Despedida do Viper sem recorde e com prejuízo

Esportivo que acaba de sair de linha falha em nova tentativa de volta mais rápida em Nürburgring e se acidenta

  1. Home
  2. Pit-Stop
  3. Despedida do Viper sem recorde e com prejuízo
Redação WM1
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

A despedida foi melancólica, porém cheia de dignidade. O Dodge Viper e seu motor V10 naturalmente aspirado deixou de ser produzido nos arredores de Detroit (Michigan) no mês passado, encerrando uma história de 25 anos do esportivo lançado em 1992. Um grupo de entusiastas, que fez até vaquinha na internet para comprar duas unidades da versão ACR com o pacote aerodinâmico GTS-R, planejava a despedida com o recorde de carro produzido em série mais rápido na pista alemã de Nürburgring, mas os planos não saíram exatamente como o esperado.

icon photo
Legenda: Viper ACR Nurburgring crash acidente batida
Crédito: Viper ACR Nurburgring crash acidente batida

Com patrocínio de uma fabricante de pneus, a equipe voltou ao autódromo germânico no último fim de semana, para mais uma tentativa, depois de anotar o tempo de 7:03.45 (sete minutos, três segundos e 45 centésimos de segundo) anteriormente. Dessa vez, um dos pilotos cravou 7:01.3, número acima da marca de 6:52.01 anotada em março pelo atual dono do recorde, o Lamborghini Huracán Performante.

icon photo
Legenda: dodge viper acr nurburgring
Crédito: dodge viper acr nurburgring

O tempo do Viper foi o quinto melhor para um automóvel produzido em série no famoso "Inferno Verde", ficando logo atrás de outro Lambo, o Aventador SV, que foi o recordista em 2015, marcando 6:59.73. Pelo menos, um feito está garantido: é o Viper de série, sem qualquer modificação relacionada às especificações originais de fábrica, mais rápido em Nürburgring.

Para deixar as coisas em clima de fim de feira, as duas unidades usadas para a cronometragem foram danificadas - um dos Viper ACR quebrou o diferencial, enquanto o segundo saiu da pista em alta velocidade e acabou batendo, ficando bem estragado. Tudo foi acompanhado pela revista norte-americana "Road & Track", a qual relatou que os dois pilotos estão bem e não se machucaram.

Com mais uma tentativa frustrada e os prejuízos com os reparos, aparentemente não haverá tão cedo nova sessão de tomada de tempo com a dupla de esportivos. Talvez isso aconteça em uma nova geração do cupê da Dodge a ser lançada daqui a alguns anos, segundo anunciou em janeiro passado, durante o Salão de Detroit (EUA), Sergio Marchionne, o CEO da Fiat Chrysler.

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors