Logo WM1

O canal de notícias da Webmotors

Limpar buscar

Jeep Renegade é bom, mas mudou pouco na linha 2019

Multimídia maior é uma das poucas novidades relevantes. SUV compacto ainda é o único a ter motor a diesel e tração 4x4

  1. Home
  2. Notícias
  3. Jeep Renegade é bom, mas mudou pouco na linha 2019
Lukas Kenji
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Festa e empolgação marcaram o lançamento do Jeep Renegade. Há três anos, o nordestino natural de Goiana (PE) simbolizou a onda de SUVs compactos que tomou conta das ruas brasileiras. Desde então, virou figura cativa entre os mais vendidos da categoria e agora passa pelo primeiro facelift, ou, como as montadoras gostam de dizer, “atualização de meio de vida”.

A sugestão é que você preste bastante atenção nas fotos. Tirando faróis e assinatura em LED, exclusivos das versões mais caras, é difícil notar o que mudou na linha 2019.

VÍDEO

Seguindo o padrão já inaugurado no exterior, a grade agora traz as sete fendas um pouco mais baixas, enquanto os faróis foram posicionados mais acima. Por outro lado, as mudanças feitas nas lanternas no Renegade gringo não foram importadas “por uma questão de custo”, segundo a Jeep. Lá fora elas têm novo desenho e acabamento em LED.

VERSÕES E PREÇOS

Jeep Renegade 1.8 Flex (exclusivo p/ PCD)
R$ 69.999
Jeep Renegade Sport 1.8 Flex MT5
R$ 78.490
Jeep Renegade Sport 1.8 Flex AT6
R$ 83.990
Jeep Renegade Longitude 1.8 Flex AT6
R$ 96.990
Jeep Renegade Limited 1.8 Flex AT6
R$ 103.490
Jeep Renegade Longitude 2.0 Diesel AT9 4x4
R$ 125.490
Jeep Renegade Trailhawk 2.0 Diesel AT9 4x4
R$ 136.390

O para-choque frontal mudou, mas não está exatamente igual ao estrangeiro, que tem os faróis de neblina mais centralizados. Por aqui, a alteração mais relevante está na altura, com o intuito de aumentar o ângulo de ataque. Ele varia de 28° a 30° (dependendo da versão) e impede aquelas raspadas corriqueiras em valetas, saídas de estacionamento ou grandes lombadas – além de, obviamente, ratificar a virtude offroad do modelo.

CENTRAL DO COMPASS

 Interior teve poucas mudanças
Legenda: Interior teve poucas mudanças

Por dentro, a alteração mais relevante diz respeito à central multimídia. Ela é derivada do Compass e tem 8,4 polegadas. Está disponível a partir da versão intermediária Longitude. De resto, há apenas porta-objetos maiores.

VEJA TAMBÉM

Fora isso, houve uma redistribuição de itens de série. A opção inicial desenvolvida para o público PcD (Pessoa com Deficiência) ganhou rodas de liga leve de 16 polegadas. Já a configuração seguinte, Sport, ganhou central multimídia de 5” com câmera de ré, enquanto a versão Longitude ganhou tela de 8,4” citada anteriormente.

Mais pertinentes são as novidades das versões Limited e Trailhawk. Ambas vêm de série com luzes diurnas, faróis principais e de neblina em LED. Outra novidade para a opção Limited são os 7 airbags (frontais, laterais, de cortina e de joelho para o motorista).

icon photo
Legenda: Grade, para-choque e faróis foram revisados
Crédito: Divulgação
icon photo
Legenda: Só maçaneta da tampa mudou na parte traseira

A configuração Limited também foi beneficiada com novas opções de customização da pintura. Quando o Renegade é cinza Antique, os contornos das aberturas da grade dianteira e as rodas são grafite. Se o veículo é na cor Deep Brown (tom de marrom disponível apenas nesta versão), tais detalhes ganham acabamento bronze, com a grade grafite.

