Linha antiga por preço mais baixo: compensa?

  1. Home
  2. Pit-Stop
  3. Linha antiga por preço mais baixo: compensa?
Auto Informe
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- Quem não se importa com a reestilização do carro e pensa primeiro em economizar, o mercado oferece versões antigas com preços atraentes. Essa situação sempre ocorre quando há um lançamento: durante um tempo os dois carros velho e novo permanecem no mercado e mesmo que o novo não tenha mudanças e custe o mesmo preço, a concessionária acaba baixando o preço do modelo velho, para acabar com o estoque.

Atualmente isso acontece com o Celta, que pode ser encontrado tanto na versão 2007 quanto na 2006, esta com desconto de até 11%.

No entanto, é preciso que o consumidor faça as contas com cuidado para verificar o que é mais vantajoso. O problema é na hora da revenda, daqui a dois ou três anos, quando a versão antiga terá um ano a mais de depreciação. Muitas vezes o valor economizado hoje na compra do modelo velho pode se perder com o tempo. Mas, se a diferença de preços for grande, o consumidor pode fazer um bom negócio.

O Celta Life 1.0 nova geração ano 2007 está custando cerca de R$ 24,7 mil, enquanto que o modelo da linha 2006 pode ser encontrado por R$ 22,3 mil. Nesse caso a diferença é de R$ 2,4 mil, ou 10% no preço.

Como o Celta deprecia cerca de 5% no primeiro ano de uso, a previsão é de que o modelo 2006 vai estar custando R$ 1 mil a menos em maio do ano que vem, enquanto que o modelo 2007 vai estar com uma depreciação menor, praticamente com o mesmo preço.

Mas daqui a dois anos, o Celta 2007 vai depreciar mais e, fazendo uma projeção de acordo com as desvalorizações médias do mercado, ele estará custando cerca de R$ 23,2 mil, enquanto o Celta 2006 vai custar cerca de R$ 20,7 mil.

A partir do terceiro ano, a tendência é o preço se acomodar. E os preços de um e de outro se aproximarem. Portanto, a conclusão é que é vantagem comprar o modelo novo caso a intenção seja vender o carro em até três anos. Se o objetivo do comprador for ficar mais do que quatro anos com o carro, a compra do modelo velho não é mau negócio. Claro que estamos falando do ponto de vista financeiro, pois a maioria dos consumidores prefere pagar mais ou perder dinheiro na hora da revenda e ficar com o produto mais moderno.

Uma boa dica para quem optar pelo modelo velho é a pechincha. Lembre-se de que as concessionárias precisam desovar o estoque antigo para comprar o modelo novo, por isso preferem dar desconto e até perder dinheiro acabar com os carros da linha antiga.

Essa situação é passageira. A venda dos modelos velho e novo dura no máximo um mês e sempre ocorre quando há uma reestilização. O próximo é o Civic, cujo modelo novo está chegando às revendas.

___________________________________
E-mail: joelleite@autoinforme.com.br

Joel Leite é diretor da agência de notícias especializada no setor automotivo AutoInforme. Produz e apresenta o quadro sobre automóveis no programa Shop Tour e fornece informações para vários veículos de comunicação. É especialista no mercado de automóveis desde 1984, quando começou no Jornal do Carro do Jornal da Tarde. Joel é formado em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero e pós-graduado em Comunicação e Semiótica.

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors