Suzuki GSX-R 750: corpo de 1000 cm³ e maneabilidade de 600 cm³

Para pilotos enferrujados, o modelo nipônico pode ser uma boa opção para quem quer voltar a pilotar uma superesportiva.
  1. Home
  2. Motos
  3. Suzuki GSX-R 750: corpo de 1000 cm³ e maneabilidade de 600 cm³
Agência Infomoto
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- Quando se entra na faixa dos 40 anos, a vida financeira se Deus quiser! está mais estabilizada e os filhos mais crescidinhos. Muitos decidem realizar um antigo sonho – voltar a pilotar uma moto. Muitos destes motociclistas “enferrujados” acabam optando por modelos superesportivos, que aliam status e prazer sobre duas rodas. Mas algumas dúvidas pairam no ar: além da falta de prática, as motos superesportivas estão cada vez mais potentes, e com o passar dos anos temos que nos adaptar às limitações impostas pelo tempo. Qual então a melhor opção? Racionalmente, a escolha não seria uma superesportiva. Porém, muitas vezes a emoção fala mais alto. E entre as opções disponíveis no mercado brasileiro está a Suzuki GSX-R 750.

O modelo tem as mesmas características da sua irmã mais velha, a GSX-R 1000, porém com um motor um pouco mais “manso”, com somente 150 cavalos. Traz ainda menor peso e a maneabilidade das motos de 600 cm³ de capacidade. Detalhe: a linha GSX-R acabou de completar 25 anos em produção.

Mais bonita e R$ 6.500 mais barata que a GSX-R 1000, a Srad 750, como é popularmente conhecida, tem preço sugerido de R$ 54.670. Apesar da diferença na capacidade do motor e no preço, elas têm muito em comum: o motor com a mesma arquitetura – DOHC duplo comando no cabeçote, quatro tempos, quatro cilindros em linha, 16 válvulas, refrigeração líquida e injeção eletrônica. Além de medidas semelhantes, como, por exemplo, distância entre-eixos 1415 mm, distância do solo 130 mm e altura do assento 810 mm.

As diferenças apresentadas pela GSX-750 ficam por conta do desenho das carenagens, conjunto óptico, escape mais curto e tanque com menor capacidade 16,5 litros.
Mas é embaixo da carenagem que encontramos as respostas para afirmar que a Srad 750 é mais fácil de pilotar. Única superesportiva do mercado nacional de 750 cm³ de capacidade cúbica, a moto consegue aliar a maneabilidade das supersport de 600 cm³ e o torque desde as baixas rotações das superbikes de 1000 cc. O torque máximo é de 8,8 kgf.m só a 11.200 rpm, porém a GSX-R 750 conta com a válvula SET Suzuki Exhaust Tuning que limita o fluxo de gases em baixas rotações e otimiza a curva de torque também em baixos regimes. Com isso não é preciso andar “esgoelando” o acelerador para que esta Suzy acelere para valer. Até mesmo quem quiser andar de boa, vai curtir essa superesportiva. Aliás, para quem está enferrujado a dica é ir na manha até se acostumar com a moto: acelere e freie com cuidado!

Mas não se engane! Apesar da potência menor, esse propulsor de quatro cilindros em linha acelera para valer. Aí está, na minha opinião, um dos grandes prazeres de se pilotar uma moto desse segmento: basta girar o acelerador com vontade para ver os giros crescerem e a velocidade aumentar de forma alucinante. Por isso mesmo é preciso cuidado e preparo para pilotar uma máquina dessas.

Pilotagem correta

Para os quarentões baixinhos, acima do peso e com poucas “horas de vôo” sobre uma superesportiva como eu, a sugestão é fazer um curso de pilotagem. Assim o piloto vai ficar mais familiarizado com a moto e também vai aprender técnicas de pilotagem. Pilotar uma superesportiva não é uma tarefa das mais fáceis: exige preparo técnico e físico. Mas se a postura estiver correta, com certeza o motociclista não terá dores nas costas e nos braços.

A dica principal é apoiar as pontas dos pés nas pedaleiras, que na GSX-R 750 são ajustáveis. Não apóie seu peso sobre os braços e na parte dianteira da moto. Pilote mais relaxado e com as costas retas. “Aperte” e controle a moto com as coxas, como se estivesse sobre um cavalo. Nas mudanças de direção empurre a pedaleira para baixo para o sentido que quer seguir.

Outra dica importante para quem não está acostumado a pilotar modelos esportivos: a cada 100 quilômetros rodados pare e estique o esqueleto. Na estrada beba líquido – água, sucos ou isotônico – e faça lanches leves. Outro detalhe fundamental: pilote sempre muito equipado. Um moto como a GSX-R 750 exige macacão, luvas, botas e um capacete de qualidade.

Ciclística

Outros dois fatores contribuem para melhor maneabilidade desta Suzuki: a centralização de massas, na qual o escapamento fica sobre a moto, além do baixo peso - 163 kg a seco, já que o chassi é construído em liga de alumínio. As suspensões ajustáveis também ajudam neste trabalho: garfos telescópicos invertidos na dianteira e balança traseira monoamortecida.

Outro ponto forte são os freios, por isso muito cuidado ao acioná-los. Na dianteira são dois discos flutuantes de 310 mm na dianteira, mordidos por pinças de fixação radial de quatro pistões opostos. A traseira conta com disco simples de 220 mm com pinça de um pistão. Basta acioná-los com vontade para que essa Suzuki 750 estanque no chão. Sem dúvida, um dos melhores conjuntos de freio da categoria.

Outro atrativo desta máquina é o painel de instrumentos. Conta com tacômetro analógico, velocímetro digital em tela de crista líquido, e luzes indicadoras em LEDs. A moto conta ainda com um shift light luz de troca de marcha e indicador de posição de marcha. Se o preço sugerido de R$ 54.672,00 estiver dentro do seu orçamento. Prepare-se, pois a Suzy GSX-R 750 é garantia de altas doses de emoção.

FICHA TÉCNICA – Suzuki GSX R 750

MOTOR DOHC, Quatro cilindros em linha, 16 válvulas, quatro tempos, refrigerado a líquido, 749 cm³
POTÊNCIA 150 cv a 13.200 rpm
TORQUE 8,8 kgf.m a 11.200 rpm
ALIMENTAÇÃO Injeção
CÂMBIOSeis velocidades
TRANSMISSÃO FINAL Corrente
PARTIDA Elétrica
RODAS Dianteira de aro 17” e traseira de aro 17”
PNEUS Dianteiro de 120/70 ZR 17 e traseiro de 190/50 ZR 17
DIMENSÕES Comprimento 2.0400 mm, largura 715 mm, altura 1.125 mm, entre- eixos 1.415 mm,altura do assento 810 mm e peso a seco de 163 kg
TANQUE20 l
SUSPENSÕES Dianteira com garfo telescópico invertido, com múltiplos ajustes. Traseira: Monoamortecedor, com ajustes de pré-carga da mola
FREIOS Dianteiro por disco duplo de 310 mm de diâmetro e mordido por pinça de quatro pistões.
Traseiro com disco simples de 210 mm de diâmetro e mordido por pinça de um pistão
CORES Cores Preta, preta e laranja e azul
PREÇO R$ 54,672


__________________________________

Agenda da Moto Twitter
__________________________________

_________________

Twitter
_________________


Gosta de motos superesportivas?

Então veja aqui no WebMotors as ofertas de motos com esse estilo:

Ducati 1098

Ducati 999

Honda 1000 RR Fireblade Kawasaki ZX Ninja

Yamaha YZF R1

Suzuki 1300R Hayabusa

Leia também:

Suzuki GSX 1300R Hayabusa

Rodamos com a MV Agusta Brutale 910S

Suzuki B-King 1300: veja como anda a moto do ano de 2008

Ducati Monster 1100, uma big naked italiana

Nova Yamaha YZF-R1 2009 utiliza DNA de MotoGP

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors