Dakar: espírito de buldogue

  1. Home
  2. Pit-Stop
  3. Dakar: espírito de buldogue
Nelson Piquet
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- Os buldogues são conhecidos por terem mandíbula tão poderosa que é impossível abri-la uma vez dada a mordida a não ser por vontade própria do cão. É então uma imagem de linguagem usada muito apropriadamente em casos como esse no Dakar, o rali mais famoso, difícil e importante que existe.

O Dakar já vai para a sua 2ª semana, para sua 9ª etapa e os VW Toureg que vinham dominando a prova, preparados para acabar com a hegemonia dos Mitsubishi Pajero que já dura seis edições, tiveram sérios problemas na 2ª feira. Na etapa, o sul-africano De Villiers, que liderava tranqüilo, viu pegar fogo no seu motor problema no turbo, parece e ficou pelo caminho. Seu companheiro de equipe, o espanhol Carlos Sainz, também ficou de fora pane na parte elétrica e o que era apenas uma sombra ameaçadora da Mitsubishi Pajero, do francês multi-vencedor Stephan Peterhansel, se tornou uma forte realidade.

Vão então como verdadeiros buldogues que não querem soltar por nada a sua hegemonia como novos líderes da prova seguido de outro Mitsubishi Pajero - Luc Alphand - menos de 8 minutos atrás. Enquanto em 3º surge o meu velho, bom e rapidíssimo amigo Jean Louis Schlesser com o seu buggy 4x2, a menos de 1hora e meia da liderança.

Como ficou provado nesta 9ª etapa, ninguém está seguro e os próximos dois dias prometem ainda mais desafios e dificuldades. Os brasileiros? Seguem no aprendizado extensivo: Palmerinha BMX X5 em 43º, Riamburgo Ximenes em 51º e Klever Kolberg em 61º. Nas motos, Dimas Mattos em 41º, Jean Azevedo em 39º e Carlos Ambrósio em 53º. Melhor é a situação nos caminhões, com André Azevedo Lubrax em 5º.

Acelerando fundo

A Toyota apresentou o seu F1 para a temporada de 2007. O TF107 deve conseguir aquilo que nenhum outro Toyota fez até agora: vencer um GP de F1. Para uma empresa que se tornou a 2ª maior fabricante de automóveis do mundo e está próxima de se tornar a 1ª, essa é uma incômoda pedra no sapato. Vão continuar insistindo na sua dupla de pilotos Trulli, que renovou por três anos, e o Schumaquinho acho que de agora em diante deveria ser o Schumacúnico, que, como derradeiro representante da família, precisa melhorar muito o seu ato. A Ferrari e a McLaren também apresentaram os seus carros. O que não falta, em ambos os lados, é confiança.

A Peugeot apresentou o carro com motor diesel, lembrem-se para as próximas 24 Horas de Le Mans. É o 908, que, entre outros, está ressuscitando o Jacques Villeneuve como piloto – vai fazer companhia para Sébatsien Bourdais, Stephane Sarrazin, Nicolas Minassian, Pedro Lamy e Marc Gene. O desafio à Audi está lançado. O futuro do diesel, como combustível, por sua vez, confirmado.

Solitários no mar

Às 4 da manhã horário de Brasília do domingo que passou foi dada a largada para a segunda etapa da Vêlux 5 Oceans, aquela regata solo de volta ao mundo com apenas duas paradas. Depois do tempo de recuperação, os cinco barcos ainda na competição dois já abandonaram saíram do Oeste da Austrália, na cidade de Fremantle, sob um calor de 40º e sem que o famoso “Fremantle Doctor” tivesse aparecido. Esse é o nome do vento responsável por uma aragem especial que faz do local um dos mais procurados endereços de vela do mundo.

Bernard Stamm, o suíço vencedor da primeira etapa, a bordo do seu Cheminées Poujoulat, largou na frente, seguido do Sir Robin Knox-Johnston, da Inglaterra e com 65 anos de idade, mas que já voltou para o porto de largada para consertar o piloto automático, no Saga Insurance, Unai Basurko, da Espanha, a bordo do PAKEA , Kojiro Shiraishi, do Japão, no Spirit of Yukoh, e de Graham Dalton, da Nova Zelândia, no Southern Man AGD.

Partem para uma etapa de 14.200 milhas náuticas perto de 28 mil quilômetros, sem escala, até Norfolk, no estado da Virgínia – costa leste dos Estados Unidos. Antes disso, uma das mais desoladas e extremas partes do nosso planeta, o famoso, temido e respeitado Cabo Horn. Serão mais de 50 dias de isolamento no mar, em busca de mais um troféu à disposição de todos, mas ao alcance de poucos.

Leia outras colunas de Nelson Piquet aqui
_______________________________

Receba as notícias mais quentes e boletins de manutenção de seu carro. Clique aqui e cadastre-se na Agenda do Carro!
_______________________________
E-mail: Comente esta coluna

Nelson Piquet é tricampeão mundial de Fórmula 1 e o primeiro campeão da Era Turbo da competição. Participou de 204 provas, com 23 vitórias. Atualmente se dedica à administração de suas empresas e à carreira esportiva do filho, Nelson Ângelo Piquet, o Nelsinho, além de ser colunista do WebMotors.

Envie essa coluna para uma amigoa

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors