E a ecologia chega à oficina

Prestadores de serviços nestes entes pródigos em poluição deverão se adaptar à legislação
  1. Home
  2. Pit-Stop
  3. E a ecologia chega à oficina
Roberto Nasser
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Que irá acontecer, ninguém alimenta dúvidas. Mais dia, menos dia, mas em prazo curto, os prestadores de serviços nestes entes pródigos em poluição, como os veículos de transporte, deverão se adaptar à legislação e acertar processos menos agressivos ao meio ambiente. Regras e multas existem em quantidade e volume necessários, mas a implantação demora na razão direta da fiscalização. Não é fácil nem simples, especialmente depois de décadas de más práticas, do uso das estopas, da eliminação de detritos no esgoto, da falta de seleção no material trocado, nos processos de manutenção dos veículos e equipamentos das oficinas.

Todos

A noção geral é a da mudança por gravidade, das oficinas dos maiores revendedores autorizados, migrando para as menores e, finalmente, oficinas particulares e garagens de manutenção de frotas.

Entretanto, a entrega do “Selo Verde” a uma oficina particular, paulistana, mudou a sinalização e mostra que o negócio é factível, e meio de compatibilizar respeito ao meio ambiente com a simpatia dos clientes.

A oficina é a Marques & Marques, familiar, hoje na terceira geração, no bairro de Santo Amaro, em S Paulo, e o Selo representa a certificação ambiental concedida pelo Instituto de Qualidade Automotiva e pelo Centro de Experimentação e Segurança Viária, reconhecendo a implantação e utilização de processos sustentáveis, reduzida geração de resíduos, e seu descarte sustentável.

Cae Marques, pela família, entende o patamar de respeito com o meio ambiente é resultado de esforço começado há 40 anos. Prático, resumiu: “Otimismo, trabalho e envolvimento são essenciais. O resto é utopia”.

Para implantar os hábitos ecológicos, há que ter parceiros. Marques & Marques usa tintas PPG à base de água, usa produtos ecológicos e faz descarte ecológico do lixo com empresa ambientalmente correta.

Nos processos, além da tinta sem compostos químicos poluidores, há ações paralelas, como limpar pistolas de pintura e peças, e como se descarta o solvente e materiais contaminados, panos, embalagens, máscaras de papel e a sempre condenada estopa. Há, também, cuidados como a reutilização da água das torneiras, chuveiro, aproveitamento da água de chuva na limpeza de áreas que não necessitam água limpa, e para o descarte das peças, iniciando pela separação para reciclagem.

O IQA, Instituto de Qualidade Automotiva, é organismo de certificação, sem finalidades lucrativas, especializado na área do automóvel, e mantido pela Anfavea, Sindipeças e entidades do setor, e certifica serviços, produtos, sistemas de gestão, faz publicações, dá cursos.

A Marques & Marques é especialista no reparo de automóveis nacionais e importados, com equipe treinada e supervisionada por Comitê Interno de Gestão de Qualidade.
Quer se aconselhar? xx11 5535-1903 e www.oficinamarques.com.br


Roda-a-Roda


Negócio – Estuda-se modelo de negócio para fundir Fiat + Chrysler. Possibilidade é a separação das partes rentáveis – Ferrari + Maserati, esportivos; Iveco, caminhões; CNH, tratores; FPT, motores, transmissões. Grupo automóveis e seu problema da baixa expressão numérica seria alinhado à marca norte-americana. Na prática separa-se a banda sem risco.

China – Outro Chery chegará ao mercado em abril. É o Face, hatch pequeno, porém completo: ar, direção, ABS e EDB, almofadas de ar, travas e vidros com acionamento elétrico, som MP3, a R$ 29.900.

Variação – A versão Variant do VW Jetta chega na próxima semana. Estilo, ótimo comportamento mecânico, motor 2.5, 16 válvulas e injeção direta de combustível.

Aqui – A Bramont, montadora dos Mahindra anunciou a produção de sedã sobre plataforma indiana, com as facilidades da Zona Franca de Manaus.

Portos – Há 20 anos o então presidente Collor chamou os nacionais de carroças – parecia incontido, mas estava corretíssimo – e reabriu os portos às importações de automóveis e 300 outros produtos. Provocou mudanças positivas: veículos em si; rede de revendedores; ganhos tecnológicos para a assistência; o seguro-quebra; aumento da garantia; guincho plataforma. Maior, o fomento aos negócios com outros países, como a Argentina e os acordos comerciais, com relevo para o México.

Mais – Acabou com as sucatas locais – a Kombi é a última; fomentou a produção de veículos atualizados, e a atividade não faliu como então ameaçava a Anfavea, a associação dos fabricantes, mas disparou.

Outras – Collor também encerrou o feudo das revendas, a noção de território intocado; permitiu o cartão de crédito internacional; democratizou o salmão e apresentou o aceto balsâmico. Mandou bem.

Festa – O Código do Consumidor fará 20 anos em setembro. Trouxe a consciência de direitos do consumidor, instalou Procons, mas muito falta aperfeiçoar, em especial o fim da incolumidade para as telefônicas, bancos e planos de saúde no descaso com os consumidores. Nos automóveis, regulamentar o período de garantia de existência das peças de reposição.

Recall – O Ministério da Justiça, pelo Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor multou a Fiat em R$ 3 milhões por não ter feito recall nos Stilo para corrigir defeito que permite perder a roda traseira.

... 2 – A Fiat acatará ordem e multa e, enquanto discute, faz o recall com peças de aço forjado, trazidas da Europa, substitutas nos cubos traseiros.

... 3 – A multa é a maior do sistema e já aplicada à GM pela demora em alertar usuários do Corsa sobre a possibilidade de não funcionamento do cinto de segurança. A Fiat alega ser o ferro fundido utilizado em todos os veículos, caminhões inclusive, e que a perda de roda não é causa, mas conseqüência dos acidentes. O recall pode ser agendado em qualquer concessionária e excetua carros com freios a disco nas quatro rodas e ABS.

.... 4 – Em evidencia mundial pelo defeito do Corolla em acelerar por conta própria, a Toyota no Brasil não assume o defeito e, para piorar sua imagem, não compareceu à audiência na Assembléia Legislativa de Minas, alegando estar preparando o balanço. O DPDC abriu processo.

.... 5 – Por deficiência na junção entre a coluna e a caixa de direção, a Nissan convoca todos os proprietários do novo picape Frontier a recall. Em dúvida? SAC 0800 0111090 ou no sítio www.nissan.com.br.

Moto – Nova moto de baixa cilindrada, a Kasinski Mirage 150. E apelos de luxo: partida elétrica, freio a disco dianteiro, rodas em liga leve e motor PZ – tecnologia da italiana Piaggio cedida à chinesa Zongshen. Monocilíndrico, 149,4 cm³ de cilindrada, com balanceador, produz 13,4 cv a 8.000 rpm e torque máximo de 1,38 kgf.m a 6.000 rpm. A R$ 5.390.

IPI – O fim da escalonada redução do IPI insufla negócios e o mercado. Há falta de veículos – picapes Fiat, e caminhões pesados, por exemplo. Porém comprar não é sangria desatada e merece pesquisa e foco para não comprar o não desejado. Se o veículo pretendido é 2009, dê um tempo. O IPI subirá, mas o preço cairá.

Mais - Outro ponto a ser lembrado: as vendas incentivadas não acabam junto com a redução do IPI. A redução vale para os carros faturados em 31 de março – e que estarão nos concessionários em data posterior.

Fonte – Pesquisas com vegetais para torná-los combustíveis descobrem empregos paralelos. O pinhão manso, o bio no biodiesel, produz látex cicatrizante. E chocolate, quem diria, pode substituir a gasolina.

Gente – Fabiano Mazzeo, jornalista, promovido. De assessor na GM é o novo gerente de relacionamento com a imprensa na Renault.



Leia outras colunas de Roberto Nasser aqui
_______________________________
Roberto Nasser edita@rnasser.com.br , residente em Brasília, é advogado, especializado em indústria automobilística. Dentre suas ações de utilidade social se destacam a defesa para a obrigatoriedade do uso do cinto de segurança e as propostas da criação da categoria do veículo de coleção, da dispensa de equipamentos modernos pelos carros antigos, da mudança de óptica sobre os colecionadores, da permissão de importação de veículos antigos, além da criação do Museu do Automóvel, na Capital Fcaptional, do qual é curador. Escreve sobre automóveis semanal e ininterruptamente há 41 anos e trata este ofício como diversão e lazer. Sua coluna “De Carro por Aí” é publicada em 15 mídias.

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors