Novo Honda CR-V chega ao Brasil por R$ 179,9 mil

Quinta geração do SUV japonês chega maior, mais equipado, potente e caro

  1. Home
  2. Notícias
  3. Novo Honda CR-V chega ao Brasil por R$ 179,9 mil
Redação WM1
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

A Honda começa a vender no Brasil a quinta geração do SUV médio CR-V como o modelo mais caro da marca no Brasil, disponível apenas na versão topo de linha Touring pelo preço sugerido de R$ 179,9 mil. A título de comparação, a geração anterior era comercializada aqui na versão EX-L, intermediária, por R$ 148 mil.

O CR-V está disponível no país desde o ano 2000, três anos depois de ser lançado nos Estados Unidos - onde já soma mais de 4 milhões de unidades comercializadas, conferindo o posto de SUV mais vendido do mercado norte-americano.

Aqui, neste ano, a Honda vai importar apenas 500 unidades do modelo, alegando disponibilidade limitada para o nosso mercado na planta de Indiana, nos EUA.

[caption id="attachment_680453" align="alignnone" width="730"]

" width="1900" height="600" srcMobile="https://www.webmotors.com.br/wp-content/uploads/2018/03/28073424/Honda-CR-V-1-730x410.jpg" class="fixedimage size-foto_quadrada wp-image-680453" src="https://www.webmotors.com.br/wp-content/uploads/2018/03/28073424/Honda-CR-V-1.jpg"/> Quinta geração do SUV chega maior, mais equipado, potente e caro[/caption]

Maior, mais caro e sofisticado, o utilitário esportivo agora é importado dos Estados Unidos e não mais do México, de onde vinha com isenções fiscais. Entre as muitas novidades, traz o motor 1.5 turbo embaixo do capô - mesma unidade utilizada no Civic Touring, porém com maior pressão na turbina e menor taxa de compressão para entregar 190 cv de potência e 24,5 kgf.m de torque a apenas 2.000 rpm. No sedã, os valores são de  173 cv e 22,4 kgf.m a 1.700 rpm, respectivamente.

A convite da Honda, a reportagem do WM1 participou de um rápido test-drive com a novidade, percorrendo trechos urbanos e rodoviários entre a capital paulista e o interior do estado. Antes de entrar no novo CR-V, basta dar uma volta ao redor para perceber que ficou maior, mais imponente e também ganhou um visual mais arrojado, inspirado no novo Civic - com o qual, aliás, compartilha plataforma e uma série de componentes.

Chamam a atenção os faróis full-LED, com facho alto automático, as belas e arrojadas rodas de liga leve de 18 polegadas e as lanternas traseiras, agora horizontalizadas e que lembram as do Jeep Cherokee, que, aliás, é um concorrente comercializado na mesma faixa de preço e que em breve deve ser lançado aqui com a reestilização lançada nos Estados Unidos.

Medindo 4,59 m de comprimento, 1,85 m de largura e 2,66 m de distância entre-eixos, o novo CR-V é maior, respectivamente, 1 cm, 3,5 cm e 4 cm nessas dimensões. A capacidade do porta-malas subiu de 501 litros para 522 litros, com a vantagem, além do espaço maior de bagagens, de agora o compartimento trazer assoalho totalmente plano - o que é perfeito para acomodar objetos maiores, rebatendo a segunda fileira de assentos.

icon photo
Legenda: Nova geração usa o mesmo motor 1.5L turbo do Civic Touring
Crédito: Divulgação Honda

Entrando na cabine, logo se percebe a qualidade dos materiais, com bancos de couro marfim, preto ou cinza, dependendo da cor externa (a pintura da carroceria pode ser branca, prata, vermelha ou preta), detalhes em madeira fosca e assentos dianteiros com ajustes elétricos - o do motorista tem duas posições de memória.

A cabine é futurista, com destaque para o console central elevado, para o painel de instrumentos digital TFT e para a central multimídia sensível ao toque com sete polegadas, compatível com Android Auto e Apple CarPlay, além de contar com GPS integrado, câmera de ré multiângulos e a bem-vinda função LaneWatch, que traz uma câmera integrada ao retrovisor no lado do passageiro.

Basta apertar um botão na ponta da alavanca esquerda ou acionar o pisca (essa função pode ser desabilitada) que o CR-V mostra a imagem da lateral do veículo na tela multimídia, permitindo observar motos e outros veículos se aproximando - funciona como um alerta de ponto cego, porém com imagens em tempo real do que acontece lá fora.

