem ou metrô, não precisa esperar a condução e, ao chegar ao ponto ou à estação desejada, não tem que andar até o destino final - ou terá que andar menos. Assim você vai sair de cada mais tarde e chegar no destino mais cedo.

4º Sensação de liberdade e privacidade

Esta é uma comparação importante diante dos veículos de transporte coletivo. E um dos importantes motivos para usar um scooter. Neles você não sofre aperto, não tem que viajar em pé e nem ficar apertado em um mesmo espaço com outras pessoas.

5º Meio-ambiente

Thumbnail 3. Scooters Sistema Start Stop
Os modelos da Honda, como o PCX 150, têm sistema star/stop: nas paradas mais longas, o motor é desligado
Crédito: Divulgação

Pouca gente pensa nisso, mas os scooters emitem muito menos gases poluentes que os ônibus movidos a diesel. Alguns modelos têm sistema start/stop, que desliga o motor automaticamente nas paradas superiores a alguns segundos, e o religa com um leve toque no acelerador. Isso também traz redução de emissões.

6º Segurança

Os scooters atuais são bem seguros: todos têm sistemas CBS ou ABS nos freios
Crédito: Divulgação

Os scooters mais modernos têm o mesmo nível de segurança das motocicletas de baixa cilindrada. Há modelos com freios combinados CBS ou com dispositivo antitravamento ABS, faróis com LEDs, painel digital e até controle de tração.

Principais scooters vendidas no Brasil

Modelos com preço abaixo de R$ 20 mil

Entre os principais scooters vendidos no país, o bonitinho Honda Elite 125 é o mais barato: custa R$ 9.280
Crédito: Divulgação

  • Honda Elite 125 - R$ 9.280
  • Yamaha Neo 125 UBS - R$ 9.990
  • Haojue Lindy 125 - R$ 10.220
  • Honda PCX 150 - R$ 12.710
  • Haojue VR 150 - R$ 12.795
  • Honda SH 150i - R$ 13.340
  • Kymco Agility 16+ 200i ABS - R$ 14.250
  • Yamaha NMax 160 ABS - R$ 14.990
  • Honda ADV 150 - R$ 17.490
  • O espaço sob o banco dos scooters e um atrativo a mais. Aqui, o Kymco Agility 16+ 200i
    Crédito: Divulgação

    Modelos com preço acima de R$ 20 mil

    • Kymco People GTI 300 ABS - R$ 20.950
    • Dafra Citycom 300 CBS - R$ 21.690
    • Dafra Citycom HD 300 - R$ 23.190
    • Honda SH 300i - R$ 23.590
    • Yamaha XMax 250 ABS - R$ 25.190
    • Kymco Downtown 300i ABS - R$ 27.900
    • Dafra Maxsym 400i - R$ 31.390
    • Kymco AK 550i ABS - R$ 61.900
    • Honda X-ADV 750 - R$ 71.040
    • O exótico e tecnológico Honda X-ADV 750 é o scooter mais caro do Brasil: custa R$ 71.040
      Crédito: Divulgação
      Comentários