Tecnologia da Nasa chega aos carros autônomos

Doppler Lidar nasceu com o propósito de auxiliar na navegação de espaçonaves em missões à Lua e a Marte

  1. Home
  2. Últimas notícias
  3. Tecnologia da Nasa chega aos carros autônomos
Marcus Celestino
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

A Nasa, agência espacial norte-americana, desenvolve tecnologia que virá direto de Marte para... o seu carro. Baseada em laser, ela promete ajudar (e muito) a melhorar os sistemas de condução autônoma.

A tecnologia, de nome Doppler Lidar, nasceu com o propósito de auxiliar na navegação de espaçonaves em missões à Lua e a Marte. Os veículos exploradores usarão sensores de última geração, câmeras e algoritmos especializados para evitar galhos nas viagens do futuro.

Como funciona?

O sistema usa ondas de luz para detectar objetos em vez de ondas de rádio. Com isso, o Lidar tem capacidade única na detecção de obstáculos e maior facilidade para caracterizar sua forma e calcular a distância.

“A alta resolução do Doppler Lidar pode distinguir objetos que estão a apenas poucos centímetros de distância e até mesmo a várias centenas de metros”, explica Steve Sandford, que trabalhou no desenvolvimento do projeto enquanto estava na Nasa.

Nos carros...

Na indústria automotiva, empresas já trabalham na implementação da nova tecnologia em veículos autônomos. O objetivo é usar o sistema para ajudar na navegação e também prever acidentes.

De acordo com a Nasa, o Lidar só vê a luz laser gerada por ele. O sistema, assim, é capaz de ignorar outras ondas de luz. Farzin Amzajerdian, um dos inventores da tecnologia, ainda ressalta que a frequência do laser é pelo menos três ordens de magnitude maior que a os radares.

“Frequências mais altas se traduzem em dados de maior precisão e sensores potencialmente mais eficientes e compactos, com a velocidade obtida usando o efeito Doppler”, destaca o desenvolvedor do Lidar.

Os algoritmos precisos e a leitura por meio de ondas de luz serão de muita valia na Terra. Com dados quase que instantâneos, ficará mais fácil determinar o que o objeto à frente é — pessoa, prédio ou caminhão — e se ele está no caminho do carro.

...E no iPhone 12

Segundo a Apple, a tecnologia da Nasa estará no iPhone 12. O Lidar dá ao aparelho foco automático até seis vezes mais rápido em pouca luz. Isso fará com que os cliques no escuro sejam capturados com muito mais nitidez. Aliado ao chip A14 Bionic, o Lidar consegue renderizar qualquer padrão e textura em segundo plano mesmo com pouca luz vinda de uma única fonte.

Ainda de acordo com a Apple, os apps de realidade aumentada do iPhone 12 também ganham com a tecnologia da Nasa. O Lidar trabalha com estruturas de profundidade do sistema operacional iOS 14 e cria " volume imenso de dados em alta resolução que abrangem todo o campo de visão da câmera".

O rápido reconhecimento e a representação detalhada das superfícies do ambiente fará com que o app de realidade aumentada analise a cena imediatamente a fim de criar experiências personalizadas para o usuário. A Apple garante que, com o  Lidar, a realidade aumentada está "diante de um divisor de águas".

Programa Splice

Técnicos da Nasa desenvolvem sistema de detecção de objetos mais preciso
Especialistas configuram componentes eletrônicos em unidade de teste de engenharia Doppler Lidar
Crédito: Divulgação

A tecnologia Doppler Lidar faz parte do programa Splice, que tem como objetivo tornar aterrisagens mais precisas e seguras.

Em estágios anteriores, a Nasa chegou a testar um tipo diferente de Lidar com Imageador 3D, que também é usado para carros autônomos.

Ao contrário do fluxo único de pulsos de laser do Lidar tradicional, o Lidar com Imageador 3D obtém dados por meio de uma matriz de pixels, usando um único pulso de laser para gerar o mapa inteiro.

Isso permite resultados muito mais rápidos. “Você pode ter dezenas de milhares de pixels em uma única imagem do laser”, explicou Farzin Amzajerdian.

Ainda de acordo com Amzajerdian, a carga computacional também é reduzida. Como todos os dados são recebidos no mesmo momento e local físico, nenhum cálculo de velocidade é necessário. Muito brabo, né?

Veja os vídeos com a tecnologia da Nasa

 

Comentários