Coronavírus: o que cada marca de carros vai fazer?

Veja como os fabricantes se preparam em tempos de pandemia: prevenção, vacinação e paralisação estão entre as medidas

  1. Home
  2. Pit-Stop
  3. Coronavírus: o que cada marca de carros vai fazer?
Fernando Miragaya
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

A pandemia de coronavírus parou o mundo e o setor automotivo. Ainda é cedo para prognósticos, mas as vendas devem recuar significativamente esse ano. Além da pressão econômica, para conter o avanço da doença, os fabricantes começam a tomar diferentes medidas, entre elas prevenção dentro das fábricas, paralisação na produção e até vacinação.

Veja como cada marca de carros está se preparando para os difíceis dias - e meses - de pandemia.

Audi

A Audi explica que adotou medidas preventivas, como maior disponibilidade de álcool gel nas instalações, cancelamento de viagens internacionais, permissão apenas das viagens nacionais estritamente necessárias e comunicação frequente com os colaboradores.

Segundo a marca, desde quarta-feira, 18 de março, os colaboradores das áreas administrativas, locais com maior concentração de pessoas fazem trabalho remoto - válido, inicialmente, até 27 de março.

BMW

O fabricante alemão afirma que os colaboradores foram "encorajados a fazer home office". Segundo a marca, os funcionários que têm que ir ao escritório devem usar horários alternativos. Eventos internos e externos, além de viagens para países com alto grau de contaminação, estão suspensos.

Apesar de uma previsão de parada das fábricas na Europa e EUA em 19 de abril, ainda não há planos para paralisação das atividades em Joinville (SC).  Quanto à rede de concessionárias, a orientação da marca é que os clientes façam agendamento antes de visitas às lojas, garantindo um atendimento mais personalizado.

Caoa Chery

A partir de hoje (quinta, 19/3), os profissionais das áreas administrativas da fábrica de Jacareí (SP) passarão a operar em regime de trabalho remoto. Está prevista uma paralisação gradual da produção a partir de 23 de março e a produção será suspensa totalmente no dia 27.

Ao mesmo tempo, a montadora considera a possibilidade de antecipação da vacinação contra a gripe, disponibilizada anualmente a todos os colaboradores da unidade. A princípio, as medidas têm validade de duas semanas.

FCA - Fiat Chrysler Automóveis

Segundo a empresa, a produção nas unidades - incluindo Betim (MG) e Goiana (PE) - segue normal e sem problemas de abastecimento. A montadora ainda informa que "há várias medidas de prevenção sendo adotadas, como distância mínima de dois metros e home office".

Ford

A Ford informa que, a partir de segunda (23 de março) irá suspender a produção em suas fábricas no Brasil – Camaçari (BA), Taubaté (SP) e na unidade da Troller em Horizonte (CE) –, além de General Pacheco, na Argentina, na próxima quarta (25/3).

Ao mesmo tempo, a empresa diz que adotou medidas comuns em todas as suas instalações no país. Em comunicado, a montadora afirma: "desde segunda-feira (16/03) estamos orientando grande parte da nossa força de trabalho global - exceto aqueles em funções críticas de negócios que não podem ser removidas das instalações da Ford - a trabalhar remotamente até segunda ordem.”

Outras ações inseridas: reuniões diárias da liderança para acompanhar a evolução do tema e definir novas medidas de prevenção sempre que necessário, cancelamento e/ou adiamento de eventos, restrição de viagens aéreas, restrição de visitantes nas unidades e incentivo à realização das reuniões por áudio e vídeo, mesmo quando os participantes estão na mesma localidade.

General Motors

Com férias coletivas, a General Motors suspenderá as atividades em São Caetano do Sul e São José dos Campos (SP), Joinville (SC) e Gravataí (RS) a partir do dia 30 de março. A previsão de retomada da produção nas unidades é para 12 de abril.  A decisão se deve "à queda na demanda ocasionada pelos impactos da pandemia do novo coronavírus na economia global".

Além disso, a empresa adotou outras medidas: trabalho remoto de empregados e terceiros, cujas atividades permitam o regime de home office, realização de serviços adicionais de limpeza e higienização nos postos de trabalho e cancelamento de todos os eventos presenciais - o lançamento do novo Chevrolet Tracker foi on line.

Honda

A Honda diz que a produção em suas fábricas no país segue regularmente. Porém, a marca japonesa não descarta uma paralisação nas atividades com o provável avanço do coronavírus. Além disso, a empresa diz que adotou diferentes medidas.

Entre as ações de contenção, adoção gradual do home office, proibição de viagens a países com grau avançado de disseminação e restrição às demais localidades, isolamento domiciliar de colaboradores que retornam de viagem, cancelamento e/ou adiamento de eventos, disponibilização extraordinária de materiais de higiene e reforço nos procedimentos de limpeza de áreas comuns.

Hyundai Brasil

A Hyundai diz que não há previsão de férias coletivas ou programação para paralisação na produção no Brasil. Também avisa que não há problemas com o estoque de componentes importados para sua linha de produção.

icon photo
Legenda: Unidade da Hyundai Motor Brasil em Piracicaba: produção na unidade continua normal
Crédito: Divulgação

"A fábrica da Hyundai em Piracicaba (SP) opera, desde sua inauguração, com estoque de peças importadas suficiente para assegurar a continuidade da produção por longos períodos em função da grande distância que existe entre o Brasil e a Coreia do Sul ou a China. Portanto, não há risco de falta de peças importadas neste momento", garante a empresa, em nota.

Jaguar Land Rover

A filial brasileira do fabricante britânico segue com as atividades na fábrica de Itatiaia (RJ) e explica que decidiu direcionar seus funcionários e colaboradores dos escritórios de São Paulo e Rio de Janeiro para trabalho em modo home office desde segunda-feira, 16 de março. A empresa também garante que o estoque de componentes segue com capacidade normal, sem interrupções no fornecimento.

Quanto à rede de concessionárias, a montadora afirma que encaminhou aos lojistas o mesmo direcionamento recebido pela matriz, com as informações e instruções da OMS e do National Health Service, do Reino Unido.

Mercedes-Benz

A marca alemã anunciou a paralisação das atividades industriais em todas as suas unidades no Brasil. Serão instituídas férias coletivas durante 20 dias, de 30 de março a 19 de abril, além de folgas debitadas do banco de horas nos dias 25, 26 e 27 de março, e também 20 de abril.

A empresa também antecipou sua campanha de vacinação contra a gripe - vai até 24 de março. Segundo o fabricante, serviços essenciais serão mantidos, "com todos os cuidados necessários, a fim de atender os nossos clientes que possuem veículos em circulação".

Nissan

Até o momento, a Nissan afirma que segue com a produção normal no Complexo Industrial de Resende (RJ), mas que está tomando uma série de medidas em relação à pandemia do coronavírus. Entre as ações, reforço geral da limpeza, aumento dos pontos de higienização por toda a fábrica, distanciamento de mesas no refeitório e circulação dos veículos fretados com janelas abertas.

O fabricante também ressalta que "acompanha de perto o fornecimento de peças para a sua fábrica para garantir o fluxo normal de produção e, até o momento, o cronograma está sendo mantido".

PSA Peugeot Citroën

A holding francesa diz que a produção das duas marcas em Porto Real (RJ) segue normal - lá são feitos os modelos 208, 2008, C3, Aircross e C4 Cactus. O fabricante diz que está "tomando diversas precauções de proteção aos colaboradores".

Renault

A marca francesa avisa que até o momento a produção em São José dos Pinhais (PR) não sofreu impacto. A empresa afirma que "monitora de perto a situação relacionada ao coronavírus com comitês que se reúnem diariamente para tratativa do tema".

Entre as medidas adotadas, o cancelamento de viagens internacionais, a restrição de viagens nacionais e o cancelamento de reuniões presenciais, além da suspensão de visitas à fábrica. Desde 17 de março os colaboradores cujas atividades não necessitam de presença física em São Paulo e no Paraná adotaram o sistema de teletrabalho.

Toyota

A japonesa decidiu interromper a produção em todas as suas quatro fábricas no Brasil a partir da próxima terça-feira, dia 24. Todas as viagens a negócio e visitas para/em áreas endêmicas estão suspensas, viagens e visitas regionais devem ser canceladas e visitas externas foram canceladas ou adiadas. O home office passou a ser obrigatório para colaboradores que estão em grupos de risco.

Para as equipes de vendas que trabalham externamente, a empresa orienta a não visitar ou agendar reuniões presenciais com concessionários e outros parceiros - dar preferência às chamadas de videoconferência e outros meios virtuais. Reuniões com mais de 20 pessoas também devem ser evitadas e está proibido deslocamento de colaboradores entre as plantas instaladas no Brasil.

Volkswagen

A montadora diz que, a partir de segunda (23 de março) suspenderá as operações de suas quatro unidades: São Bernardo do Campo (SP), Taubaté (SP), São Carlos (SP) e São José dos Pinhais (PR). E que, partir de 30 de março, os empregados estarão em férias coletivas por duas semanas. Isso implica também nos modelos da Audi feitos na unidade paranaense.

Comentários