Carro novo por preço de velho?

Muito alarde, pouca segurança. E o preço... lá nas alturas!
  1. Home
  2. Pit-Stop
  3. Carro novo por preço de velho?
Auto Informe
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

– As montadoras costumam fazer alarde quando apresentam mudanças nos seus carros, especialmente quando apresentam linha nova. Um equipamento de segurança, um detalhe tecnológico, qualquer coisa é motivo para uma ampla campanha publicitária buscando atrair o consumidor e mostrando que a marca está “up to date”. E mais: “tudo pelo mesmo preço do modelo velho”, diz a propaganda.

Quanto ao preço, já denunciamos a pegadinha aqui. Trata-se de uma estratégia nova das fábricas: antigamente as mudanças na linha vinham acompanhadas do aumento do preço, o que era justificável e, portanto, absorvido sem contestação pelo consumidor.

De uns anos para cá as fábricas passaram a alterar o preço de tabela todos os meses, aumentos insignificantes: 1% ou fração, índices que não viram notícia. Quando a versão nova é lançada, o valor do carro já está inflacionado. O equipamento novo, portanto, já estava sendo pago pelo cliente que vinha comprando o modelo velho. Fica a impressão que a montadora é boazinha, que está oferecendo mais produto por menos e o incauto do consumidor tem a impressão de que o carro está cada vez mais barato.

Puro engano. Uma pesquisa feita pela Agência AutoInforme, com cotação de preço da Molicar, mostra que o carro feito no Brasil teve um aumento médio de 75% nos últimos sete anos. Quer dizer: o aumento foi chegando devagarzinho, nem deu pra sentir. O balanço de sete anos mostra, no entanto, que o aumento foi bem maior do que inflação no período: 51,9% segundo o IPC da FIPE.

Em relação à segurança a situação é pior. As poucas marcas que oferecem, por exemplo, air bag em seus produtos se vangloriam da “preocupação com a segurança”. Balela: fazem isso para não deixar o cliente fugir para a concorrência. E fazem pouco: nenhum dos carros pequenos fabricados no Brasil tem air bag ou ABS de série. Uns poucos oferecem esses equipamentos como opcionais. Enquanto isso, a Europa estuda a obrigatoriedade do ESP – o controle eletrônico de estabilidade nos carros de passeio a partir de 2012. Nos Estados Unidos o ESP será obrigatório a partir de setembro de 2011.

ABS e o air bag já equipam há tempos os carros vendidos tanto na Europa quanto nos EUA. E as fábricas que fabricam lá, são as mesmas que fabricam aqui. Curioso, não?

________________________________
Joel Leite joelleite@autoinforme.com.br é diretor da agência de notícias especializada no setor automotivo AutoInforme. Produz e apresenta o quadro sobre automóveis no programa Shop Tour e fornece informações para vários veículos de comunicação. É especialista no mercado de automóveis desde 1984, quando começou no Jornal do Carro do Jornal da Tarde. Joel é formado em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero e pós-graduado em Comunicação e Semiótica.


Leia outras colunas de Joel Leite aqui

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors