Carros nacionais feitos para exportação

Modelos produzidos no Brasil ganham uma série de diferenciais para atender a outros mercados

  1. Home
  2. Pit-Stop
  3. Carros nacionais feitos para exportação
Renan Rodrigues
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

A Volkswagen se vangloria do Nivus ser o primeiro projeto 100% brasileiro a ser também fabricado na Europa. No entanto, alguns carros, até da própria marca, já ganharam outros territórios antes.

Pensando nisso, separamos alguns modelos que tiveram versões produzidas aqui no Brasil exclusivamente para exportação. Dentro da própria Volkswagen, o T-Cross é exportado para a América do Sul com motor 1.6 e câmbio automático - versão que não existe aqui.

Mas isso não é exclusividade da empresa. Separamos alguns modelos que foram feitos por aqui apenas para serem vendidos fora do país. Confira:

Chevrolet Astra

Chevrolet Astra Gsi
icon photo
Legenda: Chevrolet Astra tinha motor mais potente, mas só para fora do país

A Chevrolet nunca vendeu o Astra com motor 2.4 de 150 cv e 23,2  kgfm no Brasil, mas o fabricava aqui para Argentina e México. Esse motor foi aparecer em nosso mercado só na terceira geração nacional do Vectra.

Chevrolet Montana

Chev Utility South Africa
icon photo
Legenda: Chevrolet Utility: nossa Montana usava outro nome na África do Sul e tinha motor a diesel
Crédito: Divulgação

Ainda na Chevrolet, a atual Montana sempre foi vendida para os argentinos com motor 1.8 no lugar do 1.4 - o modelo se mantém aqui apenas com o motor menor. Além disso, para a África do Sul, a picape passava a se chamar Utility e ostentava até mesmo um motor a diesel.

Fiat 147

0c3fc7ed1587335a26d283485d7ebe2d
icon photo
Legenda: Fiat 127 Rustica: era o 147 fabricado em Minas Gerais, só que com motor a diesel e apliques aventureiros
Crédito: Divulgação

A prova de que fazer no Brasil e exportar era algo muito antigo está no Fiat 147. Vendido para a Itália como 127, o compacto usava motor 1.3 diesel (menor motor diesel do mundo naquela época). Curiosamente, havia uma configuração batizada de Rustica, que recebia incrementos aventureiros pelas mãos da Lamborghini.

Fiat Strada

icon photo
Legenda: Fiat Strada: antiga geração da picape fez sucesso na Itália
Crédito: Divulgação

Com uma geração nova recém-apresentada, a Strada já foi exportada para a Itália com motores 1.3 e 1.9 a diesel. A contar com o sucesso que a nova fez em fóruns gringos, talvez a Fiat retome a ideia de exportação com diferenças em equipamentos.

Ford EcoSport

icon photo
Legenda: Ford Ecosport feito no Brasil e vendido na Argentina usa motores turbodiesel
Crédito: Ford EcoSport 2017

O EcoSport já era exportado com motor 1.4 diesel da Peugeot para a Argentina. A nova geração do utilitário esportivo da Ford trocou a unidade por um 1.5 turbodiesel.

Renault Duster Oroch

icon photo
Legenda: Renault Duster Oroch com tração 4x4 só para gringo ver
Crédito: Divulgação

O modelo que inaugurou o segmento de picapes médio-compactas só usa tração dianteira no Brasil. No entanto, para fora do país, a Renault fabrica no Paraná uma configuração 4x4 com o motor 2.0 - conjunto que equipava o antigo Duster.

Renault Logan

icon photo
Legenda: Renault Logan brasileiro foi vendido como Nissan Aprio no México
Crédito: Divulgação

O sedã da Renault era exportado para o México em 2008 com outra identidade: Nissan Aprio. Ao contrário do modelo nacional de primeira geração, o motor já tinha 16V e podia ser conectado a um câmbio automático.

Volkswagen Voyage

icon photo
Legenda: Volkswagen Voyage brasileiro recebeu melhorias e virou Fox nos Estados Unidos
Crédito: Divulgação

Rebatizado de Fox, o Voyage e a Parati sofreram diversas alterações para chegar aos Estados Unidos e Canadá. Entre as mudanças, mais itens de segurança e melhorias no motor para reduzir emissões de poluentes.

Volkswagen Fox

icon photo
Legenda: Volkswagen Fox para exportação era produzido em uma fábrica diferente
Crédito: Divulgação

O hatch talvez tenha a situação mais curiosa: era feito em fábricas diferentes. Enquanto o nacional era produzido no Paraná, o exportado saía das linhas de São Bernardo do Campo (SP). Os motores eram o 1.4 turbodiesel e a gasolina, que depois viraria flex na Kombi.

Comentários