Monitoração inteligente

Há soluções avançadas para reorganizar o trânsito de superfície
  1. Home
  2. Pit-Stop
  3. Monitoração inteligente
Fernando Calmon
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- Falta de planejamento urbano é regra no Brasil. Embora alguns condenem a prioridade para os automóveis nas grandes cidades brasileiras, se vê frequentemente o oposto. Obras são feitas com grande atraso e só depois de imensos congestionamentos, sempre atribuídos ao excesso de carros ou à falta de ruas?, os administradores pensam em ampliações ou viadutos. Ao mesmo tempo, para o transporte coletivo subterrâneo sobre trilhos nunca há verbas suficientes.

A essa falta de racionalidade correspondem medidas pouco inteligentes, como o rodízio baseado em placas dos carros. Trata-se de solução torta até hoje só aplicada em São Paulo e Bogotá rodízio deveria ser para emergências ambientais. Aliás, a capital da Colômbia seguiu orientação de “especialistas” em replicar a má experiência paulistana. Londres optou, faz sete anos, pelo pedágio urbano, mais racional para controlar o acesso ao centro das metrópoles.

No entanto, existem soluções avançadas para reorganizar o trânsito de superfície e manter convivência harmoniosa entre transporte público coletivo, táxis e automóveis. Para tanto, as ferramentas estão à mão: eletrônica, informática e navegação por satélites GPS. O uso inteligente desses recursos integra o chamado Projeto Viajeo, de abrangência internacional, mas inicialmente atendendo quatro cidades em experiências-piloto: São Paulo, Pequim, Xangai e Atenas.

A ideia partiu do Instituto Ertico, ligado ao ITS Sistema de Transporte Inteligente, em inglês, envolvendo 20 entidades de três continentes, de fabricantes de equipamentos a empresas de serviços. O programa implica investimento de € 5,9 milhões 60% da União Europeia ao longo de três anos, de setembro de 2009 a agosto de 2012.

Aqui, a Associação Brasileira de Engenharia Automotiva AEA divulga e coordena as ações. A Magneti Marelli está à frente nesse estágio ao instalar 625 navegadores de última geração na frota de teste, cabendo a Altea e Mizar com ajuda da LBS processar informações e devolvê-las, atualizadas, à rede de veículos, incluindo ônibus e táxis.
Em resumo, Viajeo é um sistema de plataforma aberta, integrando uma rede de troca de dados entre quatro áreas:

Planejamento – transporte público e benefícios ao meio ambiente.

Gerenciamento e operação – controle do tráfego urbano e operação do transporte público e frota de táxis.
Geração de informação – tráfego em tempo real, guia dinâmico de rotas, transporte público com reserva e pagamento de tarifas e planejamento de viagens urbanas utilizando mais de um modal.

Disseminação da informação – telas de aviso em ônibus, metrô, pontos de ônibus e de baldeação.

Para quem enfrenta congestionamentos diários, a rede de troca de dados em tempo real é muito valiosa. Os caminhos alternativos aparecem em tempo real na tela do navegador ou nos painéis de aviso ao longo do caminho. Outra grande vantagem, mesmo estando a pé, mas utilizando um navegador GPS portátil, é a possibilidade de escolher o meio de transporte disponível, saber horários, tempo de espera pelo ônibus, trem ou metrô, chamar um táxi e até pagar a tarifa.
Com criatividade e tecnologia, a mobilidade urbana pode dar um grande salto qualitativo.

RODA VIVA

AVANÇAM com lentidão as conversas entre PSA Peugeot Citroën e Mitsubishi para possível aliança. Na realidade, os franceses gostariam de comprar o controle da marca japonesa, mas as cifras pedidas atrapalham. Enquanto isso, PSA e BMW estudam ampliar a colaboração para além de motores. Compras, produção e desenvolvimento conjunto estão em pauta.

NOVA pesquisa nos EUA confirma: falar ao celular e dirigir está longe de contribuir para acidentes como se propaga. Segundo o Instituto de Dados sobre Perdas nas Estradas Americanas, em todos os estados em que existe alguma restrição ao uso do telefone, o número de mortos e feridos ficou estabilizado entre 2004 e 2009. Ou seja, não se prova relação de causa-efeito.

CONTINUA aumentando com rapidez a aplicação de turbocompressores em motores a gasolina na Europa. A BorgWarner anunciou que a Volvo será a primeira a utilizar carcaça do turbocompressor integrada ao coletor de escapamento. O conjunto, além de mais leve, libera espaço no cada vez mais restrito cofre do motor em automóveis modernos.

ESTADO da arte continua sendo o Porsche 911 Turbo, agora na versão S: adicionou 30 cv aos 500 cv anteriores. O consumo se manteve igual, mas a aceleração de 0 a 100 km/h melhorou para espantosos 3,3 s 0,1 s a menos. Também são feitos pela BorgWarner os dois turbocompressores do 911, únicos com geometria variável no ciclo Otto gasolina, etanol ou gás.

EMPRESA alemã in.pro. criou um utilíssimo protetor para as bordas de rodas de liga leve. Evita que desagradáveis raspões em guias meio-fio danifiquem e enfeiem as rodas. Feitos em aço inoxidável e plástico reforçado, os aros podem ter cores prata, amarelo ou vermelho. Consertar rodas arranhadas nem sempre é possível e há custo envolvido.


____________________________________
Leia outras colunas de Fernando Calmon aqui

_______________________________
Fernando Calmon fernando@calmon.jor.br é jornalista especializado desde 1967, engenheiro, palestrante e consultor em assuntos técnicos e de mercado nas áreas automobilística e de comunicação. Sua coluna Alta Roda começou em 1999. É publicada no WebMotors e em uma rede nacional de 63 jornais, sites e revistas. É, ainda, correspondente para a América do Sul do site just-auto Inglaterra.

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors