GPS: objeto de desejo

  1. Home
  2. Pit-Stop
  3. GPS: objeto de desejo
Fernando Calmon
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- Uma sigla em inglês de apenas três letras, GPS, pode começar a mudar a maneira como o motorista encara o ato de dirigir seu veículo. Global Positioning System — Sistema de Posicionamento Global — é uma rede mundial de satélites formada pelo governo dos EUA que permite rápida e precisa localização de qualquer o objeto ou veículo, parado ou em movimento. No início, os receptores de sinal eram caros e utilizados como recurso de navegação em aviões, navios e em aplicações terrestres específicas. Demorou um pouco até o GPS ser mais conhecido no Brasil, primeiramente pelos fãs de fora-de-estrada e trilheiros.

O aproveitamento de maior peso se iniciou com os serviços de localização e rastreamento de frotas, especialmente de caminhões. O passo óbvio seguinte foi se transformar em poderoso recurso contra furto e roubo também em veículos leves. Este, hoje, é um mercado em franca expansão e estimulado pelas seguradoras. O interesse dos fabricantes cresceu muito porque seguro caro traz impacto direto sobre o preço final pago pelo comprador. Por isso, a Volkswagen já decidiu que em breve toda sua linha de modelos passará a ser disponível com rastreadores da Crown Telecom.

Outra aplicação, porém, terá impacto ainda maior. Trata-se dos sistemas de navegação de bordo. O processo sofreu atraso por uma infeliz decisão da direção anterior do Contran que proibiu telas com imagens em movimento, inclusive mapas digitais. Finalmente liberado em fevereiro deste ano com restrições mapas substituídos por setas, enquanto o veículo se locomover, faltava superar o obstáculo do preço. Equipamentos embutidos são mais caros e sofisticados porque os fabricantes de carros, entre outros motivos, precisam garantir seu funcionamento em condições adversas de utilização e fazer adaptações em painéis e consoles.

A solução está nos equipamentos portáteis de GPS que se tornaram uma febre nos países desenvolvidos. Além da vantagem da simplificação, a concorrência derrubou os preços e um mesmo aparelho pode ser transferido de um automóvel para outro. As vendas aqui já começaram com os aparelhos europeus Mio e Airis, mas até o final do ano Delphi, Visteon e muitos outros estarão disponíveis. O preço parte da faixa de R$ 2.000,00, mas deve cair. A Citroën vai oferecer o equipamento Mio/Guia Quatro Rodas ainda este mês em pacote promocional. A Volkswagen também confirmou o mesmo produto nas próximas semanas. As fábricas podem subsidiar a oferta para um determinado modelo por algum tempo e assim tornar o navegador um objeto de desejo em processo semelhante ao telefone celular.

Em rápida avaliação, o equipamento que utiliza os mapas digitais da tradicional publicação cumpriu muito bem seu papel. Funcionando já em sete regiões metropolitanas e com 512 MB ROM, apresentou precisão de 20 a 50 m, tela de boa definição, alto-falante de som claro e sistema simples de fixação no pára-brisa que resistiu a vibrações e buracos. Rotas alternativas são recalculadas automaticamente com precisão. É quase impossível alguém se perder. Se a economia de tempo e mesmo de combustível entrar na equação do preço, o aparelho se paga com o tempo de uso.

RODA VIVA

NOVA linha Palio com retoques no exterior e interior ficará fora do Salão do Automóvel de São Paulo 19 a 29 de outubro, mas chegará ao mercado ainda em novembro. Fiat desacelerou o cronograma porque o vazamento da informação tornou mais lento o processo de venda da versão atual. Porém, graças ao mercado aquecido não será difícil liquidar o estoque.

TRANSFERÊNCIA do engenheiro-chefe da Ford em Camaçari BA, Márcio Alfonso, para trabalhar nos EUA no desenvolvimento do novo Focus americano, é bom indicativo sobre o sucessor do modelo médio-compacto. Produzido na Argentina e vendido aqui sem imposto de importação, Focus precisa rejuvenescer frente à concorrência.

ALINHAR o Polo exatamente com o modelo vendido agora na Europa, apesar do atraso de 10 meses, deve fazer reagir as vendas. VW oferece sensor de estacionamento de série, para o hatch e o sedã, mantendo o preço do primeiro e reduzindo o do segundo em R$ 1.200,00. O Polo tem avançadas qualidades construtivas e isso se nota ao guiá-lo, embora pouco percebidas pelo comprador comum. Daí a dificuldade em oferecer preço mais competitivo.

CITROËN C4 VTR consegue, mesmo importado da França, oferecer muito em troca dos R$ 70.000,00 reais pedidos. O modelo é bastante equipado e o motor 2 litros/143 cv oferece ótimo desempenho. Isso se dá também pelo forte encurtamento do diferencial nada menos de 15%, sem aumentar tanto o nível de ruído. Dirigibilidade é destaque. Estilo discutível da traseira e disponível apenas na versão de duas portas são pontos fracos.

BOLSAS infláveis e quebra-mato são incompatíveis. Sistema de sensores deixa de funcionar bem, se o veículo utiliza aquele acessório. A GM não oferece opção de airbag, quando a pickup leve Montana vem equipada de fábrica com esses canos agressivos. Vale para quem for fazer a adaptação.
______________________________
Fernando Calmon fernando@calmon.jor.br é jornalista especializado desde 1967, engenheiro e consultor técnico, de comunicação e de mercado. Sua coluna Alta Roda, no WebMotors e na Gazeta Mercantil, está também em uma rede nacional de 26 jornais e 6 revistas. É, ainda, correspondente para a América do Sul do site americano The Car Connection.
_______________________________
E-mail: Comente esta coluna

Envie essa coluna para uma amigoa

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors