Inspeção torna mais segura a compra de carro usado

Para atender desconfiados surgiram no mercado empresas que fazem a checagem do veículo
  1. Home
  2. Pit-Stop
  3. Inspeção torna mais segura a compra de carro usado
Auto Informe
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Tem gente que só compra carro zero porque tem medo de se dar mal na compra de um usado. Prefere ficar com um modelo mais simples e ter a garantia de estar com um carro na mão que não vai lhe causar problemas, do que arriscar na compra de um usado maior e mais potente. Ou então compra carro usado só de parentes e vizinhos, para ter certeza de que está adquirindo um produto de boa qualidade e boa procedência.

São pessoas que já tiveram problemas, compraram carro batido e mal consertado, com partes enferrujadas, faltando catalisador, pintura diferente da original. Coisas que acabaram criando problema, resultado em gastos extras e depreciação do veículo na hora da revenda. Isso sem contar a possibilidade de comprar um carro roubado.

De fato, comprar um carro usado é sempre um risco. Para atender esses desconfiados surgiram no mercado empresas que fazem a checagem do carro tanto do ponto de vista de documentação quanto à revisão técnica. O custo desse serviço, que fica em torno de R$ 100,00, é um bom investimento para o comprador, que se livra das dúvidas em relação à confiabilidade do produto e também tem a garantia que não está comprando um carro com a documentação irregular. Algumas dessas empresas, inclusive garantem a recompra do carro caso seja constatado algum problema, técnico ou administrativo.

Esse serviço é hoje fundamental em alguns segmentos do mercado. Muitas concessionárias que aceitam o usado como parte de pagamento do carro novo, sequer querem ver o veículo: apenas pedem para o cliente o certificado de aprovação do carro. Uma vez aprovado pelas empresas de vistoria, aceitam na troca. Caso contrário, não querem o carro como parte de pagamento.

É verdade que, muitas vezes, o sujeito que vai vender acaba sendo prejudicado se o seu carro ganhar uma avaliação baixa, isto é, se a empresa avaliadora aprovar o carro “com restrições”. Isso acontece quando o carro teve uma parte trocada, sofreu uma batida ou uma repintura. Mesmo que o serviço tenha sido perfeito, o conserto é considerado na avaliação, e isso pode ser um argumento para que o comprador possa depreciar o veículo.

São detectados carros obtidos em leilão, recuperado de sinistro e com chassi remarcado.

Hoje a avaliação do carro é feita principalmente no comércio, em lojas e concessionárias, mas o particular já começa a descobrir esse serviço, que pode salvar uma compra e acabar com um problema antes de difícil solução.

Uma das empresas que atuam nesse ramo calcula que foram já economizados R$ 500 milhões: dinheiro deixou de ser gasto graças à identificação dos problemas nos carros colocados à inspeção.

Várias empresas atuam nessa área e a inspeção já é exigência de 90% dos comerciantes. Entre os particulares a exigência da comprovação de “boa conduta” ainda não é uma regra, mas cada vez mais vem sendo conhecida, dando mais tranquilidade a quem vai comprar, sem que o consumidor precisa retomar o antigo hábito de levar o mecânico a tira-colo.


________________________________
Joel Leite joelleite@autoinforme.com.br é diretor da Agência AutoInforme, especializada no setor automobilístico, que fornece informações para vários veículos de comunicação. Produz e apresenta o Boletim AutoInforme, das rádios Bandeirantes, Band News e Sul América Trânsito. É formado em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero e pós-graduado em Semiótica e Meio Ambiente.

Leia outras colunas de Joel Leite aqui

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors