F 77 é uma moto elétrica com pegada de hypernaked

Modelo da marca indiana Ultraviollete Automotive será lançado em 2022 e promete autonomia de 150 quilômetros

  1. Home
  2. Motos
  3. F 77 é uma moto elétrica com pegada de hypernaked
Roberto Dutra
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

As motos elétrica continuam a ganhar espaço em nível mundial. E a próxima novidade promete ser quentíssima não só porque vem de quem entende de tecnologia e de produção em larga escala - a Índia -, mas também porque é um projeto particularmente interessante. A Ultraviolette Automotive, empresa do grupo TVS (uma gigante indiana do setor de motos), promete lançar a versão final de produção do modelo F 77 em março de 2022. A moto tem sido exibida mundo afora, em salões e eventos, desde 2019, mas sempre como protótipo ou pré-série. Agora, é pra valer!

Ultraviolete
A F 77 praticamente pronta para chegar às lojas: visual de hipernaked disfarça propulsão elétrica
Crédito: Reprodução

A moto será produzida em escala na fábrica de Bangalore, em local próximo à chamada Electronic City (um polo indiano de tecnologia). No primeiro ano, a intenção é fazer apenas 15 mil unidades, mas a planta será progressivamente expandida até ter capacidade para fazer 1,2 milhão de unidades anuais. Tudo com algum comprometimento ambiental - a promessa é de usar energia renovável e reciclar todo o lixo eletrônico.

Ultraviolete F 77 (1)
As cores previstas para a moto são preta, branca e vermelha: a marca aposta no que sempre deu certo
Crédito: Reprodução

"Desejamos produzir um veículo elétrico de qualidade superior para a Índia e para os mercados internacionais. Escolhemos o local por sua proximidade estratégica com nossa unidade de pesquisa e desenvolvimento em Bangalore, e também pela forte cadeia de fornecedores na região", disse Narayan Subramaniam, fundador e CEO da Ultraviolette, ao anunciar as vendas da moto para o ano que vem.

Segundo a Ultraviolette, mais de 90% dos componentes da F 77 virão de fornecedores locais, inclusive o pacote de baterias. A moto será vendida em três versões, batizadas de F77 Lightning, F77 Shadow e F77 Laser. Todas têm o mesmo design agressivo, futurista e similar ao de hypernakeds japonesas, e usam o mesmo motor elétrico com o equivalente a 33,5 cv de potência a 2.250 rpm com torque de 9,1 kgf.m já a 1 rpm (motores elétricos entregam todo o toque desde a mais baixa rotação).

Ultraviolete F 77 (7)
O painel é uma tela de LCD colorida repleta de informações. Pode ser conectado ao smartphone por Bluetooth
Crédito: Reprodução

As promessas são de uma aceleração de zero a 60 km/h em 2,9 segundos, zero a 100 km/h em 7,2 segundos e velocidade máxima de 147 km/h. A autonomia prevista é de 130 a 150 quilômetros e a recarga com um plug standard vai demora cinco horas - com um recarregador rápido será apenas uma hora e meia.

O pacote de baterias é bem mais que uma fonte de força. É um sistema eletrônico "sustentável" com processador, memória e módulos de GPS e de comunicação sem fio próprios. Tudo para proporcionar um funcionamento sempre no melhor nível de todo o conjunto. E o proprietário poderá monitorar esse funcionamento com o próprio smartphone: um aplicativo permitirá sua conectividade e pelo celular será possível verificar as funções da moto, encontrar pontos de recarga, e ver diagnósticos de problemas, entre outras finalidades.

Ultraviolete F 77 (5)
Conectou ao celular? Tenha acesso a muitas informações: telemetria, diagnósticos e ajustes ao alcance dos dedos
Crédito: Reprodução

O sistema também permite ajustar os modos de pilotagem, que foram batizados de Eco, Sport e Insane. Naturalmente, a autonomia será maior no modo Eco e menor nos outros dois, que proporcionam um desempenho mais esportivo. Também é possível ajustar a intensidade da entrega de torque em cada um dos modos. O painel é uma telinha de LCD e a conexão é feita por Bluetooth.

Ultraviolete
A F 77 na pista de testes e sem as carenagens: recarga será feita por tomada onde ficaria um bocal de tanque
Crédito: Reprodução

A F 77 tem 1,34m de distância entre-eixos, banco a 80 cm de altura do solo e 158 quilos de peso. O quadro tem partes em treliça e é feito de alumínio. A suspensão dianteira é invertida e a traseira, monochoque com ajuste na pré-carga - ambas com 12 cm de curso. OS freios são a disco com ABS e os pneus, 110/70 R17 na frente e 150/60 R17 atrás.

Confira abaixo um vídeo com a primeira viagem feita com uma versão pré-série da F 77 este ano. Quem conduz a moto é o próprio fundador e CEO da Ultraviolette, Narayan Subramaniam. Coisas da Índia...

Comentários