Nas demais tonalidades do Renegade Limited, a grade, as rodas e outros pontos são em prata acetinado. Vale lembrar ainda que existem duas novas pinturas: Jazz Blue (azul) e Billet Silver (prata), esta exclusiva para a versão Longitude.

icon photo
Legenda: Renegade tem 4 opções de rodas

O MELHOR VEIO ANTES

Embora precisemos de vários parágrafos para ilustrar as novidades do facelift, as mudanças mais relevantes do Renegade foram implementadas antes, quando pontos críticos do carro foram otimizados.

O motor 1.8 Flex, por exemplo, já havia sido recalibrado a fim de ganhar desempenho mais eficiente, com níveis mais aceitáveis de consumo de combustível. Ele entrega 130/132 cv de potência, sendo que o torque pode ser de 18,6/19,1 kgf.m com gasolina e etanol, respectivamente.

Mas a melhora na admissão de combustível não garantiu índices tão animadores. Nenhuma versão do modelo chega a atingir ao menos a nota “B” nos índices do Inmetro. Lembrando que o Renegade Flex pode trabalhar com câmbio manual de cinco velocidades ou automático de seis marchas.

Outra melhora foi em relação ao tão criticado porta-malas. Ele ganhou 47 litros, totalizando 320 litros. O ganho foi possível graças à adoção de estepe de uso emergencial, de perfil mais fino.

A melhoria não pôde alcançar, no entanto, a versão topo de linha Trailhawk, equipada com o motor turbodiesel 2.0 de 170 cv de potência e 35,7 kgf.m de torque máximo. Isso porque a opção é voltada a trilhas mais pesadas, o que obriga o porte de estepe igual à roda em uso.

icon photo
Legenda: Faróis são de LED

TESTE PELO NORDESTE

Foi com essa versão que rodamos por rodovias que ligam Goiana (PE) a Tibaú do Sul (RN). O percurso de aproximadamente 200 quilômetros serviu apenas para ratificar o caráter estradeiro e aventureiro do Renegade Trailhawk.

O modelo não deixa os ocupantes sentirem o impacto de buracos ou valetas, embora seja sensível a oscilações de altura do terreno. O perfil altinho do carro (1,71 metro) também passa um pouco de insegurança em curvas de alta velocidade.

Por outro lado, a estrutura do veículo é das mais modernas e seguras, a ponto de merecer cinco estrelas nos testes de impacto do Latin Ncap, em relação à proteção de adultos. Há ainda controle eletrônico de estabilidade e tração, suspensão independente nas quatro rodas, sistema Isofix para fixação de cadeirinhas infantis, além de sete airbags.

Por ter motor turbo com o ápice do torque entregue em 1.750 giros, o modelo não sente dificuldades em retomadas, nem ultrapassagens.

Mas é fora de estrada que o SUV mostra suas virtudes ímpares na categoria. Único a ter motor a diesel e tração 4x4, o veículo encarou com tranquilidade obstáculos severos com pedregulhos, trecho alagado com mais de 20 centímetros de profundidade, além de subidas íngremes.

icon photo
Legenda: Versão tem mais opções de customização
Crédito: Divulgação
icon photo
Legenda: Lanternas traseiras não mudaram

Confira abaixo como fica distribuída a linha Renegade 2019, com os principais itens de série:

  • Sport MT5 – rodas de liga leve de aro 16”, controles de estabilidade e tração, raque de teto, sistema start/stop, freio eletrônico de estacionamento, central multimídia de 5” e câmera de ré;
  • Sport AT6 – agrega rodas de liga leve de aro 17”;
  • Longitude AT6 Flex (R$ 83.990) – adiciona rodas de liga leve de aro 18”, bancos de couro, ar-condicionado de duas zonas, sensor de estacionamento, central multimídia de 8,4”;
  • Longitude AT9 Diesel – agrega câmbio automático de 9 marchas e seletor de terreno.
  • Limited AT6 – adiciona painel de instrumentos digital com tela de TFT de 7”, faróis de LED, assinatura em LED, 7 airbags, teto preto, partida por chave presencial. Já as rodas são de aro 17”;
  • Trailhawk AT9 – adiciona ganchos nos para-choques, acabamento preto no capô, saídas de ar e detalhes internos pintados em vermelho.
  • Jornalista viajou a convite da FCA

    Comentários

    Ofertas Relacionadas

    logo Webmotors