Vai andar de moto no frio? Veja como se proteger

Baixas temperaturas no país vão continuar. Confira alguns cuidados para não virar picolé enquanto pilota sua paixão

  1. Home
  2. Motos
  3. Vai andar de moto no frio? Veja como se proteger
Roberto Dutra
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

O Brasil é um país tropical, abençoado por Deus e bonito por natureza? Pode ser, mas neste inverno de 2021 o clima passou longe da música de Jorge Benjor: as temperaturas despencaram e onde é quente está frio, onde é frio está gelado e onde é gelado está geando e nevando. Mas esse frio não é, necessariamente, motivo para deixar a moto na garagem.

Afinal, se no calor do verão pouco se pode fazer a não ser sofrer (a menos que você esteja em ambiente fechado com ar-condicionado), no frio é possível resolver ou, pelo menos, atenuar bastante a sensação térmica incômoda.

Por isso, listamos abaixo alguns cuidados e macetes de baixo custo que o caro leitor que não costuma rodar em lugares gelados pode adotar quando for pilotar sua paixão nas ruas e estradas. Com nossas dicas, você evita o risco de virar picolé em cima da  moto e ainda curte os lindos dias de inverno - que, apesar das baixas temperaturas, costumam ter céu de brigadeiro e são perfeitos para rolés em duas rodas.

Dicas para andar de moto no frio

1. Roupas

Segunda Pele
O conjunto de segunda pele não costuma ser caro e garante boa proteção na pilotagem
Crédito: Reprodução

De baixo para cima: use meia grossa e botas de cano médio ou alto. Se forem impermeáveis, melhor ainda. Nas pernas, de acordo com a intensidade do frio, coloque novas "camadas": calça tipo segunda pele, ceroula de lã, calça jeans, de cordura ou de couro e, se ainda rolar um friozinho, a sempre salvadora calça do conjunto de chuva.

No corpo, a mesma estratégia: segunda pele, camisa de manga comprida, um moletom grosso ou um casaco de lã, casaco de couro ou de cordura (este, com forração por favor!) e, se for necessário, a capa de chuva por cima de tudo. Conjuntos como estes te permitirão aguentar bem as temperaturas ambientes de até 10 graus positivos e, sobre a moto, sensação térmica próxima a zero.

2. Acessórios especiais

Luvas De Inverno
Luvas de inverno: a parte posterior é comprida, para ficar sobreposta à manga da jaqueta
Crédito: Reprodução

As luvas devem ser de cano longo, para que fiquem sobrepostas às mangas do casaco: é por ali que entra aquele ventinho frio que gela sua alma. No pescoço, use pelo menos uma pescoceira - mas o melhor é um bom cachecol. Neste caso, atenção: a peça não deve ficar justa demais e muito menos com as pontas soltas - bote-as para dentro do casaco.

3. Equipamentos habituais

Pinlock
O pinlock é essa 2ª viseira, aplicada por dentro da original. Impede que a viseira externa embace
Crédito: Reprodução

O capacete, claro, é obrigatório. Mas nesses tempos siberianos, evite o aberto, tipo "frango", e use um fechado, que lhe dará mais proteção contra impactos e frio.

Um problema comum nessa época do ano é o embaçamento da viseira. Para evitar isso, o melhor recurso é o "pinlock" - uma espécie de segunda viseira que você prende à viseira do capacete por dentro. Isso cria uma dupla camada que impede a formação de condensação na viseira - ou seja, não vai embaçar.

4. Acessórios na moto

Luvas De Guidão
Comuns na Europa, mas nem tanto aqui, as "luvas de guidão" são um ótimo recurso contra o frio
Crédito: Reprodução

Existem, certos equipamentos que não combinam com todas as motos - e às vezes nem é possível instalá-los. Mas se for possível, vão ajudar muito.

O principal é o para-brisa. Há muitos modelos universais à venda e normalmente sua instalação é tranquila - basta prendê-lo no guidom com braçadeiras. Escolha um que combine com sua moto e bote na posição correta: levemente inclinado para trás, de forma que acompanhe o ângulo das bengalas da suspensão dianteira, e numa altura que te permita ver por cima deles - e não apenas através dele.

Outro recurso são as luvas para guidão. Muito usadas na Europa, mas pouco comuns, aqui, são indiscutivelmente feias, porém, inquestionavelmente eficientes. O equipamento "veste" as extremidades do guidão da moto e o piloto encaixa as mãos por dentro, com total acesso aos comandos da moto, porém protegido do vento frio.

5. Atenção aos horários

O frio extremo é bastante danoso à saúde humana. Pilotar muito tempo sob baixas temperaturas sem proteção adequada pode causar hipotermia - e essa nem é a pior consequência.

Então, se for viajar de moto nessa época, pelo menos evite rodar muito cedo, antes de clarear - é o horário mais frio, pois se passaram horas sem sol - e também no fim do dia, ao escurecer - quando ocorrem quedas bruscas nas temperaturas. Por fim, para evitar ressecamento da pele por causa do vento frio (o que acontece mesmo com o uso do capacete), use a famosa manteiga de cacau nos lábios e hidratante no rosto.

6. Temperatura ambiente x sensação térmica

A "tabela de frio" mostra que rodar a uma temperatura de 10 graus negativos a 40km/h já expõe o corpo a congelamento em um minuto
Crédito: Reprodução

Por fim, confira na tabela acima - elaborada pela Força Aérea Argentina - os efeitos do vento na sensação térmica sentida pelo motociclista. Um bom exemplo está na primeira fileira: a 56km/h e com temperatura ambiente de 10 graus, a sensação térmica é de 2,5 graus negativos. Então, mantenha-se aquecido e bons passeios!

Comentários