Para reforçar a segurança, o SUV traz head-up display, uma tela transparente que projeta informações essenciais na altura do para-brisa para o condutor não tirar os olhos da pista, Também conta com recursos já presentes no Civic Touring, como alerta de fadiga, vetorização de torque por frenagem (para manter o carro estável em curvas, freia as rodas internas), monitoramento da pressão dos pneus, Isofix e os tradicionais controles de tração e estabilidade. Equipamentos indispensáveis em um veículo dessa categoria e nessa faixa de preço.

A cabine ficou claramente mais espaçosa, com bom espaço para as pernas no assento traseiro e mais lugar para acomodar os ombros - a coluna central da carroceria fica mais recuada em relação aos ocupantes por conta do incremento na largura, o que contribui para o conforto e também para a segurança, em caso de impacto lateral. Aliás, o carro vem de série com seis airbags (dois frontais, dois laterais e dois de cortina).

Poderia ser melhor equipado

icon photo
Legenda: Painel recebeu head up display para auxiliar motorista
Crédito: Divulgação Honda

Porém, nem tudo são flores. O novo CR-V, apesar de ser o Honda mais caro do país, não virá, ao menos em um primeiro momento, com o pacote de segurança Honda Sensing, de série nos EUA desde a versão EX, a segunda mais em conta e que agrega recursos avançados como frenagem automática de emergência, assistente de permanência na faixa e controle de velocidade de cruzeiro adaptativo com função de congestionamento.

Segundo a fabricante, esse pacote está em estudos para ser oferecido futuramente e não veio agora, dentre outros motivos, por encarecer demais o veículo.

Rodando com o carro, a boa notícia: ao trocar o motor 2.0 flex aspirado de 155 cv e `19,5 kgf.m pela nova unidade 1.5 turbinada, o CR-V virou outro carro, muito mais ágil e esperto, agora com torque adequado em baixas rotações para retomadas e acelerações rápidas, apesar de o SUV ter ficado cerca de 30 kg mais pesado em comparação com o CR-V EX-L anterior. O câmbio CVT com sete marchas simuladas (e borboletas atrás do volante para trocas manuais) faz bem o seu serviço, oferecendo subida de giros do motor gradual quando você afunda o pé no acelerador, lembrando uma caixa de marchas automática convencional. Nada de ver o motor "gritando" nas aceleradas mais fortes, como acontece tipicamente em veículos com caixa de marchas CVT.

 Modelo chega, a princípio, em versão única por R$ 179,900
Legenda: Modelo chega, a princípio, em versão única por R$ 179,900
Crédito: Divulgação Honda

Também merecem elogios o conforto ao rodar, apesar das grandes rodas, graças ao uso de buchas hidráulicas nas suspensões, como no Civic 10. Além disso, a cabine recebeu reforços acústicos e agora conta com sistema de cancelamento de ruídos via os oito alto-falantes e dois tweeters do sistema de som, que conta com 180 W de potência. Isso, somado ao novo acerto das suspensões, que evita a inclinação excessiva nas curvas e à direção elétrica mais direta, tornou o CR-V um carro "na mão", mais dinâmico e ao mesmo tempo mais agradável de guiar. É um SUV muito equilibrado. Uma novidade: agora, a grade frontal é ativa, ou seja, fecha automaticamente suas aletas quando o motor está na temperatura ideal para melhorar o arrasto aerodinâmico - e também reduzir ruídos em velocidade de cruzeiro.

A lista de itens de conforto inclui ar-condicionado digital de duas zonas com saídas para o banco traseiro, teto solar elétrico, quatro portas USB para recarga de celulares e dispositivos móveis, sensor de chave, partida do motor por botão, freio de estacionamento eletrônico e abertura elétrica da tampa do porta-malas, seja por meio da chave, de botão na cabine ou no botão da própria tampa. Também é possível abri-la e fechá-la passando o pé por baixo do para-choque - mas é preciso se afastar um pouco para não ser atingido pela tampa. O que não seria um problema, pois o carro conta com sensores que cessam o movimento se houver algum obstáculo, evitando, por exemplo, ferir o braço ou as mãos durante o fechamento ou abertura.

Texto: Alessandro Reis

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors