Carros pioneiros em novas tecnologias no Brasil

O WM1 levantou 15 exemplos de modelos que inovaram no mercado automotivo nacional ao introduzir novidades nos veículos

  1. Home
  2. Últimas notícias
  3. Carros pioneiros em novas tecnologias no Brasil
Guilherme Silva
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Itens como ar-condicionado, airbags, freios ABS e motores turbo eram impensáveis no passado, mas se tornaram comuns nos veículos fabricados e vendidos no Brasil nos últimos anos. Mas você sabe quais foram os carros pioneiros na oferta dessas tecnologias no país?

Para tirar essa dúvida, o WM1 fez uma lista que mostra 15 modelos inovadores no mercado brasileiro. Confira abaixo:

Carros que trouxeram novas tecnologias

1 – Toyota Corolla: 1º híbrido flex do mundo (2019)

O mais recente dos carros precursores de tecnologias no Brasil, o novo Toyota Corolla é o primeiro modelo híbrido fabricado no país. Além de estrear a produção da tecnologia, que combina as propulsões a combustão e elétrica, o sedã feito em Indaiatuba (SP) é o primeiro carro híbrido que também pode ser abastecido com etanol no mundo.

Thumbnail 1(toyota Corolla)
O Toyota Corolla é o primeiro modelo híbrido fabricado no Brasil e também o pioneiro flex híbrido
Crédito: Divulgação

2 - Fiat Strada: 1ª picape pequena com três portas (2013)

A geração anterior da Fiat Strada dominou o mercado por mais de duas décadas muito pela sua robustez mecânica e versatilidade. No entanto, a picapinha derivada do antigo Palio foi o primeiro modelo da categoria a ter carroceria de cabine dupla, em 2009. Quatro anos mais tarde, a Strada inovou mais uma vez com a introdução da terceira porta, que facilita o acesso dos passageiros ao banco traseiro pelo lado direito.

3 – Volkswagen Gol: 1º carro flex (2003)

Há quase duas décadas, a Volkswagen ganhava a atenção e se tornava um dos carros a lançar novas tecnologias no Brasil. Foi quando a marca alemã apresentou o primeiro modelo bicombustível do Brasil. O Gol Geração 3 (na verdade, segunda geração) ganhava a tecnologia Total Flex na motorização AP 1.6, que permite o abastecimento com etanol ou gasolina em qualquer proporção.

Thumbnail 3(gol Total Flex)
O Volkswagen Gol foi o primeiro modelo bicombustível do Brasil
Crédito: Divulgação

4 – Chevrolet Zafira: 1ª minivan de 7 lugares (2001)

Se hoje a Chevrolet Spin domina o mercado de carros de sete lugares, muito se deve à sua antecessora. Lançada em 2001, a Zafira era um projeto moderno da Opel, antiga subsidiária alemã da General Motors.

Baseada na plataforma do Astra de segunda geração, a minivan ganhou uma legião de fãs por conta do desenho harmonioso e do espaço interno generoso. Um engenhoso sistema de rebatimento escondia a terceira fileira de bancos no assoalho do porta-malas, e liberava espaço no compartimento – recurso ausente na Spin.

5 – Fiat Tipo e Chevrolet Vectra: airbags (1996)

Naquele ano, Fiat e General Motors correram para ver quem lançava o primeiro carro nacional equipado com airbags. A marca italiana saiu na frente ao anunciar a produção do hatch médio Tipo em Betim (MG). No entanto, o modelo oferecia apenas o airbag para o motorista como opcional. Já o Chevrolet Vectra de segunda geração foi lançado semanas depois, com as duas bolsas infláveis dianteiras, também como opcionais.

Thumbnail 5(fiat Tipo)
Fiat Tipo lançou o airbag como opcional, mas só tinha o equipamento para o motorista
Crédito: Divulgação

6 - Fiat Uno: 1º motor turbo de fábrica (1994)

Na década de 1990 era comum as montadoras oferecerem versões esportivas dos seus modelos mais vendidos. Um ano depois de lançar o primeiro motor com quatro válvulas por cilindro, no sedã médio Tempra, a Fiat apresentou o Uno Turbo. O pequeno esportivo era equipado com um motor de 1.4 litro turbinado de 118 cv de potência, que entregava desempenho surpreendente para a época.

Fiat Uno foi o primeiro equipado com motor turbo, era um propulsor 1.4 litro turbinado de 118 cv de potência
Crédito: Divulgação

7 – Volkswagen Santana: freios ABS (1991)

Obrigatório em todos os carros novos comercializados no país a partir de 2014, o sistema antitravamento dos freios (ABS) foi introduzido nos automóveis nacionais há 30 anos, e é uma das tecnologias que entram nessa lista. O Volkswagen Santana, que acabara de sofrer uma profunda reestilização, foi o primeiro modelo feito no Brasil a ganhar o item de segurança, que só existia nos carros estrangeiros recém-chegados com a reabertura das importações.

O Volkswagen Santana foi o primeiro modelo feito no Brasil a ganhar freios ABS
Crédito: Divulgação

8 - Volkswagen Gol GTI: injeção eletrônica (1989)

Cada vez mais valorizado entre os colecionadores, o Volkswagen Gol GTI fez história ao estrear em nosso mercado a injeção eletrônica. O sistema Bosch LE-Jetronic foi instalado no motor AP 2.0 para substituir o arcaico carburador.

O Volkswagen Gol GTI fez história ao estrear a injeção eletrônica no mercado brasileiro
Crédito: Divulgação

9 – Ford Belina: 1º automóvel 4x4 (1985)

Muita gente acha que o SUV EcoSport foi o primeiro carro de passeio feito no Brasil a oferecer tração 4x4, mas a Ford já havia lançado um modelo com esse recurso muito anos antes. Em meados da década de 1980, a marca lançou a perua Belina com tração nas quatro rodas. No entanto, o projeto não durou muito tempo por conta de sua fragilidade, motivo de muitas reclamações dos consumidores.

Ford Belina com tração nas quatro rodas foi lançada em meados da década de 1980
Crédito: Divulgação

10 – Ford Del Rey: travas e vidros elétricos (1981)

Presente até mesmo nos carros mais populares, as travas e vidros com acionamento foram, durante muito tempo, itens exclusivos de modelos mais caros. O primeiro nacional a sair de fábrica com os acessórios foi o Ford Del Rey, também conhecido pelo rodar macio e acabamento interno caprichado.

O primeiro carro brasileiro a sair de fábrica com travas e vidros elétricos foi o Ford Del Rey
Crédito: Divulgação

11 – Fiat 147: 1º carro a álcool (1979)

O primeiro Fiat nacional também foi o primeiro carro feito no país a ter motor instalado em posição transversal (1974). Cinco anos mais tarde, o 147 teve a primazia de ser o primeiro modelo nacional de produção em série movido a etanol.

O Fiat 147 foi o primeiro modelo nacional de produção em série movido a etanol.
Crédito: Divulgação

12 – Ford Galaxie: direção hidráulica (1967) e câmbio automático (1969)

O luxuoso sedã foi o primeiro modelo nacional a oferecer direção com assistência hidráulica e câmbio automático como opcionais. Inovadora à época, a transmissão de três marchas era combinada ao icônico motor V8.

O Ford Galaxie foi pioneiro ao oferecer direção hidráulica e câmbio automático como opcionais
Crédito: Divulgação

13 – Willys Itamaraty: ar-condicionado (1967)

Indispensável nos carros atuais, o ar-condicionado foi um item exclusivo de carros mais luxuosos. O Willys Itamaraty (versão mais sofisticada do Aero Willys) foi o modelo que introduziu o climatizador, como opcional, entre os automóveis nacionais. Poucas unidades receberam o equipamento por conta do alto valor cobrado pela novidade na época.

O Willys Itamaraty introduziu o ar-condicionado entre os carros produzidos no Brasil
Crédito: Divulgação

14 – Willys Gordini: freios a disco (1967)

O pequeno sedã ficou mais conhecido pela fragilidade de sua mecânica, mas foi responsável pela introdução dos freios dianteiros a disco. O item era mais sofisticado e eficiente que os tambores, que equipavam os demais modelos nacionais da época.

O Willys Gordini foi o responsável pela introdução no mercado dos freios a disco
Crédito: Divulgação

15 – Volkswagen Fusca: teto solar (1965)

Bastante desejado pelos consumidores atualmente, o teto solar foi motivo de rejeição graças a uma infame piada. A Volkswagen oferecia o acessório como opcional para o Fusca, mas teve pouca aceitação após ganhar o apelido de “Cornowagen”, em referência aos supostos chifres do motorista.

Fusca foi, em 1965, o primeiro carro com teto solar fabricado no Brasil, mas não fez sucesso na época
Crédito: Divulgação
Comentários